Capítulo Cinquenta e Dois

2.7K 479 265

" Your hand fits in mine
Like it's made just for me
But bear this in mind
It was meant to be
And I'm joining up the dots
With the freckles on your cheeks
And it all makes sense to me

(Sua mão se encaixa na minha
Como se tivesse sido feita só pra mim
Mas coloque isso na cabeça
Era para ser assim
E estou ligando os pontos
Com as sardas em sua bochecha
E tudo faz sentido para mim)

Little things - One Direction

Adrian D'Ávila

Estaciono minha caminhonete no lugar que jamais visitei em mais de seis anos. Solto um suspiro e sinto minhas mãos trêmulas, assim como suadas também. Respiro fundo algumas vezes e pego as flores que comprei, saindo do veículo em seguida. Ando a passos lentos até o local que desejo e sinto meu peito ficar cada vez mais apertado.

Paro de frente à lápide já um pouco mais desgastada pelo tempo e me ponho de joelhos. A foto de Carolina parece me encarar de volta e isso deixa minha respiração presa por alguns segundos. Coloco as flores em um vaso que se encontra ali e não sei exatamente o que mais fazer.

Em mais de seis que ela se foi, eu nunca tive coragem de vir até o lugar onde ela foi enterrada junto ao nosso filho. Parecia que se eu viesse, a perda dela se tornaria ainda mais real, mas isso é apenas bobagem, pois a perda foi e ainda é real. Ainda me dói muito pensar que eu a matei. Que pela minha irresponsabilidade, tirei a vida da minha mulher e meu filho que não havia sequer nascido.

Sei que a culpa é sim em parte minha, mas aprendi que se ela não está mais aqui, é porque Deus quis assim. E por mais que eu quisesse que as coisas fossem diferente, não era pra ser.

- Me desculpa! - Falo em um sussurro e sinto as lágrimas começar a descerem por meu rosto. - Fui um covarde de nunca ter vindo aqui visitar vocês, mas é que a culpa e também a raiva me corromperam durante anos. Eu demorei muito tempo para aceitar que perdi vocês, mas apesar de aceitar... ainda dói, dói muito.

Me sento na grama que há ao redor da lápide e respiro fundo para continuar.

- Eu pensei que minha vida tivesse acabado também, mas eu percebi que não e devo isso a uma pessoa. Por isso vim aqui hoje. - Falo e faço uma pausa. - Eu quero esquecer tudo de ruim que houve e me lembrar apenas dos bons momentos que vivemos, pois você continua sendo a mulher da minha vida. Mas hoje eu entendo que não era pra ser, infelizmente Deus não quis assim. Sei que você também não gostaria de me ver me martirizando. Você foi uma parte linda da minha vida, Carol e jamais vou me esquecer dela. - Sorrio e enxugo algumas lágrimas.

- Amanhã eu vou dar mais um passo importante em meu novo recomeço e queria que você soubesse disso. Acredito que você já saiba sobre Castiel, até porque você deve ser meu anjo da guarda aí em cima... me impediu de fazer muitas besteiras nos últimos anos. - Suspiro e acaricio sua foto emoldurada. - Ele é um homem maravilhoso, você ia o adorar. Vocês se parecem, tem o mesmo espírito guerreiro e corajoso. Também tem o Evan, o filho que a vida me trouxe. E nossa família vai aumentar agora, já que Helena chega em três meses. Eu jamais me imaginei vivendo tudo isso novamente, mas a vida nos surpreende de várias formas e agradeço muito a ela por isso. Assim como sou grato por todos os anos que tive com você... Amo Vocês, sempre e para sempre!

Deixo um beijo em sua foto e me coloco de pé em seguida. Permaneço parado em frente à lápide por mais alguns minutos, até me sentir totalmente em paz.

Olho mais uma vez para o lugar, antes de virar as costas e seguir até a saída. Agora sim, eu me sinto realmente tendo um novo recomeço.

* * *

Cowboy Indomável (Mpreg) - Duologia "Indomável" - Livro 02Onde as histórias ganham vida. Descobre agora