(Des) Conectados

28 1 0
                                                  

Nota do autor

O ano é 2036 e as coisas estão perfeitamente normais depois que a internet foi restituída - mais rápida do que nunca, segundo minha mãe - pelas empresas Thundermail. No entanto, eu só precisei de algumas horas sem nenhum acesso para compreender uma história que meus tios gostavam de contar em todo jantar de Natal. Uma daquelas parábolas que sempre terminam com alguma lição que nos mostra como as gerações passadas davam mais importância para sentimentos e valores. Você deve conhecer pelo menos uma dessas...

Eu usei esse pequeno tempo desconectado para procurar mais informações sobre aquela época e encontrei, escondido em meio a artigos em decomposição, um relato que merece ser reproduzido para que cada família chegue às suas próprias interpretações. Só preciso que todos vocês, caros leitores, saibam que, apesar do seu conteúdo sombrio, esse conto não se trata de uma mera ficção científica interessada em apresentar um futuro distópicas e destruído, ou um artigo científico pessimista cujo o objetivo é decretar uma nova era; ao contrário, esse conto é inteiramente baseado em uma história real que aparentemente foi apagada pelo tempo, pela memória e pelos terabites que ocuparam o nossa sociedade.

___________________________________________

10 de outubro de 2016

Autor: Alfredo Guerra

Publicado na coluna editorial do jornal Hora

O dia que amanheceu sem internet

Pessoas do mundo inteiro estão em estado de choque total com a interrupção misteriosa – e completa - dos serviços de internet. Desde às duas horas da manhã desta segunda-feira, nenhum habitante da cidade consegue acessar serviços de streaming, páginas da rede mundial de computadores ou sequer aplicativos através de seus celulares. Carros e aviões estão parados no meio das estradas e aeroportos. A distribuição de água e energia foi prejudicada. Alimentado por equipamentos conectados, os hospitais correm contra o tempo para salvar pacientes em situações graves. Até mesmo algumas geladeiras de última geração tem apresentado falhas causadas pela ausência de conexão com seus respectivos servidores.

Pra piorar, somos obrigados a informar que não adianta ficar questionando a qualidade dos seus aparelhos ou correr para as lojas em busca de uma edição mais recente, porque, até onde nossa redação foi capaz de checar, o problema de um dos pilares da nossa sociedade é muito maior do que o imaginado e já atingiu todos os quatro cantos do planeta. Segundo o especialista em serviços digitais do governo, Tadeu Oliveira, no momento só é possível afirmar que a raiz do problema está em uma falha nos satélites que será consertado em breve por uma equipe de cientistas americanos, japoneses e alemães.

Logicamente, somos obrigados a relembrar que todos os serviços dependentes da internet estão temporariamente suspensos. Além daqueles que foram citados acima, estão entre eles a liberação de atendimento hospitalar via planos de saúde, algumas escolas de "primeiro mundo", bancos e outras partes importantes desse jornal que vos informa todo dia. A diretora do Banco Central, Clara Moreira, esclareceu que todos estão fazendo o possível para possibilitar pelo menos o pagamento de contas em pleno vencimento, o recebimento de salários e a realização de transações financeiras em caráter de urgência. Todavia, a própria avisou que, sem o retorno imediato da internet, "a ausência desses e outros serviços primordiais pode levar o planeta ao completo caos em muito pouco tempo".

Tudo que podemos fazer, por hora, é esperar por notícias positivas e torcer pelo bem-estar do mundo. Fique ligado nos nossos boletins impressos em edição especial para mais informações!

___________________________________________

11 de outubro de 2016

(Des) ConectadosOnde as histórias ganham vida. Descobre agora