Capítulo 65

269 58 33

Eis o grand finale que será postado no wattpad - O CASAMENTO. 

Todos os jornais de fofocas de Londres publicaram sobre o pedido de casamento feito pelo Duque que Shaftesbury à sua governanta

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Todos os jornais de fofocas de Londres publicaram sobre o pedido de casamento feito pelo Duque que Shaftesbury à sua governanta. Não houve folhetim que não exibisse uma caricatura grotesca de uma mulher odiosa que carregava um pobre nobre pelo cabresto. Dois exemplares foram entregues na residência em Thanet Bay, mas não havia ninguém para se incomodar com eles.

Desde cedo, Elizabeth e Lady Agatha foram para a vila. A estilista teria muito trabalho para produzir um vestido de noiva adequado ao casamento de uma duquesa. As duas sabiam que não seria nem exclusivo nem luxuoso. Mas tinha que ser um vestido perfeito.

— Não pode ser branco. — Elizabeth lembrou. — Nenhuma cor extravagante. Talvez amarelo. Ou dourado? Não, eu ficarei muito pálida. Mas não quero usar rosa nem azul.

— Talvez seja melhor deixar que eu ajude a escolher. — A estilista sugeriu, revirando seus cabides de vestidos. — Todas essas peças aqui foram usadas apenas uma vez. Com uma rápida reforma, podem ficar perfeitas.

Ela colocou os vestidos na frente de Elizabeth. Contando com a opinião sempre bem vinda de Lady Agatha, o escolhido acabou sendo um modelo pouco rebuscado e em um tom de dourado que combinaria com os cabelos da noiva.

Os ajustes durariam boa parte do dia. Tempo suficiente para que alguns criados enfeitassem a capela da vila e para que Aiden terminasse de organizar os documentos para o casamento. Às seis em ponto, com o sol querendo se por no horizonte de Kent, algumas pessoas se reuniram para celebrar o matrimônio do duque com a plebeia.

Só que, naquele momento, Elizabeth não se sentia plebeia. Nem nobre. Nenhum título ou origem de nascença era significativo quando ela caminhava, lentamente, ao som de violinos, na direção de Aiden Trowsdale. Ela era apenas uma mulher. Apaixonada, realizando um sonho, ela seguia na direção do homem que amava. Era apenas o que importava.

Peter e Patrick vinham à frente e estavam radiantes de participar do casamento da própria mãe. Os convidados se resumiam a Lady Agatha, o Conde de Cornwall e seus irmãos, alguns arrendatários e criados. Todos deveriam poder participar daquele momento e compartilhar com ela a sua felicidade.

O duque a recebeu com as mãos trêmulas. Ele sorria e ela não se lembrava de tê-lo visto tão espontâneo - e tão nervoso. Usava calça preta, camisa branca de linho, colete dourado com bordados e uma casaca preta abotoada à frente. Os botões também eram dourados, mas nada reluzia como o seu olhar.

— Você é a única pessoa capaz de me fazer tremer, Elizabeth. — Ele beijou-a nos dedos enluvados. — Não sei se isso é bom ou ruim.

— É bom que eu seja a única.

O pároco conduziu uma cerimônia simples. Eles trocaram alianças, assinaram documentos e foram abençoados. Como aquele seria um casamento de duas partes, teriam que segurar os momentos dos votos. Só que seu marido não era dado a simplicidades.

— Sei que esse não é o momento. — Ele disse, antes de saírem da capela. — E que prometi a Elizabeth que não teríamos votos. Mas eu preciso falar alguma coisa agora. Se os jornais desejarem publicar sobre o duque mais propenso a escândalos da Inglaterra se casando, então espero que publiquem tudo.

Aiden virou-se para ela. Elizabeth não imaginava o que ele diria e desejou bater nele. Era injusto que o duque decidisse mudar o que combinaram porque ela não tinha preparado nenhuma fala.

— Elizabeth. — Ele a tocou na face e segurou-a pelas mãos. — Eu fui criado de forma pouco convencional e tive, durante toda a minha vida, aversão aos moldes da sociedade britânica. Ao contrário de você, que foi criada para ser uma dama. Não apenas uma dama, mas a melhor delas. O destino nos obrigou a cruzar caminhos e contrair uma doença fatal foi a melhor coisa que me aconteceu em toda a minha vida. — Alguns dos presentes seguraram o riso. — Sei que demorei demais para entender meus sentimentos. Mais ainda para entender que eu não ligo a mínima se você não tem sangue azul ou dotes. A nobreza que meu nome carrega é escrava do amor que sinto por você. Obrigado por me mostrar que pessoas como eu podem merecer pessoas como você. E que um duque também tem o direito de se casar por amor.

Ela também estava tremendo quando ele terminou de falar. A pequena capela estava em silêncio, esperando. Aiden passou o polegar pelos olhos úmidos da sua esposa e a beijou. Era bem provável que sim, Elizabeth poderia se acostumar a ser amada por ele.

 Era bem provável que sim, Elizabeth poderia se acostumar a ser amada por ele

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Então, pessoal.. chegamos ao fim deste livro e da saga desse casal complicado. 

Espero que vocês tenham gostado de acompanhar a história do meu duque e da nossa linda governanta porreta, e que sigam acompanhando o livro 2, que contará a história de Lady Agatha e... o Conde de Cornwall. 

Na Amazon, o livro está disponível em ebook, com cenas extras e um epílogo. O livro impresso também está sendo produzido, se tiverem interesse em adquirir reservem o seu em https://tatianamaretoescritora.com/pre-venda

Beijo grande e até o próximo livro.

PS: continuem surtando aqui que eu gosto.

Um Duque para chamar de meuOnde as histórias ganham vida. Descobre agora