Capítulo 21

255 78 26


Quando estava na casa de jogos de Riderhood, Edward geralmente bebia e jogava. Depois que Lady Bridget rompeu com ele, vivia embriagado e cambaleando por entre as mesas. Naquela noite, no entanto, ele não conseguiu prestar atenção nas atividades masculinas. Deixou sua esposa conversando com a Sra. Fancy Thompson e a Sra. Annabelle Ogglethorpe mas manteve sobre ela vigilância constante.

Talvez ele parecesse controlador e obcecado. Porém, Agatha era uma jovem inocente demais para aquele ambiente. Ela quis ir, ele garantiu que ela deveria manter-se ao lado dele, mas precisava circular pelos espaços dos homens. Se ficasse andando com a mulher a tiracolo, ele seria visto como um frouxo. Só que isso não o impediu de preocupar-se com ela. Principalmente quando viu que Lady Eckley se aproximou.

Era muito fácil cair nas artimanhas da sobrinha do marquês. Edward ficou de olho nas duas, conversando, enquanto fingia prestar atenção nos assuntos de Ogglethorpe e Sawbridge. Os dois falavam sem parar sobre negócios, seu tema preferido nas conversas. Por sorte, o evento era um baile no salão principal, que ficava no meio da casa de jogos e não possuía obstáculos a visão de nenhum ângulo.

E foi então que dois homens se aproximaram e agiram com desrespeito. Ele não pode ouvir o que falavam, só não gostou que um tenha segurado as mãos de Agatha e beijado. Que outro tenha sorrido para ela e ela lhe sorrira de volta. Achou muito desagradável que eles abordassem uma mulher casada, sem antes serem apresentados por um homem em comum. Aquele era um costume até mesmo da burguesia, era uma questão de respeito.

Era hora de dar fim à conversa. Edward deu passos largos na direção de Agatha e segurou-a pelo braço com dedos firmes. A esposa o fitou com curiosidade e ele precisou inventar uma desculpa pela aproximação possessiva.

— Poderia me conceder a sua primeira dança, milady?

Edward não sabia se queria mesmo dançar. E fazer aquilo com a própria esposa era muito fora de moda. Mas eles estavam entre as pessoas comuns, apenas poucos aristocratas frequentavam os eventos de Riderhood. Naquele espaço, dançar com Agatha era esperado e incentivado. Então ele aproveitaria.

Foi pura sorte que ela aceitou o convite sem protestar ou dizer não. Aproveitando a abertura, o conde conduziu a esposa para o centro do salão, onde alguns casais já iniciavam a primeira dança. Edward segurou-a pela cintura e girou com ela pela pista.

— Vão achar estranho vendo você dançando comigo.

— Estão acostumados. — O conde ajustou a pegada, amoldando os dedos ao redor dela. — Talvez eles não vejam maridos aristocratas dançando tão intimamente com suas esposas, mas os costumes aqui são diferentes.

Intimamente? — Ela franziu a sobrancelha e o encarou. Edward sorriu, ela tinha uma expressão indignada que permanecera mesmo depois do que a tinha afetado nas Américas.

— Próximos. — Ele levou a boca até a orelha dela e sussurrou. — Tome cuidado com Caroline. Ela só se interessa por ela mesma.

— Sei me defender, Edward.

— Assim como estava se defendendo dos abutres que estavam sobre você.

Ela deu uma risadinha.

— Está me comparando com uma carne podre, milorde?

— Claro que não! — Edward ergueu as sobrancelhas e a encarou. — Você adora distorcer tudo que eu digo. Aqueles dois não valem o uísque barato que bebem, eles não deveriam ter se aproximado de você sabendo que era casada.

— Agora parece que está com ciúmes. — Ela riu mais e Edward foi preenchido por indignação. Claro que ele não tinha ciúmes da esposa.

— Vou amanhã para Hampshire. — Ele desconversou, enquanto giravam ao som da valsa. — Preferia que você não fosse mas, se insistir, pode ir comigo.

Agatha sorriu e sua face de iluminou como um dia de sol. Era podia ser linda e irritante ao mesmo tempo, luz e tormenta de um segundo a outro. Quando Edward passou a ter tanta noção da mulher que sempre considerou uma criança, ele não sabia.

— Eu insisto. Vou adorar respirar um pouco do ar do campo.

— Vamos ficar dois dias lá. Não tenho uma propriedade em Hampshire, na verdade estou comprando uma. Mas a casa senhorial está em reformas e não há como ocupá-la. Teremos que ficar em uma estalagem.

Ela assentiu com um movimento de cabeça e não falou mais nada. Edward podia sentir o medo que fazia o coração de Agatha disparar. Naquele momento ele teve ainda mais certeza que Aiden não tinha exagerado sobre a irmã. E, pior, ele suspeitava que o problema estivesse ligado à intimidade entre um homem e uma mulher. Com a mão espalmada nas costas dela, o conde tentou tranquilizá-la, mesmo que ela não expressasse nenhuma emoção que sugerisse desconforto.

A valsa terminou e ele se despediu da esposa com um beijo nas costas da mão. Naquela noite ele a deixaria em paz, mas, durante a viagem, daria um jeito de convencer Agatha a se abrir. Edward precisava saber o que tinham feito a ela, porque ele tinha certeza que ela estava com medo das pessoas. 

Capítulo curtinho hoje

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Capítulo curtinho hoje. Edward continua enciumado da esposa, ela continua fugindo dele, mas agora passarão uns dias sozinhos em Hampshire. 

Será que agora rola safadeza? Ou é a verdade que vai aparecer? Hm. Estou pagando para ver.

Um Conde para Curar meu CoraçãoWhere stories live. Discover now