Capítulo 2

838 42 0

-Melhor eu continuar meu trabalho, com licença moço.

-Meu nome é Josh Ackles, mas pode me chamar de John.

-Ok, John. -A garota sorriu fazendo o garoto sorrir.

Enquanto Mary trabalha, John não tirava os olhos dela que por puro azar notou que seus amigos perceberam.

-Hum, acho que você gostou da garota. -Ashton, o garoto loiro disse e sorriu bebendo um pouco do café que havia pedido.

-Ela é bonita. -John disse dando de ombros.

-Por que não chama ela pra sair? -Ryan, o ruivo perguntou.

-Sei lá. Não tenho coragem. -John respondeu olhando para o café que tomava, queria parecer distraído.

-Ah, pode chamar se não eu mesmo chamo. -Ryan disse e fez John olhá-lo sério.

-Ué. -Ryan disse.

-Ok, eu vou chamá-la. -John disse e seus amigos levantaram.

-Onde vão?

-Vamos embora. -Ash disse.

-Me esperem.

-Não. -Ash disse bloqueando a passagem de John. -Você vai pegar o telefone da garota e chamá-la pra sair e vai levá-la pra casa.

-Mas...-John tentou completar a frase mas Mary foi até a mesa pegando os copos que haviam deixado.

-Querem mais alguma coisa?

-É...si...não. -John se atrapalhou nas palavras fazendo Mary ficar confusa.

-Sim, ele quer seu telefone. -Ash disse e John ficou vermelho de vergonha colocando os óculos para esconder o olhar.

-Não entendi. -Mary disse ficando com um pouco nervosa e rindo fraco.

-Eu quero seu número de telefone, celular sei lá. -John disse meio sem graça e nervoso. Quando menos esperaram viu que seus amigos haviam ido embora, apenas ouviram o sino da porta de vidro tocar e então sumiram.

-Isso é sério? -Mary perguntou.

-Bom, se não quiser me dar eu vou entender.

-Não, tudo bem. -Ela disse e sorriu. Vem comigo. -Mary disse e foram até a porta dos fundos onde Mary pegou uma caneta e um papel em seguida escreveu seu número de celular e deu ao garoto.

-Valeu. -Ele disse sorridente.

-Não á de quê.

-Quer um acompanhante até a sua casa?

-Quero. Seria bom.

-Então, Ok.

-Só vou limpar as mesas e já vamos. -Mary disse e sorriu.

-Ok, eu posso esperar. -Ele disse e Mary entrou no quarto dos fundos para pegar um pano limpo mas não percebeu que seu chefe estava lá.

-Só vou limpar as mesas e já fecho.

-Conheceu o garoto agora?

-Sim. -Mary disse sorridente.

-Pode deixar eu limpo as mesas pode sair mais cedo.

-Não, é meu dever limpá-las.

-Por favor, pode ir.

-Não vai descontar do meu salário? -Mary disse rindo e seu chefe não se aguentou e também riu.

-Não, não vou.

-Ok. Tchau Steve.

-Tchau. -Ele disse e Mary saiu deixando o avental pendurado nos ganchos especializados. John encostado no balcão apenas esperando pela garota.

Uma garota sobrenaturalLeia esta história GRATUITAMENTE!