Capítulo 63

241 60 58

Peguem os lenços. Play na música. Aproveitem a leitura.

A residência de Edward nunca foi tão distante de Thanet Bay quanto naquela tarde

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

A residência de Edward nunca foi tão distante de Thanet Bay quanto naquela tarde. O cavalo preto do duque galopara pelos campos, buscando atalhos conhecidos para encurtar o tempo que eles gastariam para chegar a Greenwood Park. Aiden não era um homem ansioso. O suor em sua testa não queria dizer que ele estava nervoso. As batidas variantes de seu coração não representavam nenhum tipo de desconforto. Ele não demonstraria nenhum descontrole na frente de Elizabeth, ou de quem mais lá estivesse.

Ainda assim, suas atitudes eram as de um homem no limite. Até que Edward chegasse à sua presença, os minutos pareceram durar horas.

— O que veio fazer aqui, Aiden?

O conde perguntou com sincera dúvida. Edward era um homem prático e de rara honestidade. Aquela era a sua melhor qualidade.

— Preciso falar com Elizabeth.

— Essa não é a melhor hora. Wilhelmina está dando um chá para duas dezenas de jovens damas debutantes na próxima temporada. Isaac está com amigos no salão de jogos. A casa está cheia e não precisamos de mais um escândalo em Kent nesse verão.

— Não farei um escândalo. — O duque não estava muito certo daquela promessa. Ele não gritaria, ou se desesperaria. Um homem como ele não se desesperava. Mas o que ele pretendia fazer era por si só bastante escandaloso.

A ausência de Elizabeth o deixaria maluco. Tinha passado uma semana em Londres, depois mais três dias sabendo que a perdera. A agonia que apertava seu peito fazia com que respirar fosse muito difícil.

— Vamos conversar, então. Ela está com minha irmã no salão de chá. Assim que o evento acabar, vocês...

— Não posso esperar, Edward. — Aiden se colocou em movimento. Ele sabia onde era o salão de chá. — Lamento, amigo, mas eu preciso falar com ela, agora.

O conde não conseguiu impedi-lo. A criada que estava à porta do salão deu um salto quando viu o duque chegando apressado. Aiden abriu a porta para encontrar o espaço cheio de mulheres com vestidos elegantes e cabelos empoados. Apenas uma se destacava, e ela não estava vestida como a nobreza.

Os cabelos dourados de Elizabeth reluziam à luz do sol que penetrava nas janelas. A condessa se levantou ao ver o duque, incomodada com a invasão. Homens não entravam de supetão nos eventos femininos.

— Aiden, você precisa se acalmar primeiro.

Edward disse, vindo logo atrás. Sua voz quase não fora ouvida por causa do burburinho das mulheres. Todas conheciam o Duque de Shaftesbury e sabiam que ele era o solteiro mais cobiçado de Londres. Um pouco dado a escândalos, mas, ainda assim, dono de um título respeitável e de um próspero ducado.

— Eu estou calmo, maldição! — Aiden parou no meio do salão. Nada mais existia ao seu redor, apenas ela. Elizabeth estava de pé e olhava para o duque com surpresa e assombro. — Eu só preciso falar com ela.

Um Duque para chamar de meuOnde as histórias ganham vida. Descobre agora