Capítulo 21 - parte 2

1.2K 258 47

― Engraçado a senhorita me perguntar isso. Nunca imaginei que seria hipócrita. ― Bernardo a fuzilou com os olhos ― Você não tem o direito de me perguntar o que não lhe contei, quando esconde tudo de mim.

― Eu não estou escondendo mais nada de você. Já lhe contei sobre Edward.

— Mas não me contou sobre sua família. Eu precisei do seu sobrenome para acertar a papelada do casamento e qual minha surpresa ao não encontrar nenhuma família Hemwer na Inglaterra. Então me lembrei que você poderia estar usando um sobrenome falso para se manter escondida. Um sobrenome que não me contou. 

― Saber meu sobrenome não é tão importante quanto saber que você tinha uma irmã. E não tente mudar de assunto para que eu me sinta mal por estar lhe questionando sobre o seu passado.

― Você que entrou aqui cheia de pedras na mão, pronta para atirá-las por eu não ter lhe contado sobre Fernanda, sendo que ignoras suas próprias omissões.

Samantha se viu encurralada. O pior era que sua mente gritava que ele estava certo. Ela realmente tinha se irritado por ele ter escondido aquilo dela, mas também guardava segredos e não podia julgá-lo por não lhe contar tudo.

― Você tem razão. Sinto muito por ter julgado você. Eu deveria ser mais compreensiva dado o meu histórico, mas eu perdi a cabeça quando disseram que você abandonou sua irmã a própria sorte. Se fez isso com ela poderia fazer o mesmo ou pior comigo. ― Samantha expôs o seu temor — Eu não quero acreditar nelas, não parece algo que você faria.

— E não é. Eu não abandonei minha irmã. Ela fugiu. Eu demorei muito tempo pra encontrá-la e entender o que aconteceu e quando a encontrei era tarde de mais pra consertar tudo.

— O que aconteceu com ela?

— Fernanda é sete anos mais nova que eu. E como irmão mais velho eu tinha a função de protegê-la e eu fiz isso por muitos anos. Mesmo com a diferença de idade eramos muito próximos. Até que crescemos e acabamos nos afastando. Pouco antes de debutar, ela sumiu. Havia fugido de casa e deixado um bilhete que dizia que ela não mais era digna do nome Montress e pedindo que eu não a procurasse. Eu fiquei louco desesperado, procurando por todos os lugares aflito temendo que algo tivesse acontecido. Quando a encontrei, varios meses depois, ela estava morando com uma ex prostituta e estava grávida. Eu pedi que ela me contasse quem era o pai e brigamos feio. Ela me odiava e me expulsou da vida dela. Eu tentei manter contato, mas ela não aceitava. Nem mesmo minha ajuda financeira para manter a casa e suprir as necessidades da criança ela aceitava. Quando sabia que eu mandava dinheiro ela recolhia e enviava de volta. Fernanda sempre foi muito orgulhosa e autossuficiente, mas eu sou o irmão mais velho e jamais a deixaria desamparada mesmo que ela não aceite. Então eu a ajudo através de Winchester, ele é meu amigo mais antigo e Marquês. Ele tem me ajudado a cuidar dela. Foi ele que a encontrou, sabe? E ela parece confiar nele e aceita a ajuda dele. — Bernardo comentou e era nítida a nota de ciúmes no tom dele.

— E quem é o pai da criança?

— Eu não sei. Ela nunca me contou. E na verdade eu nunca cheguei perto da filha dela. Já a vi algumas vezes de longe, mas nunca de perto. O que é triste, pois ela é quase da idade da Sophia. O nome dela é Alinn e ela é linda, parece um pouco com Winchester. — Bernardo bufou ao se lembrar de algo — Eu até cheguei a pensar que pudesse ser filha dele, mas ele não faria algo tão vil com minha irmã. Não deixaria nunca aquela criança ser bastarda.

― E por que não faz as pazes com ela?

― Eu já tentei. Fernanda é teimosa. Não aceita nenhuma aproximação minha. Ela cometeu um erro e eu já a perdoei por isso.

Como casar um BarãoLeia esta história GRATUITAMENTE!