31° Capítulo - Stockholm Syndrome

9.6K 794 310
                                    

Eu sei que em breve eles chegarão para me encontrar
Mas minha Síndrome de Estocolmo está no seu quarto
É, eu eu me apaixonei por você

Amor, olhe o que você fez comigo (oh!)
Amor, olhe o que você me fez agora (oh!)
Querido, eu nunca irei embora se você continuar me segurando desse jeito (oh oh oh oh, oh oh)
Amor, olhe o que você fez comigo (oh!)
Amor, você me tem amarrada (oh!)
Querido, eu nunca irei embora se você continuar me segurando desse jeito (oh oh oh oh, oh oh)

Durante minha vida toda eu tenho ficado na minha
Eu uso uma luz para me guiar até em casa
Mas agora, juntos, estamos sozinhos
E não há outro lugar que eu queira ir

Amor, olhe o que você fez
(veja o que você fez para mim)

Stockholm Syndrome - One Direction
_________________________________________


—Amor? Já acordou... - Yan entra no quarto e encontra Halya já arrumada, e a olha de cima a baixo. - Amor, onde vai?

—Ao cinema. - diz enquanto coloca seus brincos de frente ao grande espelho, o homem uni aos sobrancelhas.

—Não, você não vai. - cruza os braços.

—Ué, por que não? - ela se vira de frente para ele.

—Tem gente querendo sua cabeça, Halya! - diz sério. - Não vai e ponto final.

—Mas... amor... - ela diz fazendo um beicinho, levando os braços ao pescoço do rapaz. Ela sabia que ele nunca negava algo a mesma quando fazia tal ato.

—Não adianta fazer essa carinha, querida. - ele sorriu, mas seu sorriso se fecha quando a garota o encara seria, cruza os braços e bate freneticamente o pé direito no chão, o fazendo engolir em seco. - Está bem, pode ir... - diz contra gosta e ela abre um sorriso novamente.

—Prometo que volto em quatro horas. - ela lhe da um selinho.

—Quatro horas? Vai assistir um documentário?! - diz irônica e irritado.

—Não se preocupa, Andy vai comigo e Thomas também.

— É claro, agora sim sou ficar despreocupado. Você com o idiota do Anthony e o" bonito " como você mesma disse, do Thomas. - claramente irritado, ela sorrir e leva suas mãos para o cinto do rapaz, o abrindo.

—Amor, ele pode até ser bonito... - diz enquanto passa suas mãos pelo peitoral do rapaz e desabotua sua blusa. - Mas você é lindo, gostoso e o melhor namorado do mundo... - ela sussurra enquanto beijava seu pescoço, seguindo até sua orelha.

—Correção... - ele coloca as mãos sobre sua nuca e puxa pouco seu cabelo enquanto olhava em seus olhos. - Eu sou lindo, gostoso e o melhor noivo do mundo. - ele ia beija-lá, mas a menima desvia fingindo estar confusa.

—Noivo? - ele inclina a cabeça para o lado.

—Sim, querida, noivo! - ele a puxa pela cintura colando seus corpos. - Fizemos um acordo ontem, coisa linda. - ele sorrir, ao contrário de sua companheira que parece ter ficado furiosa.

—Acôrdo?! - ela se afasta e ergue a sobrancelha. - Assim como o de namoro?!

—Sim, docinho. - ele sorrir, ainda desentendido.

—Me sinto honrada, Megalos. - diz em tom de ironia e deboche colocando sua jaqueta indo em direção a porta.

—Ué, docinho?

—O quê é?! - se vira ainda brava para encará-lo

—Achei que íamos fazer como coisa aqui sabe... - ele aponta para seu corpo que estava com sua blusa aberta e calça também.

—Achou errado. - ela saiu furiosa, o deixando totalmente confuso.

Enquanto arrumava suas vestes, Yan foi pensado o que disse de errado para sua garota ficar brava com ele tão repentinamente. Assim que terminou, desceu para o primeiro andar da mansão encontrando somente Matheo.

—Halya já saiu? - Megalos pergunta.

—Já, e irritadíssima. O quê você fez? - Matheo questiona.

— Nada! - ele se joga no sofá. - Estávamos conversando muito bem, o clima estava esquentando, ai eu falei sobre nosso acôrdo, que agora eu era noivo dela e não namorado ai ela ficou puta da vida. - ele suspira. - Entendi foi nada...

—E o que ela disse depois?

—" Acôrdo? Assim como o de namoro " - ele afinou a voz na tentativa de imitar a garota. - Ser um homem apaixonado é muito complicado, irmão.

— Você é mais idiota do que eu imaginava. - leva sua bebida amarelada a boca.

—Por quê? - questiona confuso.

—Você pediu ela em namoro? Tipo, fez um pedido de verdade? - se senta no braço do sofá.

— Não... - apoia os cotovelos nas pernas.

—Fez um pedido de casamento de verdade? - o mais novo nega com a cabeça. - E como você quer que ela não fique irritada se nem um pedido decente de casamento você faz filho da puta!

—Você acha que é isso? Caralho... - ele coça a nuca se ligando que isso realmente deixou sua garota irritada. - Eu acho que não era só isso não, ela tava toda estranha mesmo depois que conversamos ontem, pensei até que ela tava com raiva por causa daquela puta ainda e depois tava toda fofa de novo, e irritada de novo. - ele bufa.

—Como você comia alguém antes sendo lesado assim... - vira a bebida de uma vez. - As vezes eu acho que o adotado é você. Sua mulher está de TPM, meu irmão! - ele se levanta e da dois tapas nas costas do mais novo. - Você irritou os sentimentos de uma mulher de tpm, está fudido! - gargalhou.

○○○


Anthony, Halya e Thomasestavam saindo do cinema bem animados, bom, pelo menos Thomas e Anthony estavam.

—Querida, qual o problema? - Andy pergunta docemente para Halya.

—Nada não, estou bem. - diz sem ânimo e Andy olha para Thomas.

—Ela está de tpm. - Thomas responde.

—Como sabe? - pergunta Anthony.

— Ela me pede doces toda vez nessa época do mês. - os rapazes param suas conversas quando veem Halya sendo surpreendentemente abraçada por um homem desconhecido por eles, melhor dizendo, desconhecido para Anthony, Thomas o conhecia de eventos anteriores.

— Finalmente te achei de novo, pequena. - diz ainda abraçando a garota. - Fiquei preocupado desde o que aconteceu da última vez, aquele cara sumiu? Eu fui na polícia trás de você e nada... - diz agora a encarando, ainda com a garota em seus braços.

—Luke? Eu... você? - ela saiu do abraço um pouco confusa.

—Você é quem? - Andy pergunta.

—Luke. - ele responda e volta a atenção para a garota. - Quem é esse? - pergunta apontando para Anthony.

" Esse " tem nome, e é Anthony. - responde rude, cruzando os braços.

—Hum, interessante... - Luke da de ombros, e Halya olha para seu cunhado que passava a língua pela bochecha enquanto exalava raiva. - Mas você está bem, princesa? Conseguiu se livrar daquele desgraçado? - ele segura as mãos da garota.

—Luke, não foi bem isso q... - ela ia terminar, mas a voz que ecoou em seus ouvidos fez ela desejar aquele momento ser apenas um sonho.

—Halya?! - a voz de Yan chamando sua garota com um doce tom de raiva fez todos o encararem.

_________________________________________

My ObsessionOnde as histórias ganham vida. Descobre agora