Capítulo 3

673 46 1

-Como assim? -A garota perguntava sem entender.

-Calma, preciso que você se acalme. -A mãe disse passando as mãos levemente nas costas da filha que ainda se contorcia de coceira.-Não coçe você pode machucá-la.

-Pode me explicar o que é isso?

-Filha, você é um anjo.

-O que? O que você está falando?

-Você é um anjo, você sabe, seres vivos de asas e auréolas.

-Você está de brincadeira comigo mãe?

-Não, seu pai também é um.

-E por que me contou isso agora?

-Você nunca acreditaria.

-É, eu ainda não acredito.

-Isso é uma tatuagem?

-Mais ou menos, sua asas estão se formando na pele uma hora ela vai se formar por completo e finalmente vai sair e vão estar prontas para estrear.

- E como eu vou usar minhas roupas?

-Quando não for usá-las elas ficaram na pele como se fossem uma tatuagem, mas vou avisando logo que elas não aguentam ficar muito tempo dentro da pele, uma hora ou outra ela vai sair e não importa o que estiver na frente delas.

-Quer dizer que meu pai tem isso?

-Não, ele não tem asas igual á você mas ainda tem os mesmos poderes.

-Eu tenho poderes?

-É capaz. Já que você é um anjo. E não é só isso.

-O que é?

-Você também tem o meu sangue, e por tanto você é um demônio.

-Eu o que? -A garota perguntou. -Eu devo estar sonhando.

-Você não está sonhando Mary. Isso é real. Essas coisas existem.

-Agora só falta dizer que depois que eu ter minhas asas finalmente completas vou estudar em uma escola como em Hogwarts.

-Como adivinhou?

-O que? Isso existe?

-Claro que existe, mas não é tão perto. E também não é HogWarts, você não é uma bruxa ou bruxo.

-Que se dane, mas segundo você eu sou um ser com asas e olhos negros. Como nunca reparei nisso? -A garota temia.

-Vai dár tudo certo querida.

-Não, não vai. Eu não sou humana e de alguma maneira você mentiu pra mim durante meus 18/19 anos. E o meu trabalho o que eu vou fazer?

-Vai sair, é simples.

-O John, ah droga. -Mary disse com lágrimas nos olhos.

-Vocês nem são tão amigos pare com isso.

-Não! Não vou parar. -A garota disse com voz de choro. -Você nem liga não é? Minha vida tá um lixo e você nem se importa.

-Claro que me importo é por isso que quero te ajudar.

-Quando vou partir?

-Que tal depois de amanhã?

-Depois de amanhã é sábado. É pode ser.

-Ok. Vou ligar pra lá e ver se você pode ir no sábado.

-Ok, amanhã pegarei minhas coisas no Starbucks e depois virei direto pra cá arrumar minhas malas. -A garota dizia sentada na cama vestindo a blusa.

Uma garota sobrenaturalLeia esta história GRATUITAMENTE!