prólogo

291 55 21
                                    

Eu não tenho culpa de não sentir o
mesmo que você. Você já sabia minhas regras, linda.

A principal era não sentir, você não
poderia sentir nada por mim te deixei
bem claro antes de se entregar a mim.

Você não pode me chamar de monstro
amor. Talvez devesse usar cachorro ou cafajeste, mas monstro? Por favor.

Não sei oque te fez pensar que com
você seria diferente, você não tem nada de diferente das outras, você foi apenas mais uma, querida.

Na próxima vez que pensar em
sair com um cara que não tem
compromissos, muito menos coração,
certifique-se que que o seu tenha
paredes grandes e grossas.

Faça um favor a si mesma, tenha um
pingo de amor propio e não se humilhe me pedindo algo que nunca poderei te dar.

𝐀𝐏𝐄𝐍𝐀𝐒 𝐌𝐀𝐈𝐒 𝐔𝐌𝐀↺𝐍𝐎𝐀𝐕𝐀𝐍𝐈Onde as histórias ganham vida. Descobre agora