o fim do início... nova vida!

40 3 3

O orfanato era realmente muito grande, haviam salas para todo lado, era muito bem organizado. Lauren não pode me mostrar a ala masculina do orfanato por que somente as tutoras são autorizadas a dialogarem com eles fora dos horários de integração.

Conforme fomos andando pelos corredores Lauren foi me passando os cronogramas e me explicando as coisas.

Em fim chegamos ao refeitório, era surpreendentemente grande, todos faziam as refeições juntos, por isso o tamanho.

Lauren me conduziu para uma fila e disse que eu poderia lanchar com os outros e depois ela me apresentaria para todos no final.

Pegeuei uma bandeija e escolhi oque eu queria comer e me sentei em uma mesa que haviam uma porção de gente só que eu não me aproximei, nem fiz contato visual, a primeira regra de sobrevivência: não olhe pra frente, somente pra baixo. Assim terminei de comer e fui jogar os restos na lixeira, olhando para baixo, quando de repente eu esbarro em uma menina, ela era muito bonita com os cabelos escuros e olhos pretos como dois pares de mármores polidos ate a perfeição. Ela olhou pra mim e eu levei um susto, não mais que ela, o lanche dela foi parar todinho em sua blusa, o suco de laranja sem gosto havia feito um estrago na parte da frente do seu uniforme. Ela olhou pra mim e disse:

- Presta atenção por onde anda, caloura!

- me desculpa - foi só o que eu consegui dizer.

Ela olhou pra mim e começou a rir, mais tipo dar gargalhada, não entendia o porque daquilo, ela deveria estar querendo me matar e não tendo crise de risos. Eu não conseguia desviar os olhos dela, ela tava tendo uma crise estérica, quando eu reparo pelo canto do olho q um menino branco miúdo sardento e de cabelos ruivos, vem em nossa direção, quando de depende ele para do meu lado e fica olhando de mim pra ela e dela pra mim. Reparando que eu estava ficando incomodada com a situação ele resolve começar a falar.

- relaxa é dai pra pior - ele disse olhando pra menina, vermelha já de tanto rir - quando ela fica nervosa ela começa a rir pra ver se não ataca as pessoas, questão de princípios - ele me olhava agora. - me chamo Lucky, e vc novata quem é?

- Jhenna - disse constrangida pelo climão que ficou, ele não disse mais nada.

Comecei a andar rumo a sainda quando sinto uma mão firme me puxar, quando me viro para manda Lucky me soltar me deparo com Lucy me olhando sem entender a minha braveza, mais não pediu pra mim explicar também, só disse:

- venha irei te apresentar para os outros internos.

Ai meu Deus tinha me esquecido completamente dessa parte final, meu estomago doía, minha barriga começou a doer, não sentia minhas mãos e minhas pernar tremiam.

Não foi tão ruim assim ela só disse meu nome e de onde eu era, nada mais, fui calorosamente recebida com um "BOAS VINDAS" coletivos.

No dia de hoje eu não ia direto para a ala escolar, me deram um desconto pelo que eu passei, então fui dormir um pouco antes que o restante das meninas chegassem pois iriam fazer a maior bagunça.o

Deitada na minha cama parei para pensar, esse foi o meu primeiro dia depois do que aconteceu. Nem parece que foi ontem, sinto como se tivesse acontecido a anos atrás  e assim adormeci perdida em um mar de pensamentos.

AbismosLeia esta história GRATUITAMENTE!