Capítulo 5 - Anne "Deus Quer"

44 3 7
                                    


Na quinta vida, encarnou como Anne Dieu-le-Veut (apelido que quer dizer "Deus quer") nascida na França, porém erradicada em Rio Claro, cidade de Trinidad e Tobago. Era conhecida por ser uma pirata muito mal com aqueles que tinham muito e não dividiam, por isso roubava dos ricos e dava e dividia certa parte com os pobres que era ceifados com altos impostos advindos da corte espanhola.

*escrito por Lívia - 8ºD

Um dia andando em sua cidade viu um homem com um sorriso largo em seu rosto passando do seu lado. Como uma conjunção de fatos temporais aleatórios, Anne (que já fora Jurandir) encontrou Henry Morgan (que já fora o Sr. Roberto da peixaria) então governador da Jamaica.

*escrito por Lara Macelly - 8ºD

Anne casou com um bucaneiro Laurens de Graaf um homem um tanto reservado tinha um bigode de cair o queixo. De todos os homens, tinha um cabelo longo e charmoso e seu rosto nem se falava: era o mas bonitos de todos.

*escrito por Gabriel Natanael - 8ºD

Laurens era perseguido por muitos malfeitores, pois diziam que a barba dele dava coragem e força, porém eram só boatos.

*escrito por Maicon - 8ºD

Anne e Laurens viajavam pelo mar do caribe (mar das antilhas) quando outros piratas chegaram para fazer uma guerra entre barcos. Então Anne, Laurens e sua tripulação começaram a guerrear contra os outros piratas.

*escrito por Ayslan - 8ºD

Anne comandava uma frota de navios equipados com canhões que atiravam o que havia de mais moderno: bolas de fogo . Anne e o Laurens desfrutavam desta vida turbulenta, onde cada dia, era uma batalha sem fim.

*Ariany - 8º D

Um dia, o casal de piratas começa a discutir por causa do barco que estava com o problema no leme. Graff tinha avisado a peça ia gualdir na mão de Anne. O aviso, repetitivo, foi indecoroso.

*escrito por Karina 9°D

Anne estressada com a reação de Graff retruca gritando mais alto que ele e os dois, então, entram em uma discussão e não percebem que o navio está indo para um recife de corais.

*escrito por João Vitor Leite 9°D

Com a distração, o navio se aproxima lentamente do recife e por fim encalha, ao perceber o que havia acontecido o casal culpa um o outro pelo acontecimento, que só piora a situação.

*escrito por Guinter 9°C

Graff então fala:

-Olha só o que você fez, como vamos sair daqui com esse barco encalhado? - indaga.

-Se você não tivesse discutido comigo, nada disso teria acontecido - retruca Anne.

*escrito por Karina 9ºD

Um marujo vê ao longe um navio da frota espanhola que não demora para começar a disparar projéteis incandescentes contra a embarcação.

*escrito por João Vitor Leite 9°D

O casal desesperado resolve se jogar ao mar e nadar até a ilha mais próxima. Ao chegar lá a correria não para, eles adentram a densa floresta e procuram uma forma de despistar os marinheiros da frota espanhola.

*escrito por Guinter 9ºC

Eles acharam um buraco muito fundo e tiveram que pular dentro para despistar os marinheiros. Então, o casal começa a cair de lá de cima e deram uma grande pancada no chão. Lá embaixo, acham um cadáver cheio de barro e aranhas, mas na mão do cadáver tinha um baú muito brilhante que chamava a atenção de qualquer um que olhava.

*escrito por Ayslan 8º D

O casal olhou o baú e viram um diamante muito lindo, mas imediatamente acionaram uma armadilha e um pirata saiu de uma porta que estava escondida.

*escrito por Lara Macelly 8º D

O pirata mistério pergunta a eles:

- O que vocês querem na minha ilha?

Os dois contam uma mentira dizendo que estavam perdido e que seu barco naufragou. O pirata muito desconfiado diz:

- Vão embora da minha ilha e não contem para ninguém sobre este lugar!

*escrito por Gabriel Natanael 8ºD

Graff olhou para sua mulher e ela piscou como se já tivessem combinado algum código corporal que indicava uma encenação do casal.

Então, eles saíram da ilha rapidamente com os diamantes e joias do encardido pirata, depois de um tempo o pirata percebe que havia ocorrido e proclama uma guerra com o casal. Jurando que iria matá-los custe o que custar!

*escrito por Isabelly Barbosa (8ºD)

Naquela noite, a chuva revirou o mar. O casal fugia remando em um barco pequeno, abarrotado de joias e ouro. No meio do metal, havia um cartaz identificando o pirata desconhecido: Edward Teach, o Barba Negra!


O InquilinoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora