Cassandra Evans

9 1 0
                                    

"Fundado há mais de 100 anos, o Instituto se orgulha de ser uma das instituições  de ensino mais reconhecida no mundo" Antes mesmo de terminar a visita pelo campus, os novos alunos já teriam ouvido essa fala mais de 100 vezes, além de toda a historia do local pelo menos 5 vezes. O lema "educando com louvor" era levado muito a serio por todo corpo docente e todos tinham prazer de falar sobre isso.

O Campus proporcionava uma visita longa, o que fez os alunos começarem a fizer que o verdadeiro teste para entrar era sobreviver ao falatório da visita. O segredo era se distrair com o que o caminho lhe mostrasse e o campus do Instituto proporcionava vários momentos para isso.

Educando desde crianças no básico até adolescentes no final do ensino médio, apenas a parte escolar do campus era composto por três prédios enormes, um para cada fase de ensino, e cada um com sua área de recreação e quadras desportivas (os mais velhos dirão que essas áreas foram construídas há 30 anos quando o paranoico diretor da época jurava que as crianças mais novas seriam facilmente influenciadas pela malicia das mais velhas, então precisavam sempre deixa-las separadas). Mais a leste no campus, ficava "O Grande Salão", era uma zona comum a todos, mas pouco usada, apenas em eventos grandes. 

A sudeste ficava o dormitório das crianças entre 8 e 12 anos (era o menor entre os campus de dormitórios, mas fácil de entender o motivo: poucos pais colocariam crianças tão pequenas em um internato). A oeste ficava os outros dois campus de dormitórios, também divididos por idades. Mais para noroeste o de 13 á 15 anos e mais para sudoeste o de 16 á 18 anos. O primeiro era o mais cheio e, consequentemente, o maior. Sem duvidas, os pais acham bem mais fácil internar um filho do que lidar com a puberdade deles e os monitores do dormitório concordavam, cuidar de pré-adolescentes era o pior trabalho do mundo. Enquanto isso, o dormitório dos mais velhos era o mais calmo. Com o fim do colégio e a faculdade pairando, os monitores só precisavam prestar atenção para que nenhum adolescente surtasse.

Entre outros lugares, o campus do Instituto era quase uma pequena ilha.

Para Cassandra Evans, era seu mundo.

8 anos. Já eram quase 8 anos que estava ali. Era uma das internas e estudante de intercambio que estava há mais tempo, conhecia cada canto daquele campus de olhos fechados, passara por cada prédio de aula e cada dormitório. Naquele lugar, vivera uma vida inteira.

Era o lugar que podia chamar de lar.

Por enquanto.

ஜ ಌ ஜ

Esperando já há mais de meia hora na sala de Kate, Cassie desenhava em seu caderno, como sempre fazia para passar tempo.

Mas os desenhos que fazia recentemente não eram aleatórios, todos se combinavam para algo grande. Decidiu, um dia, que iria desenhar cada campus do Instituto da forma com os via, o que cada um significava para ela. No momento, desenhava o dormitório infantil, o local onde se instalou quando chegou ao japão, seu sentimento por ele era confuso, ao mesmo tempo era um lugar com muitas cores fortes e felizes, mas tinham vários tons frios de azul. Na noite anterior, Aiko acusou Cassie de estar com muito tempo livre já que as primeiras provas do ano já haviam terminado.

Desenhava agora a sala de Kate e pensava em deixar o desenho em preto e branco. Não conseguia imaginar cores que representassem mais o sentimento da sala do que essas.

A espera conseguiu que a vontade de desenhar acabasse e era algo difícil de acontecer. Não gostava disso, Kate a chamou com urgência (tinha vindo na primeira hora do dia, logo após ver as notas das primeiras provas) e no final demorava horas fazendo sabe Deus o que enquanto a paciência de Cassie era testada. A unica coisa que a impedia de sair daquela sala era o respeito pela tutora.

The PrincessOnde as histórias ganham vida. Descobre agora