Capítulo 45

6K 687 385

Música na mídia: Come what may - Air supply
vídeo com tradução (aconteça o que acontecer)

" O amor é paciente, tudo sofre, tudo crê, tudo suporta"

Trecho 1 Coríntios 13:4-7

                                         Trecho 1 Coríntios 13:4-7

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Capítulo Final

Enrico

6 meses depois

Hoje meu filho está completando três anos, meu primogênito, a minha cópia perfeita. Arfo o peito com orgulho, meus dois filhos são muito mais do que imaginei, tem o sangue dos Falcons nas veias, não negam isso, e Louis demostrava sua essência com a maior facilidade, não tenho nenhum esforço para que ele seja mal, já demonstra isso em cada gesto, por mais que minha linda esposa tente, ela nunca conseguirá fazê-lo mudar sua essência.

Giro na cadeira, e fico de frente para minha mesa do escritório de casa, o presente do Louis estava a minha frente, uma pistola e não é de brinquedo como ele tem muitas, mas de verdade. Peguei a arma e a olhei, testei seu peso, talvez seja um pouco pesada para suas pequenas mãozinhas, porém já o ensinarei a manusear, claro que sem balas, não querendo um acidente.

Louis se revela todos os dias um menino inteligente, iniciou as aulas de italiano duas semanas atrás e já  está falando, eu mesmo o havia ensinado algumas palavras e logo percebi que ele tem facilidade para idiomas. O Inglês ele já fala perfeitamente,  é um pequeno menino prodígio, esperto demais para a idade.

Ouvi uma batida na porta e ordenei que entrasse, era o Bruno, assim que entrou, sentou na cadeira a minha e perguntou
— É para o pequeno Louis?
— Sim, o que acha?
— Tamanho perfeito para uma criança, mas a Norah não gostará nada disso
— Eu sei, mas ela terá que aceitar
—  Seu pai lhe deu a primeira aos 4 anos
— Sim, eu lembro, a usava para matar os animais de estimação
— Não fará com que ele mate os animais de estimação, a Norah não aceitará isso
— Você sabe que não me importo se a Norah vai aceitar ou não, porém nesse caso, vou levá-lo pra caçar, assim ela não enche o meu saco e eu não precise puni-la o tempo todo
— Admiro muito a Norah por atura-lo, nunca pensei que você casaria e muito menos com alguém como ela
— Norah não tem opção, ou ela fica comigo, ou fica comigo
— Mas ela te ama, isso não tenho a menor dúvida
— O amor dela é um brinde muito bem vindo
— E você também a ama, está caidinho caidinho — ele deu um sorriso de deboche
— Apesar do seu ar de deboche, admito que sim, desde o primeiro dia que estive com ela, foi algo tão louco, me senti como se um caminhão houvesse passado por cima de mim, fiquei desorientado, perdido, nunca havia sentido nada igual, se dizem que esse sentimento é amor, então é isso aí, ele me atingiu de cheio
— Porém, mesmo a amando tanto, ela não consegue dobra-lo completamente
—  Parece que não me conhece Bruno, posso amá-la mas não sou idiota, acho que cedi e cedo até demais
— Eu entendo, apesar de tudo acho que vocês são perfeitos um para o outro, por um simples motivo, o amor de vocês é genuíno, verdadeiro, ela sabe quem você é e você sabe quem ela é, não há hipocrisia, mentiras que vemos em muitos relacionamentos. Não existe pessoas perfeitas e não existe uma vida a dois onde não há obstáculos e barreiras
— Está filosofando muito Bruno, se está carente, tenho um prostítulos com as melhores, desfrute-as
— Sensibilidade passa longe de você né? A coisa toda se resume a sexo e nada mais
— É claro, toda essa baboseira só tem um objetivo: Foder!
— Está certo, depois que sair daqui vou fazer exatamente isso — Bruno riu abertamente levantando-se, eu também fiz o mesmo, afastando-se da mesa e aproximando do Bruno, dei dois tapinhas em seus ombros e disse
— Isso aí Bruno, agora vamos para essa reunião que a Norah inventou para comemorar o aniversário do Louis
— Não esqueça o presente dele
— Sim, deixa eu colocá-lo de volta na caixa

Sob o Jugo do Mafioso +18 concluído Leia esta história GRATUITAMENTE!