bônus

103 13 3

    COLOCO OS BRINCOS e de seguida penteio o cabelo

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

    COLOCO OS BRINCOS e de seguida penteio o cabelo. João olha para mim através do espelho com um sorriso na cara enquanto está deitado na cama. Lanço-lhe um olhar para que pare de me encarar e pouso a escova. Dou uns últimos retoques na maquilhagem.

    "Devias ficar em casa hoje. Temos a casa só para nós." João pergunta abraçando-me por trás.

    "Tenho que ir trabalhar João. Hoje tenho duas horas de almoço, vens almoçar comigo ou vou ter de ir sozinha?"

    "Eu vou almoçar contigo." Ele beija-me e eu sorrio a meio do beijo. "Vou te buscar à loja. Assim aproveito e faço umas comprinhas."

    "João aquilo é uma loja de roupa feminina, principalmente roupa interior. Vais comprar o quê? Um sutiã desportivo para ti é?"

    "Não posso fazer umas compras para a minha namorada é?"

    "Podes, podes." Olho para o relógio no meu pulso. "Estou a ficar atrasada." Afasto-me do moreno pegando no casaco. Visto o mesmo cobrindo o vestido preto no meu corpo. Estamos a duas semanas do Natal e estamos a pensar passá-lo em Viseu juntamente com os familiares do João e o meu pai.

    "Tem um bom dia de trabalho linda." Ele volta a beijar os meus lábios e eu agradeço.

    "Vá João tenho de ir. Já chega." Tento empurrar ele mas João puxa-me mais para si beijando o meu pescoço. "Amor controla-te." Puxo ele para um último beijo e afasto-me dele pegando na mala. "Saio ao meio dia, não te esqueças." Saio do quarto e desço as escadas, saindo de casa a seguir.

    Acabo de arrumar os novos conjuntos nas estantes e vou até ao balcão atender os clientes que querem pagar. Uma das colegas foi à casa de banho e a outra está no armazém a tratar das encomendas. Ficando eu sozinha na loja. A loja volta a ficar vazia e eu aproveito para arrumar o que está fora do lugar.
    Uma senhora entra na loja e a sua cara não me é estranha. Mas eu não ligo voltando ao meu trabalho.

    "Desculpe sabe me dizer quando chegam os novos conjuntos de pijamas de seda?" A senhora aproxima-se de mim. Levanto a minha cabeça e a mesma olha para mim abrindo os olhos.

    "Segundo aquilo que sei por ser fã, chegam no final desta semana. E vão estar em promoção para o Natal. Trabalho aqui há pouco tempo não tive tempo de saber as chegadas dos produtos." Falo observando o rosto da mulher. Eu conheço-a de algum lado.

    "Muito obrigada." Ela fala continuando a olhar para mim. "És mesmo igual..." Ela para de falar. "Hum desculpe. É só que me fez lembrar uma pessoa." A mulher abana a cabeça saindo da loja sem dizer mais nada. Fico a olhar para o nada até uma das minhas colegas voltar.

    João olha para mim outra vez num espaço de cinco minutos, pela oitava vez.

    "O quê que vai na tua cabeça?" Olho para ele e encolho os ombros. Minutos depois ele estaciona o carro e eu saio do mesmo. João vem atrás de mim trancado o carro. O rosto daquela mulher não quer sair da minha cabeça. Pedimos uma mesa para dois e de seguida somos guiados para um dos cantos do restaurante. "Amor está tudo bem?"

    "Hum? Sim está." Endireito-me na cadeira encarando o moreno à minha frente. Abro um sorriso. "Como correu a tua manhã? Voltaste a dormir?"

    "Por acaso voltei. Estava a precisar. E a tua?"

    "Até correu bem. A loja por incrível que pareça não esteve cheia. Quando começarem os saldos daqui a dois dias é que vai ser uma dor de cabeça."

    "Vais ver que não vai ser nada de especial."

    "João sabes o que são mulheres loucas nos saldos? Tu não tens noção." Abano a cabeça soltando uma pequena gargalhada. "Muitas delas andam à porrada para ficar com a peça, tendo em conta que há mais na loja."

    "Tu não és assim pois não?"

    "Achas? Eu experimento a roupa na loja e nos dias dos saldos eu mando vir da net. Ainda tenho desconto devido aos códigos que eu tenho."

    "És esperta."

    "Obviamente." Dou um sorriso e volto a comer.

    Encosto a minha cabeça na minha mão e com a minha direita bato na mesa. Eu não acredito nisto.
João surge na sala com a sua sombracelha arequeada. Ele pergunta se esta tudo bem e eu nego.

    "Ela voltou." Ele olha para mim ainda mais confuso aproximando-se de mim. Ele pega em uma das fotos olhando para a mesma. Perguntando quem é a mulher presente. "A minha mãe."

What a mess | Groupchat storyOnde as histórias ganham vida. Descobre agora