Capítulo 2

15 1 0

As folhas da floresta em frente ao cemitério balançando com o vento frio de final da tarde foi a primeira visão que Letícia teve ao abrir os olhos. Tentou se levantar do chão, mas a pontada que sentiu na cabeça a fez se sentar novamente e, foi nesse momento, que percebeu a grama e uma pedra atrás de si, onde estava apoiada. O ambiente lhe era familiar, mas o estranhou assim que reconheceu as lápides espalhadas pelo chão, não fazia o menor sentido ter aparecido no cemitério. A movimentação das folhas mudaram e se tornaram mais agressivas pouco antes de aparecer uma silhueta no campo de visão da garota. Não conseguia reconhecer quem se aproximava, a luz do sol se pondo batia contra suas órbitas, deixando seus olhos sensíveis, e a imagem estava escura, mesmo que o dia ainda estivesse parcialmente claro. As pupilas da morena dilataram, os batimentos aumentaram em mais de duas vezes a frequência e a respiração quase ofegante. O instinto de jogar algo contra quem se aproximava e sair correndo quase tomou conta da garota, mas todos os sinais de adrenalina foram diminuídos ao reconhecer o rosto de Julian e, antes de poder dizer qualquer coisa ao amigo, percebeu a visão embaçar antes de tudo escurecer novamente.

"Querido diário,

Eu queria contar como foi o primeiro dia de aula como uma garota normal, mas a verdade é que eu não faço a menor ideia do que aconteceu. Tive uma briga com Andrew, mas isso não me importa, pelo menos não agora. Estava voltando pra casa, depois do treino, e sem motivo aparente eu simplesmente apaguei.

Ok, talvez não tão sem motivo assim, provavelmente tem algo a ver com eu só ter comido M&M's durante o dia inteiro e ainda ter feito exercícios, talvez um episódio de hipoglicemia ou hipotensão, talvez os dois juntos. Tenho certeza que se a Bianca ler isso vai gritar "NERD" tão alto que toda a cidade vai ser capaz de ouvir.

Tudo bem, o desmaio não foi tão estranho, certo? Mas eu acordar no meio do cemitério sozinho foi. Felizmente Julian não demorou pra aparecer e me trazer para casa, mas ele disse que não foi ele quem me levou pra lá e não fazia a menor ideia de que tinha alguém ali. Acho que pelo menos parte da sorte deve estar do meu lado.

L. R."

Assim que a garota fechou o diário ouviu batidas na porta. Guardou-o embaixo do travesseiro e disse para entrar, avistando Andrew com um olhar preocupado assim que a porta do quarto abriu.

— Letty! O que aconteceu? Você ta bem? Me desculpa... eu fui um babaca mais cedo, não devia ter falado com você daquela forma.

— Tá tudo bem. — O sorriso doce da garota acompanhou as palavras que eram tanto uma resposta para a pergunta como um consolo para a culpa. — Eu não fui a pessoa mais educada com o seu amigo também.

— Não importa, Le. Não deveria ter te tratado daquela forma. E saber que você passou mal no caminho para casa. Ainda bem que Julian estava com você... o que aconteceu?

"Ele não estava exatamente comigo..." foram as palavras que giraram na mente da morena enquanto o namorado falava, mas daria trabalho demais explicar, então apenas deixou que ele tomasse aquilo como verdade.

— Eu não sei. Estava vindo pra casa, minha visão escureceu e eu perdi as forças. Julian me ajudou com alguns chás e pomadas naturais para a cabeça. Parece que aquela história de "vou aprender bruxaria" de quando ele era mais novo realmente ajudou pra algo.

Um sorriso sem graça surgiu nos lábios do garoto quando a namorada fez a piada.

— Ainda bem... e como está a cabeça? Fiquei sabendo que bateu...

— Dolorida, mas nada grave. Deu um corte superficial porque bati numa pedra, mas parece que alguém realmente me protege.

Letícia passou boa parte do tempo fazendo piadas sobre o ocorrido enquanto Andrew se mostrava preocupado, mas relaxando cada vez mais ao ver que a garota estava bem. Claro, levou um sermão por não ter se alimentado bem e usou a desculpa de que tinha muito o que fazer e acabou não tendo tempo enquanto se preparava psicologicamente, sabia que todos os amigos dariam a mesma bronca. As conversas ficaram cada vez mais descontraídas e, antes que percebesse, já estavam dormindo. Geralmente o pai de Letícia não permitia que o namorado dormisse na mesma cama da garota, mas naquela noite, ao passar em frente à porta e ver os dois abraçados e dormindo tranquilamente depois do susto que a morena passou em todos, resolveu abrir uma exceção.

Classic DreamRead this story for FREE!