Cap 4 - Verdades vem a tona

8 0 0
                                          


Galera...
A partir de hoje vou descrever de quem é o p.o.v aqui.
A primeira parte desse capítulo quem conta é o Ki
A segunda parte deixei nosso amorzinho Changkyun narrando.
Esperem que gostem
Boa leitura!



Cap 4 - Festa: Verdades vem à tona

Alguns dias depois

Nunca achei que trabalhar num orfanato pudesse ser bom, mas até que é. Changkyun torna isso tudo muito divertido. Como sei de sua rotina, sempre que ele chega do colégio eu dou um fugidinha da cozinha e vou provocá-lo um pouquinho. É tão bom deixá-lo irritado.

Mesmo que minha relação com meu pai seja péssima, como todos sabem, essa semana ele vai dar uma festa lá em casa e eu serei obrigado a comparecer, contudo não irei sozinho, irei com Changkyun , vocês devem estar querendo saber como farei isso , entretanto eu tenho um plano.

O meu plano é o seguinte : Alegar que estas festas são muito chatas e que gostaria que um amigo meu fosse.

A pergunta que vocês devem estar fazendo é: Isso vai dar certo, Kihyun? A verdade é que acho que não , embora sinceramente espero que dê. Qualquer coisa mando alguém sequestrá-lo. Brincadeira, meu plano B é convencer a diretora a deixá-lo sair.

Noite

K: "Oi, Chang. Vou ser direto, querirnumafestacomigo?"

C: " Não me chama de Chang! O que você quer dessa vez? Não entendi nada do que você disse"

K: "Eu disse que eu quero saber se você quer ir numa festa comigo? Meu pai vai dar uma festa lá e as festas dele são extremamente chatas . Vaiii Chang, eu queria ter um amigo la, não me sentir sozinho. Vaaaaaaiiii, por favor"

C: " Primeiro, já disse pra não me chamar de Chang. Depois, Kihyun , eu vou deixar bem claro pra você , eu não sou seu amigo entendeu? E mesmo que fosse , mesmo que eu quisesse só poderia ir com a autorização da diretora"

K: " Foi o que eu pensei"

C: " Pensou em que ?

K: "Nada , Chang"

C: " OK?..."

Como disse , hora de por o plano B em prática.

K : " Com licença, Sra Diretora posso entrar?"

D: " Claro,pode entrar. O que deseja?"

K: " Não sei se a Sra sabe, mas meu pai , Yoo Kibum, vai dar uma festa na nossa casa essa semana e acho as festas deles muito chatas, gostaria de saber se poderia levar o Changkyun , gostaria de ter a presença de um amigo la sabe? É muito chato ser jovem e estar sozinho nesses tipos de festa , entende?"

D: " Sr Kihyun , não sei se você sabe mas , o orfanato tem regras "

K: " Claro que sei Sra, mas o Chang tem se comportado, não tem arranjado confusão e as cozinheiras sempre dizem que ele é um excelente aluno e uma ótima pessoa, sem contar que ano que vem ele não vai mais continuar aqui, a Sra não poderia abrir uma exceção?"

D: " Sr Kihyun, eu deveria dizer não ou até mesmo dizer que iria pensar, mas é verdade , o Changkyun é uma das melhores pessoas deste orfanato e ele não estará mais aqui ano que vem, então se ele quiser ir , ele tem minha permissão"

K : " Obrigado"

Ahhhhh eu sabia que meu plano B ia dar certo , agora vou procurar o meu bebê, digo homem, digo Chang pra contar pra ele. E como esperava, ele estava indo pro lugar que ele mais gostava.

K: " Chang, sexta -feira , 21 h esteja pronto"

C: "O que? E Não me chama de Chang!"

Sexta feira

D: "Changkyun, deixaram umas roupas e uns sapatos pra você na sua cama e falaram pra você já ficar pronto, que as 21 h iriam vir te buscar".

C: "Sim , sra diretora, mas por quê?"

