Parte 6 - Final

1.9K 277 43

Miguel

Tão bonita quanto eu me lembrava, senão mais. Falando assim parece que se passaram muito mais que 2 semanas, mas a verdade é que pareceu uma eternidade.

─ Oi – eu gaguejo, esquecendo tudo que eu venho planejando dizer.

Ela não responde nada de volta.

─ Você não fala muito, não é mesmo? – em novos gaguejos, eu tento fazer uma piada.

Ela desce os degraus restantes e seus lábios, antes separados pelo susto, se torcem numa espécie de sorriso.

─ O que você está fazendo aqui? – ela murmura.

─ Sou seu novo vizinho – eu murmuro de volta.

─ O da frente? Nem pensar. 

─ Eu disse que estaria de mudança – eu respondo.

─ Era desse tipo de mudança que você estava falando? – ela ri. – Eu achei que fosse mudança de espírito, ou sei lá, depois daquela coisa da maldição.

─ Quando voltei de viagem, minha mãe estava noiva daquele namorado que eu te disse, então a gente ia se mudar de qualquer forma e essa casa estava na lista de casas a serem visitadas. Eu só fiz uma forcinha, ligando pras outras casas com outros nomes e oferecendo fortunas que não existem para que dissessem para minha mãe que as casas já estavam reservadas. De forma que só sobrou essa, no seu bairro – eu digo tudo rapidamente, e ela tem uma pequena crise de riso.

─ Sentiu minha falta? – eu toco seu braço e ela amolece.

─ Mais do que qualquer coisa.

--

Giovanna

Quem roubou meu ar? É sério, preciso dele de volta antes que sufoque.

Não acredito, simplesmente não dá pra acreditar que Miguel é meu novo vizinho. 

─ Eu também senti muito a sua – seu braço passa por minha cintura e meu livro cai no chão.

Nós dois nos abaixamos juntos para pegar. Tocamos o livro ao mesmo tempo e, de olhos colados, nos levantamos novamente. Respirar, respirar, respirar.

─ O verão ainda não acabou – eu digo por fim. – Eu ainda sou seu sonho de verão?

Ele pega o livro da minha mão para um exame rápido e me devolve com aquele sorrisinho torto formidável. 

─ Não.

Meu coração cai por terra e meus olhos se enchem de lágrimas. Tenho vontade de rasgar o livro e de fugir pra longe. Tudo junto.

─ Você é meu sonho de todas as estações.

Meu coração volta pra dentro do meu peito em um segundo, porque ele parece querer sair da minha boca.

─ O que? – balbucio.

─ Nós somos muito mais que apenas um caso de verão e eu achei que você soubesse disso – ele passa seus dedos pelo meu pescoço e fica muito complicado respirar de novo.

─ Eu sempre soube – eu respondo me esticando para beija-lo. 

~~

Miguel

Giovanna salvou minha vida. 

Todo dia 25 de Dezembro será motivo de alegria extrema, por causa dela. Se aquele menino na manjedoura fez isso por intermédio dela, só tenho que agradecer. Pelo resto da minha estadia terrestre.

Porém, Giovanna fez muito mais que destruir uma maldição horrível. Ela reavivou minha vida, antes limitada e mal vivida.

Ela me mostrou que detalhes são importantes e que sentimentos tem que ser declarados. Encheu minha vida de cor, de felicidade.

Mesmo que ela não saiba que tenha feito nada disso, fez.

─ E ai, que tal me mostrar o quarto onde eu vou ter que passar as noites escondidas? – eu digo, rindo entre um beijo e outro.

─ Seu bobão! – ela ri, me dando uma livrada. – Quem chegar por ultimo vai ter que falar “eu te amo” mil vezes.

─ Ah nãão! – eu finjo desespero quando corro escada acima, atrás dela.

Mas a verdade verdadeira é que: mil vezes ainda não seriam vezes suficientes.

Pobre é o amor que pode ser medido.
Shakespeare

Fim.

~~~~~~~~~~

Bem gente, é isso! Obrigada por terem lido!
Uma das minhas metas do próximo ano é usar mais o wattpad!
Então, esperem novidades :D

Obrigada pelo carinho neste ano de 2014, aqui no wattpad e em todas as outras redes. E ao vivo também. 

Feliz Ano Novo! 

Falando em ano novo, não esqueçam que tem livro meu (e da Aimee e da Thati) sobre o tema lá na Amazon custando só 3 reais! Chama-se Papel, Caneta e Ação!

25 de Dezembro: sonho de uma noite de verãoLeia esta história GRATUITAMENTE!