Capítulo 62

213 56 19

Eu disse que postava o final hoje, mas estou doidinha. O final vem amanhã rs.

Ah, o livro já está na Amazon, para quem não aguenta esperar. Grátis no Kindle Unlimited, viu? Vamos ao capítulo de hoje!

 Grátis no Kindle Unlimited, viu? Vamos ao capítulo de hoje!

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Elizabeth estava de pé. Mesmo que o doutor tivesse recomendado um repouso mais longo, ela não aguentaria ficar nem mais um minuto na cama. Já tinha arrumado as malas, deixando de fora as roupas novas que os filhos tinham ganhado. Não se sentia confortável em levá-las, mesmo que eles precisassem.

— Sra. Collingworth, eu recomendo fortemente que a senhora não saia dessa casa a esse horário.

O mordomo John estava ao lado dela. A figura esguia tentou impedir que a governanta se levantasse, depois que remexesse as gavetas. Os meninos observavam tudo sentados em suas camas.

— John, eu agradeço sua preocupação. Porém, não posso mais ficar aqui. Se eu continuar, Vossa Graça vai aparecer e dar um jeito de me convencer a ficar.

— E dessa vez eu terei que apoiar Vossa Graça nessa empreitada. A senhora acabou de passar por um trauma.

— Eu estou me sentindo ótima. Vamos caminhar até a vila, ainda tem luz solar o suficiente. De lá nós pegamos uma condução para Londres.

Claro que os planos dela eram bem simples. Não havia planos. Ir embora, retornar para a cidade, conseguir um emprego que pagasse as contas. Provavelmente ela não conseguiria nada muito digno, mas servir em tavernas não era tão ruim quanto os riscos que corria ficando ali.

Elizabeth mandou os meninos se levantarem. Eles a acompanharam de péssimo humor. Nenhum dos dois queria ir, nenhum dos dois entendia o motivo de partirem. Estavam na porta da cozinha quando Lady Agatha apareceu. Ela vinha do lado de fora e estava vestida para sair.

— Elizabeth, venha comigo. — A lady disse, um pouco agitada.

— Eu não voltarei atrás na minha decisão, milady. Não ficarei em Thanet Bay.

— Eu sei disso. Não vou tentar dissuadi-la, mas me permita tentar ajudá-la.

Lady Agatha indicou que a carruagem estava estacionada no pátio lateral. O cocheiro aguardava, elegantemente vestido, como se fossem a um evento. Elizabeth riu. O que tinha aquela família que se sentia na obrigação de ajudar pessoas em necessidade?

— O que pretende, milady?

— Vou levá-la a Greenwood Park.

— Lady Agatha, não acha que não deveria envolver o conde novamente em seus propósitos? O que Lorde McFadden pode fazer por nós?

— Eu conheço Edward. Ele é desagradável quase sempre, mas não deixará a senhora desabrigada. Se não quer ficar aqui por causa do meu irmão, eu entendo. Ou não entendo, mas aceito. Porém não pode esperar que deixemos a senhora na rua depois de termos nos afeiçoado tanto!

Um Duque para chamar de meuOnde as histórias ganham vida. Descobre agora