Capítulo Cinquenta e Oito

2.1K 459 140

Castiel Almeida D'Ávila

Olho para o pequeno ser em meus braços e sinto meu peito se encher de amor. É incrível como podemos amar alguém sem ao menos a ver na vida, e esse amor só multiplica quando damos um rosto a tal pessoa e podemos a sentir junto a nós. Eu amei Helena desde o primeiro segundo em que descobri a gravidez. Claro, houve um momento de desespero por minha parte, mas não porque não a queria... Pelo contrário, Helena tem um significado enorme em minha vida, assim como Evan.

Evan me deu forças quando eu fui deixado de lado pelas pessoas que amava. Se eu aguentei tudo aquilo, foi por causa dele, porque eu queria ser o melhor para ele. E quando o segurei em meus braços pela primeira vez, tudo valeu a pena. E com Helena não é diferente. Ela é o símbolo de uma nova vida, o fruto de um amor que eu jamais pensei em ter. Tanto pra mim, quanto para Adrian, ela realmente significa a luz.

Sou tirado dos meus pensamentos quando vejo Helena se mexer em meus braços e aos poucos seus olhos vão se abrindo, me dando a linda visão deles.

Abro um sorriso e sinto o braço de Adrian passar ao meu redor, enquanto ele também está olhando apaixonado para nossa pequena.

- Verdes... os olhos dela são verdes. - Meu marido diz ao meu lado, parecendo um bobo. - Oi filha!

Sua fala me faz sorrir ainda mais e vejo seu dedo passar delicadamente pelo rosto dela. Deixo um beijo em seus cabelos ralos, que são exatamente da mesma cor do meu. Helena é perfeita em cada mínimo detalhe e isso me faz tornar ainda mais babão.

- Você ainda não a pegou amor. - Falo em tom baixo e desvio meus olhos para meu marido, que está sentado na cama hospitalar ao meu lado.

Adrian parece realmente pensar sobre isso e me olha em seguida com as sobrancelhas franzidas.

- Eu tenho medo de machucar ela. Olha o meu tamanho, e olha o quanto ela é pequena. - Ele diz, levando isso realmente a sério e reviro meus olhos.

- Para de ser bobo, Shrek... você não vai machucar nossa filha. Você é pai dela também amor, é seu direito a pegar e sentir ela junto de você, ainda mais hoje que é um dia duplamente feliz. - Falo com calma e sorrio para ele, deixando um beijo em seu ombro coberto pela camiseta.

Adrian me olha por mais alguns segundos e desvia os olhos para nossa pequena. Ele solta um suspiro e estende  seus braços para pegá-la. Prendo meus lábios para não rir, já que é muito fofo ver meu marido de dois metros de altura, segurando um bebê tão pequeno em seu braços, tendo medo de fazer qualquer gesto mais brusco e machucá-la.

Observo os dois juntos, com Adrian andando calmamente pelo quarto enquanto fala bem baixinho com a bebê. Sinto meu peito se apertar, mas é algo bom. Eu sei o quanto esse momento significa para ele, o quão especial e lindo está sendo.

Somos tirados momentaneamente desse momento quando uma enfermeira entra em meu quarto, trazendo o almoço e junto com ela, está Marcos, vestido com um jaleco branco por cima da roupa.

- Oh, aqui está a nova integrante da família D'Ávila. - Marcos diz animado e deixa um beijo em minha bochecha, antes de seguir até o irmão que está segurando Helena.

Sorrio por um momento, mas em seguida foi atenção para a minha comida, já que estou morrendo de fome. Desde que entrei em trabalho de parto, às onze horas da noite, eu não comi mais nada.

- Obrigado! - Agradeço a enfermeira, que coloca a bandeja em cima de uma mesa própria. Ela sorri e avisa que volta minutos depois.

- Você bem que poderia me trazer uma quentinha do restaurante que tem na esquina, né cunhadinho? - Falo com uma careta em direção a Marcos, logo após provar a comida insossa do hospital.

Cowboy Indomável (Mpreg) - Duologia "Indomável" - Livro 02Onde as histórias ganham vida. Descobre agora