Bri
"Não conta nada pra eles. Você nunca sabe em quem você pode confiar". Bri caminha até seu armário para pegar o resto dos livros antes de ir até o lago. Ela se vira para fechar o armário e vê Niccola passando. "Droga, esqueci do grupo de estudos hoje à tarde."
- Roi! - Niccola diz - Eu tava conversando com o Niko e com a Elle e a gente achou que 15 pras 4 é um horário bom pro grupo de estudos, porque daí a gente pode chegar em casa a tempo da transmissão do governo.
- Nossa, me desculpa mesmo, apareceu um imprevisto, não vou poder ir no grupo hoje.
- Ah, tudo bem. Tá tudo bem? - Niccola pergunta, com a voz um pouco menos animada.
- É que minha mãe me pediu pra cuidar da minha irmã. "Ótimo, agora você mentiu, que é contra a lei, e ainda mais pra sua melhor amiga".
- Ok, te vejo amanhã. - Ela se vira para ir embora e Bri sente o pensamento chegando de novo. "Ela é bem bonita". Bri dá um tapa na própria testa. "Não, para de pensar assim". Ela bate a porta do armário e caminha pelos corredores, saindo da escola e correndo até o lago. "Não fala nada". Ela continua falando para si mesma. "Você não pode contar pra eles". Ela sente o coração acelerado enquanto passa pelas árvores. "Por outro lado, eu não aguento ficar com isso só para mim, eu sinto como se isso estivesse me engolindo". Ela vê o lago logo a frente e corre para a esquerda, onde fica a ponte. Ao chegar, ela desacelera e se senta na ponte. Ela está coberta de musgo e tem algumas tábuas faltando no meio. O lago tem uma cor marrom esverdeada, nem algas poderiam sobreviver naquela água. "Dá pra imaginar por que nunca vem ninguém aqui". Ela escuta passos e vê Trey e Ryan. Eles se sentam do lado dela e ficam em silêncio até Tuck aparecer por trás das árvores e se sentar do outro lado dela. "Olha, tá na hora de tomar uma decisão. Vai contar ou não?"

- Ok... olha, tem um motivo pelo qual eu não contei pro meu pai. - Tuck diz após alguns minutos de silêncio. - Eu meio que, é... - ele não consegue achar as palavras certas - Eu quero ser uma garota, - ele deixa escapar - quer dizer, eu acho que devia ser uma garota. Eu só me sinto como mim mesmo como uma garota. E isso é meio que na mesma categoria de gostar do mesmo gênero, eu acho.
Todos ficam em silêncio.
- Eu meio que me sinto assim também, - Ryan diz, quebrando o silêncio. Todos se viram para ele - quer dizer, não exatamente assim. Me sinto errado quando eu me vejo como menino, mas também é estranho quando eu me vejo como uma menina. Não sei, é estranho.
- Então, Tuck, se você se sente mais como uma garota, isso é ótimo, e eu estou feliz que você tenha descoberto isso. - Trey dá uma pausa - E Ryan, tudo bem se você se sente assim, e a gente vai entender isso, ok?
- Ok. - Tuck e Ryan dizem juntos, parcialmente aliviados.
- Tuck, você quer que a gente te chame de algum outro nome? Você talvez não possa usar esse nome em público, mas pode usar quando estiver com a gente.
- Eu acho que seria incrível, eu gosto bastante de... Tatum - Seu rosto acende assim que ela termina a frase.
- Ok, Tatum. De agora em diante, enquanto você estiver com a gente, esse é seu nome. - Trey diz.
Bri acena em concordância, perdida em seus pensamentos. Ela olha para os quatro, falando as primeiras palavras desde que chegou na ponte.
- Bem, - ela diz - acho que agora é minha vez.

Niko
Elle sai do escritório, seu cabelo preto ondulado balança de um lado para o outro. Seus olhos cor de avelã são do mesmo tom da porta de madeira atrás dela.
- A gente não pode se encontrar na minha casa - ela diz tristemente. "Droga", Niko pensa.
- Se a gente não pode ir para nenhuma de nossas casas, então pra onde a gente vai?
- Talvez a gente possa ir para algum lugar lá fora? - Niccola sugere.
- Sim, - Elle concorda. - Que tal no bosque perto do antigo lago? Deve ter alguma mesa de piquenique lá ou algo do tipo.
- Por que a gente não pode simplesmente ir ao parque? - Niko acrescenta - É tão mais legal lá, e a gente tem certeza que lá vai ter algum lugar pra gente fazer o trabalho.
Eles começam a andar até a porta da frente e Niko vê seu reflexo no vidro do armário de troféus. Seu cabelo preto é igual ao de Elle, mas seus olhos são um pouco mais escuros.
- Lá tá fechado hoje por causa da transmissão do governo, eles estão preparando o lugar para quem for ver presencialmente. - Elle responde, e Niko desvia o olhar do vidro.
- Ugh, eu esqueci que era hoje - Niko diz, revirando os olhos.
- Não fala isso aqui! E se alguém te ouvir? - Niccola o repreende, olhando ao redor para ver se alguém estava por perto.
- Tá, desculpa. Só vamos logo. - Niko responde com uma pontada de arrependimento. "Confie em mim, eu poderia dizer muito mais sobre como eu me sinto, mas aí que tá, eu prefiro ficar vivo", ele pensa enquanto os três adentram a floresta em direção à ponte.

Eles entram mais a fundo na floresta e caminham seguindo o caminho que mal se vê, pois está coberto de folhas e galhos por causa dos anos de abandono.
- Você tem certeza de que a gente deveria estar aqui? - Niccola indaga, olhando ao redor a floresta deserta.
- Sim, tá de boa, só continua andando. Eu tenho uma prova de história amanhã que eu preciso muito de uma nota boa - Niko se estressa enquanto lidera o grupo pelo caminho.
As árvores se fecham à medida que o céu desaparece.
- Falta muito? - Elle reclama, passando a mochila de um ombro para o outro.
- Tipo, mais dois minutos - Niko responde.
Ele escuta algo à frente. São vozes? Ele pensa. Não, não pode ser. Ele se assegura. Ninguém nunca vem aqui. Elle reclama do fim da fila. Eles andam mais alguns metros até que Niccola para bruscamente.
- Vocês ouviram isso? - Ela pergunta com a voz trêmula.
Elle e Niko param de andar e escutam. "Talvez *sejam* vozes", Niko se preocupa.
- Será que é o governo? - Elle questiona e volta a andar com cuidado.
Niccola e Niko seguem hesitantes.
- Pera - Niccola faz uma pausa - parece a voz da Bri. Ela acelera o passo, se movendo por entre as árvores em direção à uma clareira.
- ...é isso, então, eu acho que gosto de meninas, mas acho que de meninos também... Eu não sei, tô confusa - Bri confessa para Trey, Ryan e Tatum, enquanto Niccola escuta.
Niko chega por trás de Niccola, e Elle acompanha. Ao dar mais um passo, ela pisa em um graveto. *Crack!* Os quatro sentados na ponte se viram.
- Ah, merda! - Bri exclama.

Revolution L (Portuguese)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora