Capítulo 1

40.6K 1.6K 236

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.


"Esquecer é uma necessidade. A vida é uma lousa, em que o destino, para escrever um novo caso, precisa de apagar o caso escrito."

(Machado de Assis)



Ela não se lembra de seu passado. Não se lembra dos seus pesadelos quando acorda. É uma moça atormentada. O que ela sabe sobre ela mesma foi o que contaram, mas mesmo assim não sabe se é verdade. Perdida entre o seu passado e o seu presente, tentando se encontrar, vive um dia de cada vez. Contudo, como toda moça, ela sonha em encontrar alguém para amar. Seus desejos secretos e seus orgasmos abafados estão deixando-a louca, mas seu principal problema são os seus malditos pesadelos...

Angel dorme, e, em certo momento, o seu sono começa a ficar turbulento. Sua linda cabeleira cor de cobre vira-se de um lado ao outro. Ela debata-se desesperadamente...

Ela está em uma casa. Dois homens a seguram por seus braços, e outro homem, de olhos azuis intensos, rasga-lhe as roupas. Ela é abusada de todas as maneiras possíveis. O homem de olhos bonitos, a so.do.mi.za, a vi.o.len.ta cruelmente e quando está satisfeito, entrega-a aos demais homens, e não satisfeito com todas as crueldades feitas, o homem chamado por W, manda marcá-la a ferro quente, em suas partes íntimas.

"Não, não, por favor.... não, não me machuquem... se afastem de mim, deixe-me em paz... não! Não.... Isso dói, dói muito".

Angel chora até não conseguir soltar nenhum gemido. Sua garganta fica seca e as suas lágrimas secam. Seu corpo todo dói. Sua boca e suas partes íntimas foram violadas, sua inocência foi arrancada sem piedade.

"Soltem-me, papai, papai, ajude-me... papaaai".

Seu pai nada pode fazer, ele encontra-se amarrado e foi brutalmente espancando. Ela também percebe que há uma mulher gritando por socorro e sendo cruelmente vi.o.len.ta.da. Ela escuta seu pai gritar por clemência, pede para que os deixem em paz. E a certa altura, ele suplica para que as mate, pois não suporta mais vê-las sofrer. Ele grita...

"Deixem, minha filha em paz, ela é só uma criança, por favor senhor W... deixe minha mulher e filha irem embora... Não as machuque mais, pelo amor de Deus, senhor W, mate-as... Mate-as logo".

Em seu sono agitado, ela encontra-se em um lugar estranho, com pessoas estranhas. Seu nome não é Angel e o seu pai chama-se Bob. Ela aparenta ter 16 anos de idade, é uma jovem bonita e inocente.

Angel acorda debatendo-se e gritando. Suada e com a respiração acelerada senta-se na cama e sua voz não sai de sua garganta. Apavorada, procura o celular embaixo do travesseiro.

— Paizinho, paizinho — Angel chora ao telefone.

— Outro pesadelo, filha! Chego em dez minutos, meu bem. – Ele desliga.

Cold Heart (Coração Frio)Leia esta história GRATUITAMENTE!