Field

251 13 4

Hoje completa um mês que estamos aqui, então me preparo para sair em busca de uma nova cidade.

Coloquei a sela em Lov, peguei minha mochila e subi. Dei uma batidinha em suas costas para ele saber que eu já estava pronta. Ele se arrumou e deu partida.

Sempre amei a sensação que é voar num dragão, o vento batendo em seu rosto...  Você sente que o mundo pode ser seu, nem que seja por um segundo.

Começamos voando baixo entre os prédios e ruínas, quando chegamos na parte em que os prédios são menores, fica mais fácil de sermos vistos. Então Lov dá um salto e voa em direção ao céu.  Ele é um dos dragões mais velozes que já vi. Chegamos nas nuvens.  Lov da um rangido de felicidade. Ele quase nunca pode fazer barulho quando estamos lá em baixo, mas nas nuvens é diferente. 

Faz cinco anos que eu tenho Lov, e no início era meio complicado nosso transporte, ele ainda não sabia voar direito, então fazíamos nosso percurso andando. Era demorado, mas com força e determinação nós conseguimos.

Depois de voar mais ou menos uns 20 quilômetros já dava pra ver uma nova cidade, então era hora de me preparar. Peguei a minha espada que meus pais me deram, ela era afiada e bem fina, mais fácil de ser manuseada quando não se tem muita força.  Estávamos em estado de alerta, Lov desceu até a placa que indicava o nome da cidade.

- Field vai nos abrigar por um mês. Pronto, Lov?

Ele confirmou com a cabeça. O medo me fez treinar Lov a não fazer muito barulho, aprendemos a viver 24 horas em estado de alerta.

Voamos mais um pouco até avistarmos as primeiras casas.

Pedaços do que um dia foi uma cidade, ruínas por todo lado, aparentemente sem nenhum sinal de vida humana.

Lov me leva à um prédio em ótimo estado de conservação e com grandes andares, o que pode permitir que fiquemos no mesmo apartamento. 

- Muito bem, garoto!

Acaricio Lov na cabeça e dou um beijo.

Tiro minha espada e caminho em direção à porta, Lov bem atrás de mim. Andamos um pouco e vemos duas portas abertas, duas casas. O elevador está quebrado e a escada interditada. Lugar perfeito. Revistamos cada parte do apartamento e não achamos nada. Tiro minhas coisas e coloco tudo em um balcão. Tem um sofá que parece ser bastante confortável. Por precaução, nós sempre fechamos quartos, deixamos apenas a cozinha, sala e banheiro livre, o mais escondido possível para que se algo passe lá fora, não note nada fora do comum aqui dentro. Fechamos o outro apartamento e tudo estava seguro agora. Já estava anoitecendo, não era seguro procurarmos frutas, então Lov e eu comemos um pouco do que tínhamos e guardamos para o outro dia, caso não pudéssemos sair. Dei um beijo em Lov e me deitei no sofá.

- Boa noite, garotão! O amanhã nos aguarda.

Lov deu um grunhido baixinho e se deitou perto de mim.

Dormi.

Com a respiração ofegante, acordo sentindo Lov me empurrar com seu rosto, me sacudindo.

- Calma aí, Lov. Tá com fome?

Eu conhecia aqueles olhos e não eram fome, havia algo errado. Foi então que ouvi o barulho lá fora.

Batalha de DragõesLeia esta história GRATUITAMENTE!