25-os still e joanny

1.4K 90 14
                                    

- finalmente!! - joanny deu um suspiro

- esta com uma cara maravilhosa!

nossas sobremesas chegaram e logo começamos a comer, joanny dançava a cada colherada de bolo e um gole de milkshake

- o seu esta gostoso jojo? - perguntei a ela

- meu deus está maravilhoso, agora eu sei o por que de ser tão difícil conseguir reservas neste restaurante

- ah, sobre as reservas, me diga, eram só pra você?

- bom... não, eram pra mim e a minha ex... - ela disse o ex bem baixinho

- hm entendi - do nada me faltou apetite e vontades

se as reservas fossem feitas, estaríamos aqui revivendo uma lembrança dela e da ex, era só o que me faltava

- então...- continuei - ela era o seu de novo?

- ahn? como assim?

- lembra no dia da sua mãe? você disse que não poderia perder alguém de novo

- você tem uma memória muito boa, isso ja fez muito tempo, quase um ano

- é... enfim, era sobre ela?

- bom, era

- me conte

- nem pensar

- vai joanny me conta

- não lilith, acho isso idiota e eu nem devia ter dito aquilo

- por que não quer me contar? o que você ta escondendo?

- merda lilith, eu só não quero falar sobre o meu passado, o que aconteceu la, ficou lá

- eu não acredito muito nisso

- se eu te contar você tem que prometer não ficar longe de mim

- me conte! - eu ja estava séria com a voz fria

- bom, eu namorei por 7 meses com clarisse, ela era assim como você fria e quase impossível de decifrar, eu nunca tinha certeza do que ela queria, mas ela deixava claro que queria casar comigo

- em 7 meses ela queria casar com você? caramba

- sim, mas não era algo que eu gostaria, eu tinha 17 anos, era nova pra casar e bom, minha mãe me expulsaria de casa, se bem que não adiantou muito, fui expulsa do mesmo jeito

- como você conheceu ela?

- conheci ela em uma festa, na casa do noah aliás

- o que aconteceu com ela?

- clarisse...ela foi internada por minha causa, passou meses em coma e fui obrigada a manter distância para sempre

- mas? por que???

- minha mãe descobriu sobre ela, não sei como, mas acho que mandou alguém me vigiar porque eu estava chegando tarde da escola, eu sempre via clarisse depois do horário escolar, bom... quando fui embora, dois homens invadiram a casa dela a minha procura e ela disse que eu não estava la, mas não acreditaram... e... você ja deve saber o resto

- não acredito, bateram nela? dois homens? mas que filhos da puta - peguei o meu celular

- lilith o que esta fazendo? - ela me perguntou desesperada

- vou usar meu nome podre para alguma coisa útil

- por favor, não faça nada! sério

- escuta aqui, não é por você ou por ela, é pela dignidade de uma mulher, clarisse estava sozinha e foi agredida por dois homens, eles eram policiais???

- não adianta fazer nada os pais dela ja tentaram

- ELES ERAM POLICIAIS JOANNY?

- eram....

- você soube quem eram?

- sim eu fiz umas pesquisas depois do julgamento fechado, e descobri quem eram

- perfeito, vamos ao trabalho do meu pai

- agora?

- agora!

- mas e o "nosso dia"?

- podemos continuar amanhã?

- como assim?

- joanny tem algumas coisas que preciso falar pra você e eu não posso fazer isso sem antes eu ter feito uma justiça, as duas coisas são muito importantes, mas eu não posso deixar dois homens com distintivos sairem impune de uma coisa dessas, eles deviam proteger e não bater em mulheres

- eu entendo...

- durma la em casa hoje de novo, amanhã isso valerá a pena eu prometo!

joanny apenas assentiu com a cabeça e levantamos da mesa, deixei uma quantidade na mesa e saímos do restaurante, pegamos o carro e fomo até o tribunal onde meu pai atuava, eu sabia que ele não estava la mas eu precisava de alguns registros

- bom dia, sou dacota still

- senhorita still, que bom revê-la, uau está tão diferente

- por favor ana, agora não, preciso fazer umas coisas, quem cuida dos registros oficiais?

- ah... senhorita eu não posso dar esta informação

- ana, por favor, é por uma causa justa

- eu posso perder o meu emprego srta

- perdera o seu emprego se não me falar quem cuida dos malditos registros oficiais senhora ana

- mas... srta

- pode deixar ela fuçar ana, obrigada

- pai?? quando você chegou? - fui abraça-lo

- olha querida, acabei de chegar, como você esta e pra que quer saber dos registros?

- pai, eu não sei como você deixou isso acontecer mas dois policiais saíram ilesos de uma agressão física contra uma adolescente

- como assim?? dacota o que está acontecendo? eu não me lembro de ter resolvido um caso assim

- e é por isso que eu preciso ver os registros

- vamos até a sala e você me explica no caminho

meu pai nos levou até a sala e eu fui contando toda a história a ele junto com joanny

- gabriel por favor tire um tempinho de folga, preciso trabalhar em umas coisas aqui esta bem?

- sim senhor meritíssimo

- agora me diga joanny, qual a data do acontecido?

- 27 de janeiro de 2017

- certo, qual o nome da menina?

- clarisse bolevart

- achei!

eu olhei a foto de clarisse que estava no registro, uma foto de documento e me deu um nó na barriga, ela era linda e parecia ser uma ótima namorada

- aqui diz que clarisse foi agredida em uma briga de escola

- MENTIRA!! - joanny apontou

- com certeza alguém fez essa merda nos registros, pai o que vamos fazer?

- vou procurar quem cuidou deste caso e punir como deve, abrir o caso novamente se a família da jovem permitir e mandar prender os policiais, além de tirar os distintivos

- o senhor entrará em contato com a família dela? - joanny perguntou

- sim joanny, claro!

- pode por favor não mencionar nada sobre mim atualmente? estou proibida pela família de sequer tocar no nome de clarisse...

- mas eu vou precisar de uma testemunha a favor da família joanny, eu posso tentar conversar com eles

- tenho medo do que vai ser quando eu ver ela novamente

- é...eu também - sussurrei para mim mesma

o lado escuro do sexoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora