Capítulo 6

407 29 0

-Beck? -Mary perguntou e a garota tirou o lençol, sua aparência era desesperadora sua roupa suja de sangue e suja pelo higiene da jaula que estava em falta.

-Agora eu me lembro de você. É a novata não é? -A garota Beck perguntou.

-É eu acho que ainda sou. Você sabe onde estamos? -Mary perguntou á garota.

-Na sala do medo. Vamos ficar aqui até nos arrependermos do que fizemos.

-O que você fez para te colocarem aqui?

-Lembra quando você chegou? Todos viram o jeito que te tratei e me deduraram para a diretora desde então me colocaram aqui nessa jaula imunda á prova de qualquer poder que você tenha.

-É á prova de anjos e demônios?

-É á prova de tudo. Pode tentar. -Mary ao ouvir isso foi mais próxima às barras tentou entortar as grades da jaula apenas com a força das mãos.

-Não dá eu já tentei de tudo. -A garota começou a chorar.

-Calma Beck, alguém vai tirar a gente daqui.

-É impossível, todos esquecem da gente igual eu fui esquecida, essas pessoas são do mal, não ligam para as outras.

-É eu percebi. -Mary se referiu a mentira de Mellany sobre o caso com o John.

-Ainda mais que somos especiais, temos poderes extras, você é metade anjo e demônio eu sou metade vampiro e metade lobisomem.

-Jura? Achei que fosse mais um anjo ou fada.

-Não, eu sou apenas mais uma aberração da lua cheia. A propósito adorei suas asas.

-Jura? Obrigada. Aposto que você também é bonita quando vira lobisomem.

-Não se iluda, eu sou horrível. Todos temem que eu ataque alguém.

-Apenas nós duas temos "poderes duplos"?

-Não, a sua irmã também.

-Minha irmã? Eu sou filha única.

-Não, você tem uma irmã também.

-Você está enganada.

-Sério que você ainda duvida? Quem tem os mesmos poderes que você? Quem mentiu pra você em uma tentativa de te provocar que acabou nisso? Quem foi a primeira pessoa que você conheceu e fez amizade?

-Você quer dizer que Mellany é minha irmã?

-Claro. Ela é sua irmã, todo mundo sabe disso.

-Eu não sabia.

-Você não deve saber de muita coisa eu também não. Ás vezes eu tenho a impressão que a Dona Marta é minha mãe mas não fala.

-Por que acha isso?

-Eu me lembro que desde pequena eu fui a primeira a vir pra cá, era tudo tão novo eu lembro da Dona Marta, ela era demais até que seu marido foi assassinado por um de seus filhos então ela enlouqueceu e sempre me acusou de tudo, ela fez essa sala para esses "tipos" de pessoas.

-E quem matou o marido dela?

-Diz a lenda que ele se suicidou por que na época Dona Marta era louca e obcecada por bruxaria negra, ele sempre disse á ela pra tomar cuidado que um dia ela acabaria matando um deles ou acabaria com o casamento dos dois, então ele se suicidou já que ela não parou mais.

-Nossa, e como você sabe de tudo isso?

-Por esse colégio cada um conta um pedaço da história é só juntar os pedaços e montar o que aconteceu na época.

-Deve ter sido á milhões de anos.

-E foi mesmo. Nem existiam carros na época. -Beck disse rindo.

-Acho que tive o pensamento errado sobre você.

-É, e eu sobre você. -Beck sorriu.

-Agora vou dar um jeito de tirar a gente daqui.

-Ta bom, mas acho que não vai dár certo. -Quando Beck disse isso a porta pesada de aço e ferro puro se abriu e lá estava ela.

-May! Está machucada? -A garota perguntou irônica.

-Você vai pagar por tudo que fez Mellany.

-O que eu fiz? -Ela se fez de desentendida.

-Eu sei que você é a minha irmã.

Uma garota sobrenaturalLeia esta história GRATUITAMENTE!