Capítulo 5

664 35 2

-Obrigada gente, por me ajudar.

-Não á de quê, prazer meu nome é Débora mas todos me chamam de Debby, e esse é o Joe.

-Prazer. Meu nome é Mary mas todos os meus amigos me chamam de May.

-Quer dizer que somos seus amigos agora?

-É pode se dizer que sim. -Mary disse e todos riram amigáveis.

-Vamos beber alguma coisa agora, quer vir com a gente May?

-Claro. -Mary ficou empolgada em sair com os demônios mais populares do lugar.

-Ok, vamos. -Joe disse e todos seguiram até á "cantina" com algumas mesas de cor marrom, pura madeira.

-O que vai querer? -Joe perguntou.

-Tem café?

-Claro. Vou pegar. -Disse Debby e foi indo pegar algumas bebidas.

-Valeu. -Disse Mary que se sentou em uma das mesas.

-E então, quando descobriu que era diferente dos humanos? -Joe puxou assunto com Mary.

-Como assim?

-Você sabe, "diferente".

-Ah, um demônio/anjo?

-Sim.

-Bom, minha mãe me contou isso ontem foi um choque pra mim.

-Imagino. -Joe disse e riu.

-Oi sumida. -Mary reconheceu a voz de John.

-Ah, oi John. -Com pressa ele puxou Mary pelo pulso, como sempre.

-O que está fazendo? Andando com um demônio por ai como se fosse seu melhor amigo?

-Ele é apenas um amigo John, conheci ele hoje na aula.

-Ah, e você acha isso legal? Você nem sabe diferenciar se alguém é do mal ou do bem.

-E quem liga pra isso?

-A maioria das pessoas.

-Pois é, mas você não vai ficar o tempo inteiro comigo, você não é da mesma espécie que eu, aceite isso.

-Por que derrepente ficou furiosa comigo? O que eu te fiz?

-Quer saber? Me desculpe, ok? Eu acho que me empolguei demais nessa coisa de ser demônio e anjo ao mesmo tempo, eu estou cansada. Só vou tomar um café e ir pro meu quarto dormir, está bom pra você?

-É, eu acho que sim.

-Eu volto daqui a pouco. -John disse meio abalado e saiu da cantina deixando Mary e seus novos amigos juntos outra vez.

-Seu namorado? -Debby perguntou entregando o café á ela.

-Não, é apenas um amigo. -Mary disse rindo e bebendo quase todo o café.

-Ele parece gostar mesmo de você. -Joe disse e sorriu.

-Vocês acham? -Mary se engasgou ao ouvir aquilo.

-Temos certeza. -Debby disse rindo.

-Vou falar com ele. -Mary disse bebendo o último gole que havia sobrado no fundo do copo.

-Ok, tchau May.

-Tchau gente. -Mary seguiu em direção ao quarto dela onde viu John encostado na porta.

-Oi. -Disse ela.

-Oi. -Respondeu John.

-Você está tão diferente. -Mary disse ao garoto que usava calça jeans e camisa xadrez azul aberta.

Uma garota sobrenaturalLeia esta história GRATUITAMENTE!