Capítulo 04: Almith

20 2 0
                                              

Taavi não está feliz de compartilhar aquela informação, mas percebeu que era essencial para salvar a cidade e, principalmente, salvar seus Heartless.

– Se minha filha está realmente nas mãos dos Filhos, então temos a explicação para sua intuição. – Sua última palavra estava em tom de zombaria.

– Não é intuição, é leitura corporal, análise da situação, do que acontecia em volta. Ele sabia que o que iria acontecer, por isso nem tentou tirar da trincheira os Filhos que estavam paralisados. – Desmond retrucou, mesmo não tento muita paciência para discussões fúteis, ele não aceita quando alguém diminuía as habilidades de detetives como ele. – Como o poder dela funciona? – Desmond levantou a mão, interrompendo Taavi quando ele ia começar seu discurso. – Se você pretende perguntar qual é meu interesse, é melhor você pensar um pouco. ­– O rosto de Taavi se contorna em fúria, ele não está acostumando com meu tom de voz.

– Ela precisa estar tocando a pele daquele que quer seu futuro visto. E mesmo assim, ela não é capaz de ver mais do que quarenta e oito horas a frente. – Taavi explicou, ainda um pouco contra sua vontade. – Entretanto, ela costuma ver apenas um momento importante que irá mudar o caminho que a pessoa está traçando.

Desmond conseguia ver como o Campo de Fogo pudesse ter mudado o caminho do comandante dos Filhos, pois fora uma derrota que eliminou uma grande parte de seus soldados.

– Mas qual a limitação?

– Como assim? – Taavi estranhou; Desmond explicou que, se o comandante sabia sobre a derrota que sofreria no Portão de Vernon, não fazia sentido atacar. – Nem sempre o que ela vê se torna real, as vezes o oposto acontece. O futuro não é algo que está talhada em pedra.

Desmond não sabia exatamente como aquilo funcionava, ou como de fato a magia funcionava, o que dificultava fazer suas estratégias; contudo, uma coisa ficou clara para ele, tinham que resgatar Almith o mais rápido possível.

– Os anjos estão aqui. – Ahsoka disse, interrompendo a raiva dos dois. – Salazar também.

Eles deixaram o lugar, para descobrirem-se no meio do Central Park. Desmond jamais imaginaria estar ali, no coração verde de Nova York; no entanto, eles estavam longe o bastante para que pudessem fugir, caso os Filhos tivessem conseguido passar por qualquer um dos portões. Dois arcanjos, cinco anjos e um querubim estavam diante deles.

– Este é o único lugar que está escondido de nós, Ahsoka. – Ao dizer o nome, Salazar parecia cuspir um palavrão; ele odiava os homens, Desmond percebia, mas parecia odiar a feiticeira. – Como ousa continuar com seus feitiços mesmo depois de o Conselho a proibir?

– Não existe mais Conselho de Prata, Salazar. – Ela replicou; apesar da pouca estatura, sua presença para crescer. – E eu estou aqui com a permissão do Criador, não sua ou dos outros querubins. Estou fazendo o que me foi pedido.

Desmond sabia o objetivo final de Ahsoka, então imaginou que toda aquela parte de criar sua própria milícia, o detour em Nova York e ajudar Desmond a resgatar Ally eram apenas um longo caminho que ela tomou para encontrar Týr e ajudar na Guerra Celestial da melhor maneira que conseguia.

– Eu não quero vocês interferindo em minha batalha, entenderam? – Salazar disse; seu rosto ficando vermelho de ira.

– O que? – Desmond disse, irritado ao ponto soltar pequenas risadas. – Os Filhos do Abismo estavam batendo nos portões da cidade! Meu plano os impediu de entrar! Homens e Heartless, juntos, salvamos Nova York! Se dependesse de seu plano, se é que existia um, a cidade teria caído.

Salazar ofega; seu rosto fica mais vermelho, seus punhos se fecham. Ele leva a mão direita para a cintura, do lado esquerdo, onde uma espada surgiu – antes, ela não estava ali. O arcanjo que estava a sua direita coloca sua mão sobre a dele.

Histórias Curtas do Sétimo UniversoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora