I - O Encontro

Começar do início

Era um jovem sonhador, como muitos por aí. Gostava de física e astronomia. Queria ser um grande físico e descobrir os segredos do universo. Quando Nícolas observava os céus à noite, parecia que as estrelas o chamavam ao encontro delas e ele, às vezes, sentia um arrepio, como se fosse tocado por aqueles astros ou se seu corpo quisesse viajar, contatar as estrelas. Não havia dúvidas, ele gostava disso. Por isso, estudou bastante e conseguiu cursar Física na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, cidade onde morava. Mas o garoto também sentia um grande vazio no coração, principalmente quando desde criança via os amigos passeando com o pai, a figura que não existia em sua vida. Sua mãe fazia o papel dos dois desde que o marido sumira mesmo antes de o menino nascer. Olhando pela janela do ônibus uma paisagem que ele não contemplava, pensava na sombra de alguém que sempre sonhara ter em sua vida para aconselhá-lo, ir a um jogo, contar seus problemas e abraçar nos momentos de necessidade. 

Quando caiu em si, passou o dorso da mão sobre os olhos marejados na ausência de um lenço que não gostava de usar.

Em seguida, o jovem desceu do ônibus e entrou na faculdade. O campus estava lotado, alunos e professores caminhavam por todos os lados para chegarem às salas de aula. Logo na entrada, o garoto encontrou seu amigo Sanches, um mexicano naturalizado americano. Ele falava a língua inglesa com perfeição, pois vivera a maior parte de sua vida nos Estados Unidos.

– Oi, Nick. Como vai, hombre? Hoje vamos conhecer uma nova disciplina. Começaremos aquela matéria para a qual nos inscrevemos no início do semestre, lembra?

– Claro, amigo. O curso demorou tanto para começar... Já estava pensando que tinha sido cancelado. Estou ansioso para conhecer a nova matéria... Dizem que vamos estudar as profundezas do Universo neste curso de Cosmologia.

A matéria nova era o assunto do dia. Ela era esperada, no entanto demorou a acontecer por não encontrarem o professor adequado para dar as aulas. Aquela seria uma das primeiras faculdades dos EUA a ter a matéria, o que deixava todos os alunos ansiosos para assisti-la. Os três primeiros tempos de cinquenta minutos de aula se passaram e os estudantes estavam entusiasmados para conhecer o novo professor. Às onze horas, o sinal tocou avisando o fim de aula. Poucos alunos saíram, mas muitos entraram para o novo curso, deixando a sala cheia de curiosos.

Finalmente, entrou o coordenador do Curso de Física, Doutor Finken, para falar com a turma alvoroçada:

– A partir de hoje, a matéria de Cosmologia será ministrada para aqueles que se inscreveram no início do período. Pedimos desculpas pela demora, contudo após a desistência do professor Ernest Franklin, a coordenação do curso teve alguma dificuldade em preencher o cargo e, por este motivo, vocês ainda não haviam tido aula. Felizmente, após uma intensa busca, conseguimos um profissional muito competente para ministrar a disciplina, que estuda o espaço sideral e os grandes segredos conhecidos atualmente pelos homens. Conheçam o professor Carlsson Glein, que é doutor em Cosmologia.

O coordenador se encaminhou para a porta e abriu-a, dizendo:

– Pode entrar, Doutor Glein.

O mestre entrou em sala e, junto com o coordenador, ficou esperando as palmas de boas-vindas, mas a turma ficou em silêncio. Isso porque logo atrás dele entrou a garota mais bonita que Nícolas jamais vira antes. Era uma nova aluna que atraia toda a atenção da turma, uma figura surpreendentemente bela que se posicionava à entrada da sala.

Assim que ela entrou, o mundo deixou de existir para Nícolas. De olhos arregalados, ele viu que a moça tinha os cabelos ruivos, fartos, até o pescoço; uma pele lisa e branca, parecia até porcelana; os olhos azuis, os lábios grossos e um corpo escultural, como se fosse feito por algum grande mestre renascentista.

Os Filhos do Tempo - Vencedor do Prêmio #WattysLeia esta história GRATUITAMENTE!