Capítulo 03

308 79 59

Aiden Trowsdale foi preparado para assumir o ducado desde que nasceu. Ele foi criado para ser um duque, foi praticamente treinado para a ser um cavalheiro, um nobre, um homem respeitável na sociedade. Com o falecimento de seu pai, seis meses atrás, ele herdou o título e se tornou o 13º Duque de Shaftesbury, um dos títulos de nobreza mais antigos da Inglaterra.

A morte do pai não lhe trouxe apenas o ducado. Aiden também precisou lidar com coisas para as quais não estava tão preparado assim, como as mulheres da casa. Enquanto ele estudava e se formava com distinções, treinava todos os esportes e se destacava em qualquer atividade masculina, estava afastado de casa, da mãe e da irmã mais nova. Ao assumir o título e as propriedades, as coisas ficaram reais e as responsabilidades não eram mais hipotéticas.

Sua irmã, Lady Agatha nunca fora uma jovem difícil. Ao contrário, era dócil e gentil, mas a morte do pai a transformou no demônio de saias. Como a mãe era uma mulher doente que nunca saía da propriedade de verão da família, a residência em Londres estava quase sempre desamparada. E a irmã, quase sempre aprontando das suas. A quarta governanta tinha acabado de se demitir, apesar do tentador salário que lhe fora oferecido, e Aiden não sabia mais o que fazer para conseguir uma mulher para administrar sua casa - e sua irmã, já que a mãe não fazia um bom trabalho.

Ele precisava se casar, essa era a opção mais esperada. Um homem na sua posição e com sua idade já deveria estar casado e, preferencialmente, com um herdeiro a caminho. Mas Aiden nunca desejou casar-se, apesar de saber que deveria fazê-lo. O problema era que casamento exigia um esforço que ele não estava interessado em empregar. Tinha que escolher uma noiva, cortejá-la, ajustar os trâmites com a família dela, e todas as demais formalidades que envolviam o enlace matrimonial entre a aristocracia. Aiden não conseguira nem passar da primeira etapa, já que a maioria das damas eram lindas e agradáveis, mas não o interessavam.

Todos os planos que ele não pretendia cumprir foram interrompidos pela epidemia de Escarlatina que, de uma hora para outra, se alastrou por Londres. Aiden preparou as carruagens, mandou a irmã na frente e, depois de deixar tudo organizado na Casa Trowsdale, seguiu para Kent, onde ficava Thanet Bay. O litoral, com seu ar fresco, deveria ser o melhor lugar para se esconder até que as coisas estivessem melhores na capital.

Mas a irmã não o deixaria em paz durante esse período, ele já sabia. A caminho de Kent, sua carruagem subitamente parou no meio do caminho e um dos criados que o acompanhava, Geoffrey, desceu para falar com ele.

— O que houve, Geoffrey? Por que paramos?

— Vossa Graça... o cocheiro avistou a carruagem de sua irmã.

Aiden colocou a mão na porta e a abriu, saindo do transporte. Estavam no meio do nada em uma estrada provavelmente muito utilizada como rota de fuga dos nobres, e que deveria estar repleta de ladrões esperando para arrancar até as botas dos aristocratas que por ali passavam. A preocupação de que algo tivesse acontecido com Agatha o fez esquecer a prudência e lançar-se para fora e dar alguns passos na direção de um pátio iluminado, até ver a carruagem ainda parada na frente de uma estalagem.

— Céus, o que ela aprontou dessa vez?

— Deseja que eu vá verificar, Alteza?

— Não, vamos encostar. Estou mesmo precisando de uma boa dose de uísque, está muito quente e úmido.

O duque voltou para dentro da carruagem, que se movimentou por mais alguns metros até parar ao lado da outra. Havia um burburinho incessante vindo do lado de dentro e Aiden suspeitou que todos ali estariam fugindo, também. Provavelmente não haveria muitos nobres no lugar, que parecia não ser o mais adequado para sua irmã tomar um chá ou jantar. Em alguns quilômetros eles estariam no Birmingham Inn e poderiam desfrutar do tratamento digno à aristocracia. Por que raios ela não esperou mais um pouco?

Assim que entrou, percebeu que tinha razão. Apesar de bem vestidas, as pessoas daquele lugar não eram nobres. Talvez burgueses endinheirados que tinham adquirido propriedades nos arredores de Kent, mas não possuíam títulos a ostentar. Logo encontrou sua irmã conversando com uma dama qualquer.

Não. Aiden estava enganado, não era uma dama qualquer. Ele olhou para sua irmã mas tudo que viu foram os cabelos louros, meio acobreados, que engoliam a luz de todas as velas acesas naquele salão. Eles emolduravam o rosto mais delicado e os olhos mais transparentes de toda a Inglaterra. Não havia nada nela que não parecesse uma pintura renascentista, mas Aiden podia jurar que os renascentistas não eram tão talentosos.

Ele percebeu que algo estava errado com ela. Sua face empalideceu quando ela o viu, como se fosse um fantasma que tivesse vindo para assombrá-la. Seu corpo começou a desmoronar como um castelo de cartas mal feito e ele só teve tempo de se aproximar para segurá-la em seus braços e impedir que caísse ao chão.

Capítulo  curtinho, mas finalmente conhecemos o Duque de Shaftesbury! E eis que ele encontrou nossa mocinha e não deixou que ela desabasse no chão como fruta madura

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Capítulo  curtinho, mas finalmente conhecemos o Duque de Shaftesbury! E eis que ele encontrou nossa mocinha e não deixou que ela desabasse no chão como fruta madura. 

Melhor ainda, acho que ele ficou impactado. Alguém aqui concorda? Agora vamos esperar pacientemente até terça, que tem mais!!! :) Beijocas e obrigada pela leitura.

Um Duque para chamar de meuOnde as histórias ganham vida. Descobre agora