16-a foda inesperada

2.5K 126 25
                                    

Ja se passaram três meses, não tive nenhuma notícia de joanny durante esse tempo e também não procurei, as coisas estavam diferentes, eu fiz amigos na faculdade, saia todo fim de semana, bebi mais que antes, meu pai ja havia voltado da viagem de trabalho e estava me ajudando a comprar uma cobertura no centro de toronto, eu ja estava velha demais parar morar com meu pai, queria a minha independência.
Me envolvi com algumas garotas, mas nada sério, continuei com a decisão de não me envolver amorosamente com ninguém.
você deve estar se perguntando
"o que houve com você e Catarine?"
nós ficamos juntas por 3 semanas, mas Catarine ficou muito apegada a mim, agia como uma pessoa possessiva, e todos sabemos que eu sou do tipo que odeia melação, me custou muito terminar com catarine, ela era uma pessoa legal, bonita, inteligente e engraçada, não vamos esquecer do gostosa né?
catarine foi minha submissa durante essas 3 semanas, foi legal até, mas por onde será que Joanny está? ela pediu as contas no tio Ray, sumiu do mapa completamente.

*Sábado*
acordei as 10:00 Am e fui para o banheiro, tomei um banho, lavei o meu cabelo, escovei os meus dentes e sai do box, passei meus produtos para a pele seca e um protetor solar, ja sentia o cheiro de ovos mexidos e bacon, meu pai ja estava acordado
coloquei uma calça xadrez, meias e um blusão preto, desci as escadas e...

- Bom dia dorminhoca

- KETLYN? o que você esta fazendo aqui? cade o meu pai

- que bela recepção hein? primeiro, estou aqui porque soube que joanny foi embora, então...

- ah, isso? esquece, nada vai acontecer entre mim e você ketlyn, supera

- você é um saco mesmo em? enfim, segundo, seu pai saiu muito cedo com o meu, decidi fazer seu café da manhã

- não precisava, não estou com fo.... - minha barriga roncou alto e fez ketlyn soltar uma risada

- não vai te matar se comer a minha comida Dacota, é apenas comida

- tem certeza que não tem veneno ai?

- quer que eu prove?

- va em frente, faça isso

Ketlyn pegou uma colher e comeu um pouco dos ovos e uma tira de bacon

- pronto

- hmm, suspeito

- voce me odeia ou o que?

- na verdade eu só estou zoando com a sua cara, é uma manhã tediosa

- chata, agora vai comer ou posso jogar fora?

- só vou comer porque estou com MUITA preguiça de fazer minha própria comida

- não precisaria fazer sua própria comida se ainda fosse minha dominadora

- posso comer em paz ou vou ter que te expulsar?

- grrr - ketlyn rosnou e revirou os olhos - toma, rabugenta

- grata

- quer mais alguma coisa?

- não.

- tem certeza? - ela me olhou com cara de safada

- absoluta.

- eu posso... sei lá, ficar pelada em cima da mesa enquanto você come

- ketlyn!

- ah vai, por favor...

- não obrigada

- então uma massagem?

- meu deus como voce é insistente

- só um pouquinho, me deixa te servir, não vai te matar

- meu deus ketlyn você é um saco

- vai lili........

- faz o seguinte então

- e la vamos nós  - ketlyn disse empolgada

- vai la em cima, coloca aquela lingerie, volte aqui e me faça massagem nos pes, quer ser minha cachorra hoje? ótimo, não vou aliviar

- era o que eu queria ouvir de você

- o que disse?

- senhora! sim senhora

Ketlyn correu para cima, eu não aceitei pela insistência, aceitei porque ketlyn queria me dar e eu estava louca pra foder alguém, eu sei, eu tinha muitas outras escolhas, mas ketlyn estava mais fácil e eu poderia sentir o cheiro dos hormônios dela, estava louca pra gozar

Ketlyn então voltou vestindo uma lingerie branca e transparente, ela rinha um corpo muito bonito, pena que é uma menina emocionada demais, ajoelhou no chão e começou a me fazer massagens nos pés, ela adorava, tinha um fetiche por eles, deixar ela fazer isso era como uma preliminar

- eu senti saudade dos seus pés senhora

- sentiu mesmo?

- sim senhora

- então beije-os

Ketlyn beijou os meus pés

- levante-se, venha até aqui

então ketlyn veio até mim com a cabeça baixa

- masturbe-se pra mim

ela salivou em dois dedos e colocou eles por dentro da calcinha, começou com movimentos leves, enquanto eu estava sentada na cadeira olhando tudo com muita atenção
levantei da cadeira, coloquei uma mão atrás do cabelo de ketlyn e com um movimento eu a fiz virar de costas pra mim e ficar de quatro na mesa

- agora você vai vai gemer bem alto - eu disse baixinho no ouvido dela

  Ketlyn ja estava toda molhada, então não precisei molhar os meu dedos, passei bem devagar por cima do clítoris dela, que deu um gemidinho por estar tão excitada, e então introduzi, comecei a meter com força

HMMMMMMM
AAWWNNNN

Ketlyn gemia bem alto

-por favor não...para

- cala a boca, continua gemendo vadia

Ketlyn amava tudo o que era xingamento ou algo que a envergonhasse, ela gostava de ser rebaixada, isso deixava ela com muito tesão

então ela continuou gemendo

- eu... eu vou gozar...

- agora não! - e parei de meter em ketlyn - vai pro meu quarto, agora

ela não me respondeu e subiu correndo, fui atrás andando, até chegar a porta do meu quarto, ela ja estava me esperando de quatro na cama

- isso mesmo, é assim que você tem que ficar, de quatro igual a uma cadela

Peguei minhas algemas e coloquei elas no pulso  de ketlyn e na cabeceira da cama, fazendo ela ficar com os pulsos juntos e a bunda empinada para cima

- qual a palavra de segurança ketlyn?

- azul senhora

- isso

peguei o açoite fino, aquele que arde e deixa marcas finas
comecei a bater com ele em ketlyn, que se contorcia e gritava, mas nunca dizia a palavra de segurança

- sua vadia masoquista, eu quero ouvir o seu choro hoje

ketlyn gemia, reclamava e pedia para parar

AAWWNNN
PARA
PARA POR FAVOR
HMMMMMM
AAWWNNNN
ME FODE, por favor....

e então larguei o açoite, virei ketlyn, abri as pernas dela e comecei a chupar, ela gemia mais alto e implorava pra não parar
coloquei dois dedos enquanto a chupava, a sentia tremer e ferver por dentro

- aaawnnn, lili...

- fala meu nome mais alto sua putinha

- hmmm LILI

- boa garota

- e-eu....

- vai gozar?

-s-simmawwnnnnn hmmmmmm

Ketlyn gozou na minha mão

o lado escuro do sexoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora