Capítulo 20.5

243 65 31

— Onde está meu filho?

A duquesa viúva perguntou à sua criada particular. Ela sabia que Agatha estava na propriedade, mesmo que ainda não tivesse saído do quarto nenhuma vez, nem tivesse mandado chamar a filha. A jovem impetuosa não ia ver a mãe a não ser que fosse solicitada. Aquele fora um comportamento treinado desde a infância - Agatha nunca deveria entrar no quarto da duquesa sem um convite. Ninguém deveria.

— O duque está na casa do poço, senhora. — Emma abriu as cortinas para deixar entrar luz solar no quarto. Já passava de meio dia, mas a nobreza raramente acordava antes daquele horário. — Parece que ele está de quarentena.

— O que ele tem? Ninguém nessa casa pensou em me contar que meu único filho está doente?

— Ele tem a febre vermelha, senhora. Escarlatina. Mas John disse que está tudo bem, eles estão se recuperando. Granger e Geoffrey têm garantido que nada lhes falte.

Eles?

O plural usado pela criada não tinha sido um mero acidente linguístico em razão de sua alfabetização precária. Seu filho estava com outra pessoa naquela casa isolada e a duquesa tinha que saber quem era.

— Sim, senhora. — Emma baixou o olhar e encarou o piso de madeira. — O duque está abrigando a Sra. Collingworth, uma viúva de Londres. Ela também está doente.

Uma viúva não parecia o tipo de mulher que atraía seu filho. Certamente era uma senhora de meia idade que teve a infelicidade de contrair a doença. Aquele comportamento bondoso Aiden aprendera com o pai e não parecia haver nada que o demovesse de ajudar os necessitados. Myrtle imaginou que não precisaria se preocupar com escândalos ou reputações porque seu filho estivera deflorando mulheres indefesas.

— Assim que ele retornar para a mansão, informe-me. Quero acompanhar todas as notícias sobre o convalescimento do duque.

Emma assentiu com a cabeça e saiu do quarto, ansiosa por libertar-se da duquesa maligna. Myrtle sabia que os empregados a abominavam e que sua fama de cruel era tão popular quanto a libertinagem de seu filho. Mas ela já tinha deixado de se preocupar com isso desde que percebera que não havia nada que pudesse fazer para evitar uma fofoca.

Aquele era um indicador do que ela já suspeitava. Sua longa abstenção da família estava começando a cobrar um preço - o filho não se casava e a filha não lhe seria de nenhuma serventia, já que ela não pretendia depender do marido de Agatha para sobreviver. As melhores chances de Myrtle sempre foram em um casamento conveniente do duque com uma mulher de boa origem e que pudesse dar ao filho herdeiros suficientes. 

Eu disse que não ia dar tempo mas acabou que deu! Postei apenas uma partezinha pequena para apresentar Myrtle Trowsdale a vocês

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Eu disse que não ia dar tempo mas acabou que deu! Postei apenas uma partezinha pequena para apresentar Myrtle Trowsdale a vocês. A duquesa demoníaca rsrsrs. 

Beijocas e até amanhã!

Um Duque para chamar de meuOnde as histórias ganham vida. Descobre agora