D: " Não sei, só estou passando o recado"

C: " Tudo bem"

Quando cheguei no meu quarto , vi as tais roupas que a diretora tinha dito. Era um terno preto que parecia ser de luxo, camisa branca, e uma gravata que parecia ser extremamente cara. O Sapato parecia ser daqueles importados caríssimos. Não entendi nada o que estava acontecendo, porém como a diretora ordenou fiquei pronto antes das 21h.

Às 21 h em ponto um carro todo preto e caríssimo , parou em frente ao orfanato , falou com a diretora e me mandou entrar. Quando entrei levei um susto, Kihyun, aquele garoto chato , que me perseguia e estava sempre de calça jeans e camiseta , estava no banco de trás vestindo trajes parecidos com os meus e sorrindo. Não vou mentir, achei aquele sorriso sincero tão bonito , e aquelas roupas caíram tão bem nele, que não estava acreditando na situação, eu estava achando o cara mais irritante do planeta terra atraente.

Dei graças a deus quando chegamos no local, a casa era GIGANTESCA , nunca achei que veria uma dessas alguma vez na minha vida. Kihyun riu um pouco da minha expressão , me perguntou o que achei da casa e me apresentou pro pai dele....pera....pai dele? A casa Gigante é dele? Kihyun é rico? Pera, tem algo errado ai

C: " Kihyun, você é rico?"

K: " Sim . Algum problema?"

C: " Não. É que você tá sempre tão simples, calça jeans e camiseta e além de tudo é tão irritante que achei que você fosse uma pessoa mais...."

K: " Mais? Mais o que Chang? Pobre? "

C: " Você colocando assim dessa forma... eu pareço ridículo. Eu só quero saber na verdade , porque você me trouxe aqui, porque você me trouxe pra essa festa? Você quer me humilhar pela forma que te trato? É isso?"

K: " Claro que não, eu te disse no dia que eu te convidei, eu acho essas festas muito chatas e gosto da sua companhia"

C: " Ah, era pra essa festa que você me convidou? Eu não sei se você se lembra , mas eu tinha recusado o seu convite"

K " Lembro sim, mas pra isso eu sempre tenho um plano B, e é por isso que eu sempre consigo o que eu quero .Bom, vamos beber, tem Whisky, Vodka, Soju, cerveja, o que você quer?"

C: " Eu sou menor Kihyun, não bebo nada com álcool ,esqueceu?"

K:" Não seja por isso, vou pegar um refrigerante pra você e eu vou de .....huuum....whisky"

C: " Seu pai está logo ali, ele não se importa se você beber?"

K : " Chang, meu pai não se importa com o que eu faço , desde que eu nasci, a única coisa que ele se importa é a empresa dele. Ele só tem medo de eu arruinar a imagem da sua querida e tão amada empresa "

C: " Kihyun, você ... deixa pra lá , me dá o refrigerante"

Algumas horas depois

C: " Kihyun, para de beber, você já tá muito bêbado!"

K : " Changgie, eu to bem, olha, eu consigo fazer o quatro! ooops, consigo não, huhauahauhauhauahua"

C: " Kihyun, onde é o teu quarto? Eu te levo"

K: " Lá em cima, terceira porta á direita, uiii você vai me levar é? Ahhhh q delícia"

C: " Hyung, deixa de besteira, vem cá, vamos subir"

K : " Você me chamou de hyung!!!!"

C: "Bom hyung, vamos dormir , sim? Vou pedir pra me levarem de volta."

K: "Não!!! Dorme aqui Changgie, por favor!"

C: " Tá bom, o que você não me pede rindo que eu faço chorando ?"

K : "É ao contrário Changgie."

C: " Eu sei."

K: " Changgie .... Posso fazer uma coisa que quero há muito tempo?

C: "O quê?"

K " Isso"

E foi ai que o Kihyun me beijou. Um selinho, apenas um selinho que me tirou todo o ar e minha sanidade.

The orphanageOnde as histórias ganham vida. Descobre agora