16 - Todos Os Mortos - ÚLTIMO CAPÍTULO - Parte 2

21 3 0

- Foi ela - Hannah aponta para Micaela, que reage com um olhar aflito e que pede ajuda às outras.

- Como você pode saber? Eles estão dizendo algo? - Olívia questiona.

- Anne foi escolhida para me proteger. Ela teve o impulso de me salvar, o que enviou ao meu corpo, uma grande onda de energia aumentada por Alice, que sentiu o desespero de Ruth... E o gatilho da explosão que foi o medo... E o instinto de destruir de Micaela. A onda passou por todas nós, mas sem ela, nada teria acontecido - A filha de Ruth argumenta.

- O que me parece é que foi feito por todas nós - Olívia rebate.

- Hannah... Você sabe que não fo... - Alice sussurra para Hannah, enquanto olha com compaixão para a Sete boliviana.

- Foi a Micaela - A jovem ressuscitada insiste.

- Ou Eles - Anne resmunga de cabeça baixa.

- Foi a Micaela! Ela é a destruidora! - Hannah diz ao perder a paciência, o que visivelmente é percebido pelo seu gesticular, olhar e corpo que balança inquieto.

- Não... - Micaela sussurra com lágrimas nos olhos. Ela passa menear ao passo que a mente é atacada por imagens de guerras, mortes... Aquelas que ela não sabe explicar de onde vêm, que vieram à sua mente após quase destruir todo aquele mundo. Ela também se lembra da morte de seu pai e do seu último paciente antes de desmaiar e acordar naquele mundo. O seu passa a tremer lentamente.

- Micaela, por favor - Hannah estende as mãos em um pedido de paz. Ela já se arrepende de ter provocado a quem ela provocou. Contudo, em poucos segundos, devido a algo que é feito contra o seu corpo, ela reage num grito desesperado:

- Ai, meus braços! 

Micaela faz com que eles se torçam para trás e quebrem.

- Mica... Mica... - Alice corre para o lado da jovem médica que também se encontra grávida.

- Micaela, por favor, respire - Olívia pede num tom instrutivo.

- Ai, não! Aquela coisa à la Fênix de novo, não! Mica, acorda, menina! - Anne começa a andar para trás e a Sete destruidora continua meneando e sussurrando um "não" atrás do outro. O chão continua a chacoalhar e o som de um grande pedaço se mexendo ruge no ar. Os corpos desacordados vibram ao movimento do solo. Um buraco se abre e Hannah é engolido por ela.

- Hannah! - Ruth clama e se prostra na beirada do poço aberto. Ela olha no fundo dos olhos azuis da filha que chora. O desejo ardente da Sete curadora é ter os braços mais longos que o mundo para salvar a filha daquilo tudo, até mesmo de si própria. Uma memória lhe vem tão fulgaz quanto a brisa: Hannah bebê em uma manta rosa de lã em seus braços. Que perfume! Que calor! Que sentimento! Ela desvia o corpo quando Micaela faz com que árvores caiam sobre o buraco aberto no chão. Ruth levanta o olhar e encontra Anne de olhos brancos repetindo aquele seu antigo código. Sonia se transforma em um lórksel após xingar de raiva. Ela avança para atacar Micaela, que então, fecha os punhos. Anne solta um grito gutural e estica todo o seu corpo, e antes de cair ao chão desmaiada, os seus olhos voltam a cor natural e Sonia volta à forma humana. Ela se sente grata por isso. Dentro daquela prisão improvisada, Hannah sente a descarga de um silêncio dentro de si. Anne não é mais a máquina que a protege e aumenta seus poderes. O download feito em seu corpo foi destruído. A filha de Ruth é possuída pela desesperança que a faz gritar por socorro e gemer ao sentir a dor dos braços quebrados e das pernas que se chocaram contra o fundo daquele buraco. Ela se sente como quando escapou das outras Sete, um pouco mais ao Norte no continente sulista. Ela percebe em si estar desorientada e sem saber muito o que fazer. Hannah, então, grita enquanto molha o rosto sujo de terra com seu choro:

SETE - Volume I [COMPLETO]Where stories live. Discover now