- Dizem também que aos vinte e três anos, o FBI em pessoa entrou em contato com o comandante Ross, mas ele não abriu mão da Área Militar para atuar com os federais. - Chloe completou.

- O FBI não é uma pessoa. - Lucy a corrigiu, fazendo com que Chloe revirasse os olhos, demonstrando desinteresse pelo seu comentário.

- E se tudo isso é verdade, o que aconteceu com Kian para que ele viesse parar na Área Militar? - Perguntei.

Chloe me olhou como se me recriminasse por chama-lo assim. Foi como ele se apresentou para mim. Que mal podia existir naquilo?

- A mesma coisa! Os pais foram mortos praticamente na mesma semana da explosão na casa dos pais do Primeiro. A diferença é que quem atacou os pais do comandante Ross foram pegos e condenados no mesmo dia. Acho que isso os uniu e fez com que se fortalecessem juntos. Eles são os maiores daqui. Os que mandam em tudo, mas você já deve ter notado a diferença entre eles. - Claro, eu havia notado. - Ross é muito mais agradável, mesmo que seja raro vê-lo conversando com algum de nós, pobres mortais. - Ela fez parênteses com os dedos. - Você consegue ver em seu rosto que ele conseguiu superar algo que o Primeiro não conseguiu. - Lucy colocou simbolicamente a mão sobre o peito.

- Policial bom e mal. Já viu isso em filmes? São os dois. - Chloe sorriu. - A única coisa que eles concordam em absoluto é sobre a punição dada a quem tenta abusar de alguma das garotas. Os dois são muito protetores, o que faz deles os comandantes perfeitos para estarem no poder.

- Até que enfim, a voz da sabedoria começou a falar. - Lucy provocou Chloe.

Não prestei atenção na resposta mal-educada que se sucederia. Comecei a pensar novamente em qual seria a punição para alguém que faz uma atrocidade dessas.

- E lá vem ela! - Chloe trincou os dentes, olhando por cima do meu ombro.

Senti um perfume forte adocicado no ar e quando me virei, vi uma garota incrivelmente loira, com um vestido cintilante cor de marfim e grandes saltos altos azuis. Seus olhos negros me encaravam.

- Belas calças. Está super combinando! - Ela começou a rir alto e as duas garotas que a acompanhavam fizeram o mesmo.

- Sai daqui, sua vadia! - Chloe gritou se levantando. Permaneci parada, sem graça. Não tive palavras para responder. Fiquei feliz por Chloe interceder.

- Vamos, Hannah! - A morena ao seu lado segurou levemente seu braço. - Sabe que não podemos arrumar problemas com os comandantes. - Ela sussurrou, mas mesmo assim pude ouvir.

- Talvez seja disso que estou precisando! - Ela limpou o brilho labial dos cantos dos lábios. - Um momento a sós com algum deles. Uma briga me levaria a isso?

- Anda, vamos! - A morena conseguiu arrastar ela para longe antes que Chloe desse uns tapas naquela doida.

- Quem é essa? - Perguntei sentindo meu rosto em chamas de vergonha.

- Hannah Collins! - Lucy praticamente cuspiu o nome. - Ela se acha a melhor.

- Uma hora, vou mostrar para ela quem é "a melhor". - Chloe estalou os dedos e até eu fiquei com medo, vendo o ódio em seu olhar.

- Qual é a dessa garota?

- Kim, é bem simples. Hannah vive por dois motivos. Número um: Tentar ficar a qualquer custo com algum dos comandantes, mas apenas com os maiores. Já que Jason é intitulado como o "Terceiro quase nada comandante", ela não se importa com ele. Número dois: Infernizar qualquer ser vivente que cruze o seu caminho. - Lucy disse enojada.

- E ela já ficou com algum deles? - Assim que as palavras saíram da minha boca, me senti uma idiota.

- Claro que não! Você ouviu o que eu disse? O Primeiro e Ross são intocáveis. Nenhuma das garotas da Área Militar sequer chegou perto deles. Até mesmo Hannah, que às vezes se arrisca, nunca se aproximou o suficiente. - Não sabia se tinha ficado aliviada com o que Lucy disse, mas uma pergunta não saia da minha cabeça. Por que eu me importava?

Área Militar -DEGUSTAÇÃO Onde as histórias ganham vida. Descobre agora