ᴅᴏʀ - VIII

8 1 0
                                    

No primeiro dia,
eu senti dor.

No segundo, no terceiro
a dor se fazia tão presente na minha vida
que acabei esquecendo
da luz radiante,
que habitava em mim. E sempre habitou.

Foi então, quando perguntei ao sol
o segredo de tanto brilho
e majestade invejável

Perguntei,
se ele nunca havia sentido dor.

mas para minha surpresa, a resposta era:
sim.

"Acontece que a dor
é, de fato
um sentimento angustiante e
inevitável.

mas este sentimento nunca
poderia lhe arrancar o brilho
a essência,
a intensidade, e
a felicidade
que mora dentro de ti
pois isso, é inabalável
e dor alguma poderá jamais
a apagar"

em meio ao choro,
o olhei, e resolvi
ser como o sol.

— Eu decidi brilhar sozinha.

O Que Pensam As EstrelasOnde as histórias ganham vida. Descobre agora