Capítulo 1

69.7K 5.3K 864
                                    

Santa Rita - Vila das flores, 2019

Ella

— Eu estou realmente exausta — jogo-me sobre o sofá gasto da nossa modesta casa, aproveitando o final do dia para em fim sentar, tirar uma sapatilha de cada vez e massagear o peito dos meus pés. É uma dor gostosa traz o alívio necessário para eles que estão tão castigados.

— Vá descansar, minha filha. — Meu avô diz, sentando-se do meu lado e não conseguindo esconder o seu abatimento e tristeza pela perda. Além da tristeza, nos olhos do seu Murilo vejo a preocupação de quem sabe que agora o nosso futuro está mais incerto do que já estava antes, desde o dia em que o senhor Luiz ficou doente.

— Vocês vão ficar bem? — pergunto, preocupada.

— Sim, minha filha, vá se deitar que o dia hoje foi longo e você com uma carinha muito abatida.

Antes de sair, peço as bençãos e beijo no rosto das únicas duas pessoas que tenho no mundo, as que me restaram quando perdi a minha mãe no mesmo dia em que nasci e de um homem que não ficou para viver a experiência do que é ser pai.

Ao entrar no pequeno cômodo, mas que tem tudo o que preciso, tiro o meu vestido, visto o meu pijama composto por uma calça e blusa de flanela, em seguida deixando que o meu corpo encontre o que tanto precisa: cama.

Hoje foi um dia de tristeza, onde ninguém na vila teve coragem de fazer ou pensar em outra coisa que não fosse na partida do seu Luiz, ele que meses lutou pela vida, uma batalha que infelizmente acabou perdendo. Quando ele ficou de cama por causa de um vírus raro, toda a vila e a cidade grande ficaram em estado de alerta, já que o homem era quase como o rei do lugar.

Não do tipo que exercícia a sua autoridade pela riqueza que tinha ou pela influência que o seu nome carregava. Para nós, Luiz Estrada era mais como uma figura protetora, um homem que apesar de sério, não tinha nada em si que não fosse bondade e gentileza. Olhava para o nosso pedaço de chão esquecido pela prefeitura da cidade, tornava a nossa vida melhor e principalmente, amava o cultivo das flores e dava valor ao que o negócio próspero lhe proporcionava.

O mais triste de toda a situação foi que, em meses, toda a vila sentiu a sua ausência, viveu a insegurança pelo futuro e parece que até os reseirais sentiram que ele estava prestes a partir. Nas duas últimas estações elas não pareciam tão belas como sempre foram, a quantidade das que foram consideradas descartartadas para a venda aumentou bastante.

A segurança que tivemos durante toda a vida parece estar ameaçada com o falecimento do senhor Luiz. A sua fazenda que vai muito além dos reseirais, já não parece manter o mesmo ritmo de funcionamento de antes, ainda que possua excelentes administradores. Isso tudo eu sei graças as conversas do meus vizinhos e principalmente da minha avó que há muitos anos trabalha como cozinheira na sede da Fazenda Solar.

O homem que era tido como um líder nato se foi sem que tivesse nenhum parente por perto, o seu único filho fez no máximo três visitas em meses, não tendo a consideração de deixar a vida de lado para ficar perto do pai. Eu não me considero uma pessoa dada a fazer julgamentos, mas, é impossível não fazer nesse caso específico.

Não minha cabeça não existe justificativa para o que im filho possa fazer a uma pai, ainda mais quando o pai não tem ninguém além do filho. Diego Estrada, esse e o nome dele, mas para a minha avó é apenas o seu menino. Ela viu nascer, tornar-se adolescente e depois deixar a pacata Santa Rita, assim que o primeiro pelo de barba nasceu no seu rosto. Em anos ela nunca foi capaz de esquecer ele e sempre me contou algo ao seu respeito, mesmo que eu não estivesse perguntando.

O velório e o enterro reuniram uma multidão de pessoas, todas da vila e também da cidade. Se o cara estava ou não presente, isso eu não pude saber, considerando que não tive a chance de chegar tão perto como gostaria para despedir-me do senhor que sempre foi tão bondoso com os meus avós, tornando a nossa vida humilde muito mais fácil ao empregá-los e pagar um salário acima do que talvez outras pessoas na cidade pagariam.

Marcada por mim DEGUSTAÇÃO Onde as histórias ganham vida. Descobre agora