Capítulo 40

652 84 29

      Logo vejo uma mulher loira de farmácia em cima do Ryan, se esfregando nele. Sinto o ódio crescer dentro de mim e logo fecho a porta com força. Sabia que pelo uso de força que eu usei tinha pelo menos um rachado na porta, mas tava pouco me fodendo pra isso. Vou na direção do elevador e começo aperta o botão do elevador. Quando a porta abre eu já dou um glória a Deus. Entro no elevador, logo dou um soco com força no metal do elevador e nem ligo para dor que senti na minha mão.

Eu: Eu não acredito que cai nessa merda de  sentimento de novo!- falo e passo a mão no meu rosto.- Sou uma palhaça mesmo kkkk.- falo e logo rio sem humor.

       Logo recebo uma mensagem e adivinha de quem era? O babaca do arrombado do Ryan. Logo mandei um vai tomar no cu e joguei o meu celular com tudo no chão.

Eu: Inferno!- olho pro meu celular no chão e já sabia que não tinha esperança do celular funcionar.

       Logo vejo o elevador abrir e saio do elevador com mil demônios atrás de mim. Vou na garagem e pego o meu carro. Passo na frente da empresa, vejo o Jake apoiado na limusine fumando o seu cigarro e logo estaciono na frete da limusine. Saio do carro e vou falar com ele, como o jantar era 20 horas e ainda era 18 e pouca, resolvo conversa com o Jake um pouco, já que faz um tempinho que não converso com ele.

Eu: Oi Jake! Tudo bom?- falo educadamente com ele, uma coisa que é um milagre.

Jake: Tá educada demais. O que quê ouve?- fala e eu coloco um mão no meu coração fingindo que aquilo tinha me atingido.

Eu: Que isso eu sou educada tá.- falo tentando avisar que aquilo me magoou.

Jake: Mas não assim.- levanto uma das minhas sobrancelha e vejo ele rir.- Vai me fale qual é seu problema?

Eu: Você sempre sabe ler quando eu estou com problema, né seu babaca.

Jake: Claro um ano te aturando. Como eu não ia saber?- dou um soco no braço dele.

Eu: Idiota!- falo e vejo ele olhar o relógio.- Se estiver esperando aquele filho de uma boa mãe, saiba que ele vai demorar.- falo e apoio na limusine.

Jake: Pelo jeito que você falou, vai demorar mesmo.- acabo concordando com a cabeça.- Vamos beber algo?

Eu: Opa falou a minha língua agora.- falo, logo desapoio da limusine e vejo ele rir.

Jake: Só você mesmo.- fala e fomos andando pra um barzinho perto da empresa.

Eu: Então agora me fale como vai a vida?- pergunto e logo me jogo na cadeira do bar.

Jake: Vai indo né.- senta na cadeira que fica na minha frente.-  Estava pensando em voltar pro exército, mas logo tirei esse pensamento da cabeça.

Eu: Por que desistiu?- falo e logo vejo o garçom vim nos atender.- Vou querer uma caipirinha de morango.

Jake: Uma dose de uísque.- logo faço uma cara de nojo e vejo o garçom sair.

Jake:Não precisa fazer essa cara.- logo refiro os olhos.- Agora voltando, sei lá, prefiro continuar como motorista.- olhei pra ele e começo a rir.

Eu: Sei vou fingir que acredito.- falo e vejo um sorriso de lado parecer nos lábios dele.

Jake: Agora me fala, por que você desceu com mil demônios atrás de você e o que quê houve no seu braço?- fala e logo vejo ele encarando o meu braço.

Eu: Só caí da escada, bati o braço no vaso de vidro e entrou um capô de vidro no meu braço.- vejo ele me olhar nos fundos dos meus olhos.- Juro já tô pegando ódio das pessoas ficarem me encarando.- falo e cruzo os braços.

Jake: Se a pessoa te conhecer bem, sabe que quando você mente seu olho brilha e ele brilhou.- fecho a cara na hora.- Fale a verdade.

Eu: Vou resumir porque estou com preguiça. Eu acabei tendo uma briga com a minha prima e o resultado foi ela enfiando um capô de vidro no meu braço.

Jake: Só você mesmo.- o garçom chega com as nossas bebidas e logo sai.- Agora me fale por que você saiu bolada?

Eu: Você acredita que aquele babaca...- bebo um pouco da minha bebida- Roubou dois beijo em mim e eu burra pensei que estava rolando algo entre nós dois, aí eu na inocência convidei ele pra ir num almoço em família que ia ser hoje. Só vi aquele desgraçado se agarrando com aquela loira de farmácia na sala dele. Cara como eu pensei que ele ia ser diferente. Aí agora estou com ódio de mim mesma.- falo, bebo mais um pouco da caipirinha e vejo o Jake fazer a mesma coisa com o seu uísque.

Jake: Isso acontece com todo mundo Aléxia.- fala, eu me viro pra olhar no rosto dele e olho entediada pra ele.- Se você acha que não vale a pena ficar com ele, dá um limite entre vocês dois.- acabo olhando com cara de deboche pra ele.

Eu: Não posso fala que você não serve pra dá conselho. Porque sou outra pessoa que é pior ainda.- falo e termino de beber a minha bebida.- Mas obrigada pelo conselho.- falo e fomos até o caixa e pagamos a nossa bebida.

Jake: Converse com ele, assim você vai resolver.- fala e logo saímos do bar.- Só não fique como ficou no seu último relacionamento.- fala e logo lembro do relacionamento abusivo que tive 15 anos na minha época de rebeldia.

Eu: Relaxa que isso nunca mais vai acontecer.- falo e logo chegamos na limusine.

Jake: Que bom.- fala e vejo um sorriso gentil no rosto de Jake.

Eu: Bom vou indo que tenho que ir me arrumar para o almoço em família.- falo e me despeço com um abraço bem aperta nele.- Vê se cuida e pare de fumar ouviu.

Jake: Tá bom, mamãe.- fala e nos dois começamos a rir.

Ryan: Aléxia!- logo começo a andar, como se ninguém estivesse me chamando.

Eu: Tchau Jake.- entro no meu carro e vejo o Ryan vindo pra perto de mim.

         Boto a chave na ignição, logo dou a partida e começo a acelerar indo em direção de casa. Ao chegar abro a porta e já sou recebida pela a Atena. Faço um carinho nela e logo subo pra me arrumar. Entro no banheiro, deixo a banheira encher e vou no closet pegá uma roupa, deixo em cima da cama e logo vou para o banheiro tomar um belo banho na banheira. Quando finalmente terminei de me arrumar até que gostei.

           Saio de casa correndo de carro para o restaurante marcado já que estava atrasada

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

           Saio de casa correndo de carro para o restaurante marcado já que estava atrasada. Ao chegar no restaurante logo vê o Matt, o Daryl, o John, a Sandra e o pequenino Lucas.

Eu: Desculpa a demora. Acabei me enrolando no banho.- falo, logo sinto alguém me abraça, logo vejo a tatuagem no braço da pessoa e sinto uma lágrima escorrer do meu rosto.

???: Saudade minha pequena guerreira.

Continua...

Me desculpe pelos erros de português.

Is it love? RyanLeia esta história GRATUITAMENTE!