Cap 7 - Conversas importantes

8 0 0
                                          

Esse capitulo Kiki vai narrar.
Espero que vocês gostem... nesse capítulo tem surpresinhas!!! ( e não, não é lemon)
Boa leitura! Enjoy it!



Ah ! Que dia maravilhoso! Ainda não acredito na noite de ontem! Foi tudo tão incrível!

O Changkyun fica tão bonito dormindo que não pude resistir a ficar olhando pro seu rosto.

Passado um bom tempo, me levantei e fui em direção a cozinha fazer o nosso café da manhã. Queria fazer algo especial para alguém tão especial. Porém para minha surpresa, Jihyo, minha empregada , (mais mãe que empregada) , já estava fazendo algo delicioso para nós dois.

J: " Bom dia menino Kihyun, vi que acordou feliz, tem algo haver com aquele menino seminu no sofá?"

K:" Bom dia, tem sim Ji, e o nome desse menino é Changkyun , só pra sua informação . Ah,e alias não conta nada pro papai , do que você viu aqui hein?!"

J: " Pode deixar querido, até parece que não guardo seus segredos. Mas me conta, como foi a noite?"

K: " Ai Ji, foi tudo maravilhoso! "

J: " Detalhes, anda , quero detalhes!"

K: " Huahauha, só você mesmo. Só posso te dizer que desde que bati o olho nele pensei: esse tem que ser meu! Mas Ji posso te contar outro segredo?"

J: "Oxe menino, já disse que pode"

K: " Eu ao mesmo tempo que me sinto incrível, me sinto mal, me sinto péssimo na verdade"

J: " Por que? O que você fez com o menino? Ele parece ser tão doce, tão bonzinho."

K: " Ji, eu tratei ele como um prostituto e ele não merece ser tratado assim. Ele... bem, ele é lá do orfanato sabe? E bem, o orfanato tá passando por dificuldades financeiras e disse que eu ajudaria ele com grana desde que ele dormisse comigo."

J: " Kihyun, você errou feio, errou rude, mas pense por outro lado, ele também aceitou"

K: " Ji, eu tenho medo que depois de hoje, depois que eu der o dinheiro, ele não queira mais falar comigo ou que nós voltemos a ficar estranhos um com o outro como era no início; eu correndo atrás e ele me ignorando. E a verdade é.... eu não quero isso. Ji, eu quero que ele seja meu, só meu, meu mesmo, tipo: meu namorado"

J: " Uau, será que estou ouvindo certo? Kihyun quer namorar?"

K: " Ji, é sério. Eu não sei o que está acontecendo comigo , mas eu quero o Changkyun"

J: " Eu sei o que você está sentindo, você está apaixonado , KiKi"

K: " Eu ?Apaixonado? Você só pode estar louca"

J: " Não estou doida não. Respeito, hein!? Por acaso, você sente frio na barriga quando ele , mesmo que sem querer , encosta em você?"

K: " Sim, mas..."

J: " Espera, não acabei! Você sente como se o seu mundo fosse acabar quando qualquer coisa ruim acontece com ele? Pelo jeito sim, não preciso nem citar os outros sintomas , que já vejo que estou certa. Kihyun, só de pensar e falar nele , seus olhos estão brilhando! Esse é o maior sintoma de todos, não tem como negar! Agora vá la acordar ele , pra vocês tomarem café, não quero ninguém com fome!"

Foi nesse momento, que ele adentrou a cozinha, com aquele sorriso tímido lindo dele e todo sem graça se apresentou e em silêncio tomou o seu café. Sinceramente gostaria de saber o que se passa em sua mente.

Após esse café da manhã , liguei pro gerente do meu banco, informando que iria retirar todo o dinheiro da conta e que já iria passar lá para pegar.

Chegando na agência, Chang me disse que não tinha conta e que não queria deixar esse dinheiro todo embaixo do colchão ,então além de retirar o dinheiro, abrimos uma conta em seu nome .

Saindo do banco , entramos no carro e fomos em direção ao orfanato.

C: " Hyung, você pode por favor, parar o carro? Precisamos conversar"

K: " Claro. Pronto, agora me diz , sobre o que você quer conversar?"

C: " Hyung, eu sem querer ouvi a sua conversa com a Ji e gostaria de deixar uma coisa bem claro"

K: " Você ouviu? Ai meu deus!"

C: " Calma, deixa eu falar"

K: " Estou calmo, mentira, estou surtando mas pode falar!"

C: " Você se engana se acha que eu só dormi com você por causa do dinheiro. É um engano pensar também que eu fiquei ofendido por causa disso. Desde aquele beijo da festa ..."

Ele diz sussurrando em meu ouvido e se aproximando cada vez mais dos botões de minha calça

C: " ... Que eu não conseguia parar de pensar como deveria ser você gemendo meu nome bem alto enquanto eu metia forte e fundo em você"

K: " Changkyun, o que você está fazendo? Para! Alguém pode nos ver!"

C: " Estou apenas te ajudando a se livrar dessas calças hyung. Não acho justo que logo agora que eu comecei , você venha me pedir pra parar. Que hyung mal! Mas saiba que eu não vou parar , não até eu te ouvir gemer de novo, mas agora , dentro desse carro e não me importa se alguém vai ver ou ouvir."

Não sabia que o Chang sabia fazer dirty talk tão bem, mas depois disso não aguentei , pulei pra cima dele , inclinei o banco , rebolei muito e o resto vocês já sabem né? Mais algumas horas de pura luxúria.

Depois desse repeteco MA-RA-VI-LHO-SO de ontem, voltamos pro orfanato. Lá encontramos uma diretora transtornada e cheia de ódio no coração. Eu me desculpei com a diretora, alegando que a culpa tinha sido minha por não avisá-la que teria outra festa lá em casa essa semana e pedi para que o Changgie não fosse punido pelos meus atos totalmente inconsequentes.

Antes de ir embora , ele me abraçou e me disse que ele aceitaria sim, ser meu namorado, mas com uma condição: a de que enquanto ele permanecesse no orfanato o nosso namoro fosse segredo , pois isso poderia afetá-lo de forma negativa dentro do mesmo. Como eu o queria de qualquer forma e sabia que dentro de aproximadamente 3 meses , ele completaria seus 18 anos , aceitei

The orphanageOnde as histórias ganham vida. Descobre agora