Capítulo 17

28 12 6
                                                  

O espírito natalino é algo mágico. Não sei se é sentimento de mãe ou o Natal mesmo, mas de qualquer forma estou preparando uma pequena mochila para poder passar esse final de ano na casa de meus pais. É completamente estranho pensar que estou indo ver eles depois de meses sem nem ao menos trocarmos um simples "oi".

O dia está chuvoso e as pessoas correndo para lá e para cá em suas últimas compras para o Natal. A cafeteria do casal Smith, hoje e nos próximos dois dias estará fechada. E eu me encontro no ônibus indo para o outro lado da cidade.

— Alô?

— Olá, mamãe...

— Ellie... Minha filha.

— Como está?

— Estou bem, meu bebê. E você? Como tem passado? Sentimos sua falta...

— Estou bem, comecei a trabalhar em uma cafeteria. O senhor e senhora Smith são muito gentis.

— Oh, minha menininha já está crescida – mamãe diz com um tom melancólico.

— Mãe, sem drama. Estou aqui agora.

— Eu sei. Sinto muito pelo o que seu pai disse naquele dia, aquele velho é muito orgulhoso, mas morre de saudades de você.

— Oh...

— Você vai vir passar o Natal e fim de ano conosco, né?

— Posso?

— Você deve. Você é a nossa família e nossa menininha. Espero por você ainda hoje.

— Eu... Estarei aí. Até mais tarde, mamãe.

— Até, filha.

É gratificante saber que com a minha mãe já está tudo resolvido, e creio que com meu pai também de acordo com as palavras da mamãe. Já com o Jay, realmente não faço ideia, faz tempo que não vejo ele e nem sei qual foi a opinião ou reação dele diante a minha decisão final.

Apesar de ter recusado a proposta de ir para a Europa, de vez em quando me pego pensando que talvez eu deveria ter aceitado, mas no final de tudo sei que eu não estaria satisfeita e nem feliz fazendo algo que não gosto. Um dia poderei realizar meu sonho de ir pra Europa, mas ele será realizado por meio dos meus esforços e suor.

Finalmente desci no ponto de ônibus mais próximo a mansão Hall. A ansiedade entrou sem bater e meu coração acelera a cada passo que dou em direção a minha casa. É, novamente estou chamando a casa de meus pais de minha, depois de meses.

O meu coração parece que vai explodir ao eu ver a mansão em minha frente.

A grande mansão dos Hall, agora se encontra na minha frente. Respiro fundo antes de finalmente entrar. Ao caminhar pelo jardim observo o carro do Jay e do meus pais. É, Ben estava certo, vamos passar o Natal juntos.

Ao entrar na casa, escuto vozes na sala e automaticamente me dirijo até lá. Com os passos lentos  entro na sala, o que faz a conversa finalizar. Todos olhavam para mim com uma certa surpresa por eu realmente estar ali.

— Ellie... – mamãe levanta ao me ver, e imediatamente vem me abraçar.

— Mãe, estava com saudades – Sussurro para ela ainda retribuindo o abraço.

Logo mais meu país, vovó e vovô também estão me abraçando. Jay ficou por último e assim que todos se afastam, ele me abraça.

— Desculpa ter me afastado. Você foi corajosa e eu admiro isso, muito. Você não deixou ser guiada pela vontade de alguém, mas sim pela a sua e isso me faz ficar orgulhoso – Jay disse apenas para mim escutar.

— Também fiquei com saudades, apesar de você ser chato, as vezes – falo para ele que imediatamente faz uma careta com a confissão. — Fiquei sabendo que você está insuportável esses dias.

— Ben... Eu não estava insuportável, ele que é exagerado.

— Sei. – por fim desfizemos nosso abraço.

— Finalmente, pensei que vocês estavam grudados de tanto tempo ficaram abraçados – vovô comenta com o seu típico humor.

— Ah deixa essa ideia de lado, é apenas saudade. Logo mais os dois estarão se batendo pela casa – mamãe diz lembrando de alguns anos atrás.

— Eu vou adorar ver isso. Principalmente ver o Jay agindo como uma criança, deixando de ser um velho rabugento. Sem ofensas ao mais velhos aqui presente. – ele sorri se divertindo com a situação.

— É apenas uma máscara, na verdade ele é a pessoa mais sensível do mundo – falo e logo olho para o meu lado enquanto dou um pequeno sorriso sapeca. Talvez eu tenha que correr.

— Ellie, suba e guarde suas coisas no seu quarto. Como a tradição, iremos nos mesmos preparar nossa ceia. – aceno em positivo e subo.

[•••]

É bom estar em família. O sentimento de felicidade flui naturalmente, principalmente quando estamos tentando fazer um jantar decente. Acho que perdemos o dom de fazer os preparativos para o Natal.

Poder ter uma noite feliz, sem sentimentos ruins ou saudades é algo gratificante. Poder dormir tranquilo é melhor ainda.

Depois de meses eu voltei a falar com minha família, e eles me receberam como sempre, com amor e carinho. Talvez tenha sido um milagre de Natal.

Mensagens

Número um: Feliz Natal, senhora debochada.

Eu: Feliz Natal, número um.

Número um: vai jogar quando, senhorita?

Eu: que tal agora? Já estou entrando.

Número um: te vejo lá.

———————♡———————


Oi, como estão?

Especial de Natal atrasado. Desculpa ;-;

Enfim, foi pequeno esse capítulo. Sim eu sei, passei uma semana sem atualizar, não consegui fazer a maratona durante a semana e volto com um capítulo pequeno. Mas irei recompensar vocês.

Enfim, Feliz Natal ❤️✨ atrasado!!!!

Momento interação: e aí? Quem foi que surtou com o G.C.f in Helsinki e a notícia que o nosso Golden Maknae é o rosto mais bonito do mundo em 2019? Eu fui uma das que surtou, em 2017 foi o Taehyung e 2019 o Jungkook. Quem será o próximo? 🤷


Leitores fantasminhas, apareçam!!!!

Comentem e deixem suas estrelinhas ⭐. Isso deixa a autora feliz 😃.

Até o próximo!!!

Love and Game | Kim TaehyungOnde as histórias ganham vida. Descobre agora