1-Capitulo piloto

8.3K 349 108
                                    

sou Lilith Dacota Still, infelizmente indo para o meu pesadelo, Canadá ? fala sério, meu pai me odeia certamente.
Já não basta o divórcio dos meu pais, minha mãe tinha que se casar com outro? se não fosse pelo merda do Bryan kowalsk eu estaria feliz em Tokyo indo para qualquer café com meus amigos, Ayumi, Sayuri e o idiota do Ryo, e outra, detesto voos de primeira classe, me sinto uma patricinha xexelenta.

{Chegada ao Canadá}
Finalmente, terra firme, ou alguma terra.
Perderam a minha mala, ótimo, obrigada Toronto, pelas boas vindas! vou ter que fazer algumas compras, não da pra viver com essas mesmas roupas ou aquelas que meu pai tem de quando eu tinha 10 anos de idade.

- PRINCESA! - Meu pai gritou de longe
olho pra ele com uma cara séria, meu pai é completamente maluco, o que sera de mim nessa nova vida?

Fui em direção a ele com os braços cruzados, não pude evitar minha cara feia, eu estava em completo desespero por culpa das minhas malas e claro, ESTAR EM TORONTO NO CANADÁ

- Pai, Oi

- como foi a viagem campeã? - ta vai, meu pai não tinha culpa, eu o amo de todo meu coração, vou trata-lo bem como ele merece

- sinceramente? odiei aquele caviar, por favor vamos comer sanduíches, eu preciso te contar algumas coisas - falo com uma voz mimada, que só faço com ele por ser o melhor pai do mundo

- Aiai Dacota, se for algo sobre namorados eu não estou pronto para essa conversa - diz ele colocando o braço sobre meus ombros e me empurrando levemente apontando para a cafeteria fora do aeroporto.

MEU DEUS A CAFETERIA DO TIO RAY, eu e meus pais viemos em um verão para o canadá, 3 anos antes do divórcio, passávamos todo dia aqui por conta dos bolos de fruta e os donuts que minha mãe é completamente apaixonada, assim que me sentei naquela mesa, pude ver a pequena Lilith com 13 anos de idade tão feliz com os pais do lado, foram com certeza as melhores férias.

- Pai - disse eu enquanto olhava o cardápio - mamãe vai se casar de novo

olho por cima do grande cardápio em minhas mãos, cuidadosamente para que ele não percebesse, vejo um olhar triste e desolado

- ah... filha, ela precisa seguir em frente

- NÃO PRECISA - bati na mesa com os punhos cerrados

- DACOTA STILL, silêncio, estamos em um ambiente em que as pessoas gostam do silêncio, escolha o que vai comer e mude esse assunto imediatamente

Nunca senti meu pai tão sério e frio como naquelas palavras, quase me desceu uma lágrima, então corri para o banheiro
lavei o rosto, retoquei o lápis preto e o gloss, sai como se nada tivesse acontecendo até que...

- ME DESCULPA SENHORA

- senhora? qual foi, eu tenho 20 anos cara
olho para o rosto e... meu senhor dos discos de vinil quem era essa garota?

- quer dizer, me perdoe senhorita, sou nova nesse trabalho de garçonete, e a propósito eu tenho 18 anos então... - ela deu um sorrisinho de lado e fez meu coração disparar

- ta tudo bem, me desculpa também eu não estava olhando por onde eu andava

- dia difícil?

- si... como é seu nome?

- Ah me desculpe, meu nome é joanny, Joanny sander

- Joanny Sander, com quantos números eu consigo te ligar?

Ela olhou pra mim e riu

- eu ja entendi Haha, passa aqui antes de ir embora?

Olhei pra ela com um sorrisinho malicioso mas cheio de ambição

- claro, pode deixar, Jojo (Joujou)

Sento a mesa novamente com meu pai, ele ja pediu seus típicos hambúrgueres com muito picles e mostarda

- Olha Dacota, filha, é difícil pra mim, precisamos mesmo falar sobre isso?

- não pai, desculpa... é que eu ainda não aceito o fato - que não tem mais família Still, ENFIM - enxugo uma lágrima antes que ele veja uma gota em meu rosto - vamos comer

Ele ri de mim e balança a cabeça, pedi meu lanche preferido, X-bacon com um refrigerante de uva, de sobremesa, uma deliciosa banana split

{30min depois...}

- nossa acho que vou explodir

- a única coisa que vai explodir papai lindinho, é seu cartão, preciso de roupas porque meus queridos amigos do aeroporto deram um fim a minha mala

- put...

- A conta senhor Still - veio o tio ray a mesa

- EU PAGO PAI

ele me olha sem entender

- me da o dinheiro q eu pago, vou pegar uma balinha também

Ele me da o cartão e eu vou diretamente para onde aquela garota se encontrava

- eu vim pagar a conta

- hahaha, moça o balcão é logo ali

- boba, eu sei

- eu n perguntei seu nome, alias quero seu nome completo

- vai fazer o que? feitiços?

- com certeza

rimos

- Lilith Dacota Still

- pois bem Lili, tenho algo pra você

Me vejo sendo puxada pelo braço até o banheiro feminino, entramos em uma cabine, olhei pra ela e a empurrei até a parede, segurei em sua nuca, passei o dedo em seus lábios, com a outra mão, segurei a sua coxa levemente atraindo para perto dos meus quadris, nos beijamos, nos beijamos tão bem que eu esqueci o que eu tinha que fazer, só pagar a conta, mas não liguei para a demora, aquele beijo foi o meu presente de boas vindas, eu a apertava a cada vez mais e ela me demonstrava prazer e satisfação.

- onde esta Joa? - ouvimos uma voz de longe
ela riu, paramos de nos beijar ela me olhou

- estou surpresa

- você sempre atrai clientes para o banheiro dona joanny?

- hahaha, só quando eles se chamam Lilith Dacota Still

Ela colocou a mão no meu bolso, disse pra eu ligar pra ela quando chegasse me casa, sai do banheiro, paguei a conta, disse a meu pai que o lanche me fez um pouco mal e Joany disse que tinha uma cliente passando mal no banheiro, quando chegamos até a porta da lanchonete, olhei pra ela e dei um sorriso, ela me retribuiu e mexeu no cabelo.

- o carro esta ali na frente- disse meu pai
Enquanto estávamos indo até o carro, puxei um papel do meu bolso, era o número de Joany com um rostinho engraçado (********** :3 gostei do seu beijo).

o lado escuro do sexoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora