PERDIDO SEM VOCÊ

17.6K 475 152

www.lyciabarros.com.br

*Este livro pode ser comprado em formato físico com exclusividade no site da autora.

**Todos os direitos reservados. Proibido a reprodução do todo ou em parte.

CRÉDITOS e FICHA TÉCNICA:

Autor: Lycia Barros

Revisão: Janaína Vieira

Capa: Hugo Breves

Editoração eletrônica: ASES DA LITERATURA

ISBN: 9788591714346

PRÓLOGO

    Já é a terceira vez que sou acordado no meio da noite.

    Nesta semana.

   É sempre a mesma coisa. Uma agitação estranha interrompe o meu sono, trepidando minha mente com uma aglomeração de lembranças que atravessam meus olhos. Fico inquieto. E através dessas memórias eu vejo o quanto o tempo pode mudar as pessoas. O quão duras elas podem se tornar, gradativamente, quando correspondem irracionalmente ao ritmo das feridas que se acumulam durante os anos. Na maioria das vezes, feridas provocadas pelas próprias decisões. Comigo também foi assim.

  São três horas da manhã e os meus sonhos estão longe, não conseguem me alcançar. Esfregando os olhos, tento me recompor, busco organizar as ideias em letras de músicas, como costumava fazer. Houve um tempo em que eu acordava rodeado por palavras. Trajando notas musicais. Vomitando-as. Mas agora, já faz algum tempo que as palavras não fazem sentido. Estão descadenciadas, sem compasso, sem ritmo... E principalmente sem vida. Rimo alguns versos vazios em minha cabeça, mas eles me irritam. Arranham meu cérebro.

    Que atividade nervosa, sem propósito, não encontro motivação para continuar... Minha garganta está rouca, e percebo que meus sentimentos mais profundos estão engasgados dentro de mim.

    Para não sufocar com palavras que não consigo dizer, pego o meu violão e começo a dedilhá-lo, na esperança de produzir algum som que as traduza, mas não adianta. Sou o desabafo que não chega, a mente que não descansa. Sou uma mistura de sentimentos, decisões e arrependimentos... Minha alma está ardendo dentro de mim, precisando de refrigério, mas sinto-me como a água batendo em paredes de pedra, tentando me insinuar por entre as fendas, e até elas me repelem.

    É como se meu talento tivesse se esvaziado.

   Como a minha vida podia ser tão perfeita apenas algumas semanas atrás?



PERDIDO SEM VOCÊLeia esta história GRATUITAMENTE!