Capítulo 5 - O Segredo do Barão

99 11 10
                                                  

     A temperatura do quarto estava amena graças ao ar condicionado. Por mais que se esforçasse não conseguia entender como os brasileiros conseguiam viver em um lugar tão quente. Viver em um país frio boa parte do ano tinha suas vantagens.

     Sentado em uma cadeira próximo a janela, Pedro observava de sua luxuosa suíte o vai e vem dos carros e pessoas enquanto na tela de seu notebook avaliava a abertura do mercado asiático. Parecia que seria um bom dia para negociar, ou melhor, uma boa noite para negociar. Afinal enquanto no Brasil era noite, do outro lado do mundo o dia só estava começando.

     A suíte de 200 metros quadrados possuía cortinas automatizadas que cobriam as janelas de vidro, estas ocupavam todas a janelas externas. A banheira de mármore carrara do quarto rivalizava apenas com a dos aposentos da duquesa que por questão de diplomacia interna ocupava a maior suíte do hotel.

     Um olhar rápido faria qualquer observador menos atento ver apenas um simples homem de meia idade bem sucedido nos negócios

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

     Um olhar rápido faria qualquer observador menos atento ver apenas um simples homem de meia idade bem sucedido nos negócios. Entretanto um observador mais atento perceberia outros detalhes, a 9mm escondida em uma gaveta levemente aberta próxima a mão direita, um computador militar de alta performance cujo o modelo não está disponível para compradores comuns e uma tela pequena aberta que transmitia imagens do corredor da suíte em tempo real direto para o computador do misterioso investidor odessense.

     Se dependesse dele nunca mais regressaria ao Brasil, entretanto a estranha notícia dada por seu irmão havia o deixado perplexo. A mulher que ele havia conhecido em sua viagem para o Brasil quinze anos antes havia falecido e deixado um filho com quase a mesma idade da viagem. Seria isso apenas coincidência?

     Coincidência ou não ele precisava descobrir se aquela história é verdadeira. Será que após tantos anos havia mesmo a possibilidade de ele ter um filho, justo na sua viagem de fuga?

     Ainda não havia pensado nas consequências da descoberta no seu relacionamento com Mahara, sua namorada a quase dois anos. Mas se fosse verdade não poderia simplesmente abandonar um herdeiro, ainda que quinze anos atrasado. Entretanto havia outro problema. Será que seu filho o aceitaria?

     "Não se abandona o sangue", dizia seu pai quando ainda vivo, e Pedro não iria desonrar a memória do pai.

     Tentando esquecer o dilema voltou sua atenção para aquilo que havia construído seu pequeno império bilionário. Observando os gráficos o investidor começou suas análises iniciais com cinquenta mil dólares e foi expandindo até chegar a duzentos mil. Havia conseguido um lucro considerável em quase trinta minutos, era hora de parar e relaxar.

     Ligou para a recepção e pediu um pouco de chá verde, em seguida abriu um site de streaming Amazaflix e procurando sua série de animação japonesa predileta, foi quando seu celular tocou e no topo da chamada surgiu em azul o aviso "TRANSMISSÃO PROTEGIDA".

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.
O Filho do BarãoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora