Na rede da Depressão

2 0 0
                                                  

O sufoco da agonia que vem de dentro e não tem como sair.

Os gritos calados por lágrimas perdidas que se encontram e depois retornam sem motivo.

Sentimentos descontrolados, as tremedeiras, a angústia que invade como uma possessão sem controle a cada meia hora.

Como foi bom sentir e ter um amor assim. Vanglorioso e imbatível. Desses que aparece como um presente da vida e por tudo que passou. Da certeza de que é vivo e dá vida, abrigo, carinho, atenção e a sensação de prazer sem pensar e sem falar. As palavras que me mantinham atento e ligado para não perder nenhuma vírgula, ponto ou reticências.
E eu, incentivado à participar deste Paraíso mental, aproveitava, pois sabia que, até o universo tem fim e o fim para o limite, paciência e a tolerância chega muito rápido e como um monstro, destrói uma cidade de lembranças, um continente sólido, um mundo em evolução.

Quando as chamas começam,tudo termina em cinzas, escuridão com muitos destroços e sofrimento.
Terminamos de joelhos, arrastados à procura de fagulhas e tentando sobreviver com os restos que sobrou.

Tento resgatar forças que nunca imaginei que tinha. O cansaço me deixa lento e despreparado. Só a vontade de vencer e de ser curado é que me mantém lucido e consciente.


Depressão destrói aos poucos. Quando penso que ganhei uma batalha, logo começo a sentir a sensação de sufoco e a vontade de chorar e o corpo fica muito pesado fazendo com que eu me deite e fico na luta para dormir sem sono e fico sem prazer nenhum para me motivar a levantar. São sentimentos que, como uma corrente, me pressiona para baixo, deixando-me sem forças para movimentar os músculos e também a fala. só os olhos ficam vendo as coisas ao redor. É um sentimento de angústia que é difícil de se livrar. 


O maior problema é que não consigo fazer o que eu fazia antes, é como um alerta vermelho que me impede de fazer algo pois posso lembrar deste sentimento destrutivo no futuro e pode ser perigoso para a minha mente. seria uma proteção para não sentir novamente este sentimento que é destrutivo para a mente. tento lutar contra isso, explico mentalmente que preciso fazer, mas tenho acesso negado e tudo que tento fazer trava, meus olhos começam a doer, minhas mãos ficam cansadas, o corpo só quer deitar, e começo a ver como algo desinteressante para fazer. e sei que não é, mas a mente diz que descansar é mais importante.


"Uma pessoa só é completamente solitária quando ela mesma se abandona."


Eu tento conter a vontade de chorar respirando mais rápido e isso tem me cansado mais e os olhos sempre pesados, sempre anuviados e tomados de tristezas por esperar uma resposta ou um sinal que não sei se virá. Angustias sombrias que só me sufocam mais. Tudo fica difícil de fazer. Tudo fica difícil. 

Uma mensagem do meu cérebro me diz que o certo é ficar parado. Minha própria mente me traindo, me enganando. É isso que é difícil de combater. E se insisto o sufocamento volta e os olhos começam a doer e lacrimejar. a própria mente usa o corpo para me punir por fazer algo que ela não quer no momento. 

E se eu fico nessa sensação de ansiedade o peito começa a dar pontadas também. dizendo indiretamente que estou em uma posição incorreta e que devo relaxar o corpo. 

Me sinto enganado pelo meu próprio corpo, que junto com a mente, se transforma em um grande motim. uma luta que sinto ser impossível de vencer.  

"às vezes é bom ficar quieto em um canto do que falar aos prantos."

Evitei seguir o conselho da minha depressão. Devo lembrar que o corpo e mente estão trabalhando para ela. foram corrompidos pelo sentimento destrutivo. Desconversar sobre essas vontades, ao invés de deitar, eu andei. Ao invés de pensar no passado, tentei respirar bem fundo e arrumar a cama, arrumar o quarto, a casa, organizei as coisas, coloquei em ordem a bagunça, tentei me localizar, me situar, enxergar você mesmo fazendo essas coisas. Sem autopiedade, apenas trabalhei em deixar tudo certo, equilibrado, sentir vagarosamente para o corpo entender o que ele deve fazer, o motivo da sua existência e da sua função que é fazer o que é necessário para se sentir bem. Deixei tudo o mais confortável possível para pensar com clareza e com os pés no chão. Assim finalmente pude começar a visualizar o futuro e o que deve realmente ser planejado.

"Quero vencer e isso já é algo que me impulsiona a fazer as coisas."

Quando chega a noite é mais difícil. Insonia misturada com cansaço do corpo pois andar de dia por muitos quilômetros fazem com que o corpo canse bastante, mesmo assim sonhos ensandecidos de passados, invadem a mente e o medo, isso aparece misturado com o sono. Fica difícil dormir. A mente te engana.

"Eu preciso de uma vida, ela não precisa ser colorida e nem ser longa. Só preciso para me sentir vivo. E nessa vivência, me sentir pronto para continuar. "

Por: Adriano Siqueira

Momentos NoturnosOnde as histórias ganham vida. Descobre agora