ᴘᴏᴇᴍᴀ - VI

9 1 0
                                    

Então você lembra,
quando fiquei louca em minha falsa paixão por ti?

eu lhe fiz um poema, um dia antes de sua partida:

Desenhei tuas órbitas,
na linha dos meus planetas
Contei às estrelas de nêutrons
sobre o teu amor,
entorpecente como mel em minha garganta

Contei ao sol, o quanto eu amo teus detalhes,
Contei à saturno
que não mais invejava os anéis
que o rodeiam

pois agora tenho,

suas mão em volta do meu corpo.

e talvez me pergunte
o porquê de tudo isso
acontece que,
quis deixar registrado
que em um belo dia
alguém conseguiu mudar meu universo
para melhor.

E eu lembro
de sua reação
lembro,
de ter me olhado e,
só.

mas aquilo, por algum motivo
se igualava à um gratidão inexplicável
para mim.

então hoje percebi,
que não tinha feito um poema para você

e sim,
uma dedicatória secreta
à mim mesma

Ninguém entenderia.
universos costumam pensar
que se amar é gostar do que vê

mas eu me amei,
em palavras
que jamais seriam compreendidas
por alguém que não soube me ler

E esse alguém era Você.

— Eu era imensa demais para a sua visão rasa.

O Que Pensam As EstrelasOnde as histórias ganham vida. Descobre agora