Capítulo 6 - parte III

192 36 6


Cassie acordou coma luz do sol se esgueirando para dentro da tenda. Ela se moveu e sentiu a região entre as pernas arder um pouco e isso a lembrou do momento que vivera nos braços de Drake na noite anterior e isso a deixou feliz. O homem ainda a envolvia em seus braços e dormia profundamente.

Ela escorregou para fora do emaranhando da forma mais sutil que pode com o intuito de não acordá-lo. Havia sangue e sêmen ente suas pernas e sentiu que precisava desesperadamente de um banho. Recolheu o vestido um tanto empoeirado do chão e ficou grata pela tenda de Drake ser voltada para o rio e servir para protegê-la do olhar dos outros no acampamento.

Drake se moveu para o lado e percebeu que seus braços estavam vazios. Arregalou os olhos, assustado com medo de tudo o que jurava ter vivido ser um mero sonho. Porém, estava nu, suas roupas jogadas ao chão. Jamais dormiria desse jeito.

Levantou-se pegando suas roupas, vestiu-se e saiu da tenda.

Sorriu ao vê-la de costas se banhando. A água do riacho escorrendo na bela pele avermelhada dela. Por Deus! Como uma mulher poderia ser tão bonita? Desenhou as curvas de Cassie com o olhar enquanto se lembrava de como fora bom estar com ela na noite anterior. Precisou se conter para não pular no riacho atrás dela.

Cassandra percebeu a presença de Drake e se virou para ele, passando as mãos pelos cabelos molhados. Ele fitou os seios arredondados e com os mamilos marrons e desejou poder beijá-los outra vez. Sentiu seu membro ficar duro dentro das calças e mordeu os lábios, contendo-se para ser apenas um observador. Ela sorriu saindo da água e caminhou em sua direção. As curvas sendo reveladas a cada passo até poder ver o amontoado de fios negos entre as penas. O fora da lei molhou os lábios em um gesto involuntário, deliciando-se com a visão. Lamentou quando ela se curvou na sua frente e pegou o vestido, cobrindo-se.

- Dormiu bem? – Ele pigarreou limpando a garganta.

- Sim. – Cassie sorriu. – Estou com fome.

- Eu também. – Ele girou o chapéu entre os dedos e o colocou na cabeça. – Vou caçar algo para comermos.

- Tem alguns peixes no riacho, talvez consiga pegar algum.

- Sim.

A situação entre eles ficou um tanto estranha. Queriam se aproximar um do outro, porém não sabiam se isso era o certo.

- Cassie! – Anne chamou pela dama e Drake respirou aliviando aceitando a deixa para se afastar. – Onde você estava?

Cassandra se virou para a outra mulher e deu seu melhor sorriso.

- Onde eu estava? Aqui. – Fez-se de desentendida. Não lhe pareceu prudente compartilhar com os demais homens do bando o que ele e Drake fizeram na noite passada.

- Acordei e não a encontrei na tenda.

- Vim tomar um banho. Precisava me lavar um pouco.

- Com Drake a observando?

- Ele estava me observando? – Cassie arregalou os olhos e colocou a mão sobre a boca, fingindo supressa.

- Sim. Estavam conversando, imaginei que houvesse percebido.

- Não. Imaginei que ele houvesse se aproximado apenas depois que me vesti.

- Você é muito ingênua, Cassandra. – Anne suspirou. – Tenha cuidado, os homens sempre se aproveitam disso.

- Obrigada pelo aviso. – Cassie dirigiu a ela um meio sorriso.

- Venha! Ajude-me a encher os cantis. – A moça puxou Cassie pela mão e saiu arrastando-a.

Pegaram os cantis que ainda estavam amarrados aos cavalos e encheram com água do riacho. Foi tempo suficiente para que Drake voltasse com alguns peixes e Anne fosse prepará-los.

Drake ficou de pé ao lado de uma das tendas com os braços cruzados. Baixou o chapéu o suficiente para que a sombra cobrisse seu olhar que tanto buscava por Cassandra. Queria poder beijá-la mais e se revirou com isso. Não poderia deixar o que havia acontecido mexer com sua cabeça, mas estava mexendo. Não estava em seus planos deitar-se com a noiva de Isaac, tampouco ficar tão interessado por ela. Isso era sinal que a situação estava fugindo de seu controle e isso era terrível...

- Drake, vem comer! – chamou Anne resgatando-o de seus pensamentos. – Thomas, chama os outros e vem.

- Certo, irmã.

Drake se aproximou e sentou diante de Cassie. Seus olhares se cruzaram e a dama sorriu. Ele pegou um pedaço do peixe e começou a comer como se não houvesse notado.

A tensão entre eles era forte. Precisavam se conter muito para não ignorar tudo e se jogarem nos braços um do outro.

- Drake, precisamos ir atrás de suprimentos.

O fora da lei agradeceu o amigo tê-lo chamado e ter uma desculpa para desviar a atenção de Cassie.

- Sim, vamos! – Drake se levantou.

- Agora? – Thomaz olhou de esgueiro.

- Agora. – Drake fez um gesto com a mão e foi seguido pelos outros.

Roubada do altar #1 Amores do oeste (Degustação)Leia esta história GRATUITAMENTE!