15 - As Revoltas - Parte 1

16 4 0

- Tem mais: vocês foram trazidas contra a própria vontade e abandonaram a nossa luta que é por vocês. É pela família de vocês! - Airte termina o seu discurso apaixonado.

As sessenta e quatro presentes na caverna vão se colocando de joelhos, uma a uma. Martha e Suzana são as últimas.

- Só há uma pequena medida de segurança. Se vocês desertarem... Vocês morrem - globos de cor-de-chumbo entram voando e espirram um gás que se espalha. Airte assiste sorrindo.

***

A luz vinda das lamparinas de forma oval faz a sombra de Airte balançar na parede de rocha de um marrom alaranjado. Sentada, ela organiza pedras numa tábua rochosa.

- Aqui está ela, Monte - Um de seus soldados diz quando entrega Lura, envolta numa manta azul marinho que cobre todo o seu corpo. A substituta de Dulan levanta o olhar com desdém e ordena com indiferença:

- Deixe-a aí.

O homem se retira após fechar a mão ao redor do pulso esquerdo.

- Vocês demoraram - Lura reclama ao se sentar de frente para Airte. Essa se incomoda com a liberdade tomada por sua liderada.

- Tinha coisas a fazer enquanto você cortava o seu dedinho para nos chamar - Airte fala ainda sem olhar nos olhos da mulher trinta anos mais jovem. O que ela organiza no tabuleiro à sua frente tem a maior parte da sua atenção. Bem, é isso que ela mostra. O que não passa de um jogo; de uma atuação.

- Eu fiz como você pediu! Eu a chamei no caso de alguém possuído pelos ilóricos chegar ao Sul - Lura se defende.

- Depois de ter explodido o hospital em Galliomenese só para dificultar com que Dulan encontrasse as Sete - Airte finalmente olha nos olhos de sua discípula. Ela continua enraivescida:

- Deixe-me ver. Temos mais! Depois um dos seus atira em Olívia só para colocá-las numa narrativa de Dulan e Norte contra elas.

- Nós sabíamos quem era cada uma. Eu sabia que ela não iria se machucar com aquele disparo. E: colocá-las contra o Norte sempre foi um dos nossos planos - Lura dá um tapa na mesa e se defenda. As pedrinhas na tábua de Airte chacoalham.

- Mas você colocá-las contra Dulan e sequestrá-las ao Sul nunca foi. Você cortou os sistemas de comunicação conosco e as levou para longe. Não poderíamos sair da Norte na busca delas, pois não tínhamos permissão e não queríamos os ilóricos, que são fortes por lá nos encontrando.Você foi uma traidora! Acabou atraindo os malignos ilóricos para as preciosas Sete - Airte se levanta e discursa com uma voz gutural e passional. Ela se inclina, coloca o rosto próximo ao de Lura e lhe diz:

- E, ainda por cima, você falhou. Estou até tendo que usar mais tecnologia do que deveria. Nesse ponto, sou bem mais intolerante do que Dulan - O silêncio nos milésimos seguintes somados ao furor nos olhares das duas fervem a atmosfera. - Que acabou morrendo nas circunstâncias que você criou. - Airte respira fundo e engole o choro que subia pela sua garganta. Ela, por fim, anuncia:

- Você será punida. Lágrimas! 

Ao chamar, dois soldados entram pisando sobre o chão rochoso e seguram os braços de Lura.

- O que é isso, Airte? - Ela questiona, esforçando-se para não mostrar que está nervosa e assustada. Como resposta, Airte somente sorri.

***

Martha não consegue dormir. Na sua rede de tecido azul claro, ela revira as cenas do começo do dia. Aquele discurso de Airte que enfatiza o perigo que os familiares das Sete enfrentavam com os ilóricos.

SETE - Volume I [COMPLETO]Where stories live. Discover now