Capítulo Quarenta e Nove

Começar do início

- Eu te amo! - Falo, um pouco abafado por estar com a boca em seu peito.

- Eu também amo você, cabelo de fogo! - Ele responde.

- Eu vou buscar algo para comer, quer alguma coisa, Cas? - Ouço a voz da minha avó e desvio meu olhar para ela.

- Pode me trazer um suco e qualquer coisa que seja comestível, mas não doce. - Peço e ela assente, logo saindo do meu campo de visão.

Volto a me aconchegar nos braços de Adrian e sinto suas mãos acariciar minhas costas levemente.

- Acha que vai dar certo? - Pergunto, quase em um sussurro.

- Só vamos manter a fé, amor. Ela é nossa única certeza. - Ele diz e sei que suas palavras estão certas.

O tempo vai se passando bem lentamente. Tenho tempo de comer o lanche que minha avó me traz e isso me faz esquecer um pouco tudo ao meu redor.

E dou graças aos seus quando vejo Victória voltar, sem Alessandro ao lado.

- Ele é compatível. - Ela diz e as palavras simplesmente somem da minha boca. - O procedimento vai ser em alguns minutos.

Deus, obrigado!

Eu liguei e pedi sim para ele estar aqui, mas confesso que não achei que eles fossem ser compatíveis. E isso só prova o quanto o mundo é muito louco.

Solto minha respiração, que nem percebi estar prendendo e sorrio.

- Sei que você deve estar cansado, então pode ir descansar. Eu dou notícias de tudo. - Victória diz e eu concordo.

Mesmo que eu quisesse ficar mais, eu tenho que pensar na minha filha. E não é saudável ficar tanto tempo aqui.

- Tudo bem, mas me avise mesmo. Qualquer coisa eu vou correndo. - Falo e ela assente.

E estando um pouco mais tranquilo, finalmente deixo Adrian me levar dali.

Chegamos na casa Angie e Enzo pouco tempo depois e recebo um abraço do meu amigo, o que me faz suspirar em contentamento. Não conversamos muito, já que ele expulsa nós três para os quartos de hóspedes.

E não demora muito para que eu esteja dormindo, totalmente esgotado das últimas horas. Eu definitivamente fui do céu ao inferno em menos de vinte quatro horas.

* * *

Acordo horas mais tarde, sozinho na cama. Me coloco sentado na cama enorme e passo minhas mãos pelo rosto, soltando um bocejo em seguida. Não ouço qualquer barulho pela casa e isso me faz levantar.

Vejo a bolsa que trouxe em cima de uma poltrona no quarto e pego uma muda de roupa, seguindo até o banheiro. Tomo um banho demorado, aproveitando para tirar toda a tensão do meu corpo. Passo minhas mãos com sabonete líquido por minha barriga e sorrio vendo que a cada dia ela cresce um pouco mais.

- Ei, princesa! Espero que esteja confortável e bem aí dentro. Eu te amo! - Falo e solto uma risada.

Posso até ser louco em falar com minha barriga, mas gosto de fazer isso pelo menos uma vez ao dia.

Termino meu banho após alguns minutos e me visto, saindo do banheiro logo em seguida. Pego meu celular em cima da cama e saio do quarto, descendo as escadas.

Encontro Angie na sala, rodeado por dois bebês conforto, enquanto assiste um filme em volume baixo na TV.

- Você viu meu quase marido? - Pergunto chamando sua atenção e ele sorri para mim, indicando o lugar ao seu lado no sofá para mim.

Cowboy Indomável (Mpreg) - Duologia "Indomável" - Livro 02Onde as histórias ganham vida. Descobre agora