... 04 %

40 7 10

Em uma primeira análise, o Bubble App era um aplicativo convencional, bastante próximo de todos os outros. Perfil, fotos, configurações, amigos... O que chamava mais a atenção eram as cores sóbrias e o padrão minimalista das linhas, com o azul claro, cinza e o verde-água subindo verticalmente pelos lados do template branco e a pouca — quase nenhuma — animação.

Claramente, a proposta ali era o conteúdo, e não a forma. Ou os serviços e lugares apontados no menu principal, tudo bem, mas preferi começar pelo básico.

Definir perfil.

Clique.

Nome?

Daniel L. Mattos.

Idade?

28 anos.

Profissão?

Jornalista.

Insira uma pequena biografia.

Preferi deixar para depois.

Enviar imagem para o perfil...

Selecionei a minha favorita, que utilizava em todas as outras redes sociais. Nela, eu estava com o rosto levemente inclinado, um tanto quanto de lado. E com um meio sorriso na parte direito dos lábios. Engraçado. Lembro com exatidão do dia em que uma amiga tirou a foto, em uma festa, alguns anos atrás, ainda durante o curso de jornalismo.

Mas não do motivo do riso.

Provavelmente, não havia razão para ele, senão a foto em si ou o flash. O mundo de aparências. O glamour da inveja. A falsa felicidade e as impressões que minha fotografia transmitiria quando publicada. Esse tipo de coisa.

Depois, editei a foto em preto e branco, também, para deixá-la mais séria, com um ar quase misterioso.

Enviar.

Insira o número do seu cartão magnético.

0125847-1.

Crie uma senha.

(Sua senha deve contar pelo menos oito dígitos, uma letra maiúscula, um carácter especial e um número).

********.

Confirmar senha?

********.

Para concluir... Escolha suas #Tags!

(Você poderá editá-las posteriormente) — prometia o aplicativo.

E era aí que a brincadeira começava, mas eu ainda não sabia disso.

Havia duas colunas grandes e vazias, que eu poderia preencher ao meu bel prazer. De mecânica simples, a primeira delas — delimitada pelas mesmas linhas verticais que predominavam em toda a tela — dizia "Interesses". E a segunda "Aversão".

Insira aqui #Tags que você considera úteis ou de assuntos que lhe interessam e agradam, de acordo com seu gosto pessoal.

E, respectivamente:

Insira aqui #Tags de temas você não aprecia e dos quais não gostaria de ler sobre ou se informar.

(Importante: essas #Tags servirão de filtro para toda a sua comunicação dentro do Bubble App. Lembre-se de alterá-las sempre que julgar conveniente).

Eu estava avisado.

Comecei pela primeira coluna.

Com tempo e prática eu aprenderia que nós, seres humanos, temos mais diferenças do que afinidades; interesses discrepantes do que comuns. Não à toa, para muitos, o inimigo do inimigo é amigo. São as disparidades semelhantes que nos aproximam enquanto espécie. Portanto, evolutivamente falando, aprendemos que há um equilíbrio maior em se ter valores negativos iguais e valores positivos diferentes do que no oposto. Toleramos melhor, e com mais facilidade, gostos distintos quando as aversões são partilhadas. Do contrário, a convivência é difícil.

Bubble AppOnde as histórias ganham vida. Descobre agora