31 | we fall apart as it gets dark

635 146 236
                                                  

Não é verdade
Me diga que você mentiu pra mim
Chorar não é do seu feitio, uuh
O que diabos eu fiz?

(i love you - Billie Eilish)

(i love you - Billie Eilish)

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

5 meses antes

26 de Outubro - Londres, Dormitórios da UK

Depois de olhar pela terceira vez pela janela, Madinson finalmente viu o carro vermelho de Frances adentrar a rua do dormitório. Não contendo um gritinho animado, ela pulou para longe da cama e correu até o banheiro, onde verificou pela milésima vez a trança que havia feito feito no cabelo. Ali, encarando seu rosto que carregava uma expressão cheia de felicidade, ela suspirou.

Duas batidas na porta minutos depois foram o suficiente para fazê-la correr até a mesma. Sem se importar com a alegria genuína que exalava do seu corpo, ela a abriu, recebendo-o sorridente.

Frances estava com a jaqueta da fraternidade, jeans claros e uma camiseta branca por baixo. A pequena Lily vestia um conjunto de moletom roxo e os cabelos estavam cheios de tranças pequenas.

— Oi! — Falou Mad, com os olhos na garota.

— Oi Mad. Hoje vamos ficar juntas! — Disse Lily, empolgada, a abraçou e em seguida e a garota adentrou o quarto, passando pelo seu lado.

Mad e Frances a acompanharam com o olhar, vendo-a ir direto para as folhagens de Érin. Lily murmurou algo sobre ir buscar um pouco de água para as plantas no banheiro e desapareceu da vista de ambos. Quando Mad voltou o olhar para Frances, ele já tinha os olhos presos nela e um sorriso bonito nos lábios.

— Ei, você. — a loira murmurou, passando uma mecha de cabelo para trás da orelha.

Ele puxou o embrulho de trás das costas.

— Lily quis comprar isso para você.

Mad observou um buquê de girassóis amarelos entre as mãos dele. Seus olhos brilharam.

— Isso deve ter custado caro... Não precisava. — disse ela, em um fio de voz.

— Ela insistiu. — Soprou ele, encarando o rosto sorridente da loira. — Disse que você não tinha nenhuma flor aqui.

Mesmo hesitante, Madinson segurou as flores, envoltas por um papel pardo e uma corda branca em um laço perfeito. Ela encarou os girassóis por breves segundos, até buscar pelo verde claro dos olhos do rapaz.

— Obrigada, Frances. — Ela murmurou, apertando um pouco as flores contra o peito. Lembrando-se da noite em que o agradeceu por algo pela primeira vez na vida, após o jantar na casa de St Louis. — Mas é sério, não precisava.

Frances suspirou, levantou a mão até o rosto dela, deslizando o indicador na bochecha quente de Mad, que estremeceu ao toque.

— Não me faça pedir desculpas por te trazer flores. Eu faria isso um milhão de vezes se o resultado fosse ver você assim.

Entre Deuses e Titãs #AQDD1 (todo domingo)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora