Capítulo 36

786 88 39

Vejo ela passar a língua nos lábios, me olha, eu começo a me levantar, quando ela correr para porta de saida, mas na hora que ela consegue abrir a porta, enrolo a minha mão no cabelo dela e fecho a porta.

Eu: Nossa nem começamos a brincar e você já quer fujir priminha. Nossa isso é muito feio.- jogo ela na mesinha de centro dela, vejo que o impacto resultou uma mesinha de vidro quebrada e tenho certeza que teve corte nessa parada.

Leona: Sua desgraçada.- vejo ela levanta meio zonza e logo vem pra cima de mim com um pedaço de vidro.- Agora você vai aprender a não mecher comigo.- naquele momento começo a rir.

Eu: Querida acorda pra vida.- vejo ela me jogar na parede e corta um pouco do meu braço.- Pra mim já chega de brincadeira que daqui a pouco você se cansa e eu não quero que o meu tio perceba que a filha é um saco de merda.- coloco o meu sorriso que mais amo e vejo ela engulhir seco.

Leona: Saco de merda é você.- vem na minha direção, eu só dou um chute forte na barriga dela e vejo ela começa a tossir.- Sua filha da puta...

Eu: É o que?- vejo um sorriso aparecer no rosto dela e acabo relembrando ela de como me irritar.

Leona: Nossa eu tinha quase esquecido de como te irritar sua fi-lha da pu-ta.- engulhi seco e tento me controlar.- Ué priminha esqueceu que sua mãe era uma puta.

Eu: hahahaha- vejo ela ficar surpresa.- Desculpa acabei perdendo o controle. Hahaha não foi a minha mãe que era prostituta e aproveitou que o meu tio tava drogado e cortou a camisinha pra engravidar de um saco de merda.- vejo ela mudar de postura.

"Acertei bem no alvo."- penso.

Leona: Como você sabe disso sua desgraçada.- vem na minha direção e só dou um soco na cara dela, mas antes ela infia o capo de vidro no meu braço.

Eu: Nossa pri-mi-nha assim vai acaba me machucando.- tiro o capo de vidro, mas sinto aquela dor aguda, mas não vou dá o gostinho pra essa desgraçada.

"Arrombada, desgraça, mas vou dá um gostinho de esperança pra essa vagabunda é agora."- penso.

Eu: Te dou 5 segundos.

Leona: O que?

Eu: 5...4...- vejo ela correr até a cozinha.- 3...2...- passo a mão do local onde aquela desgraçada tinha enfiado a porra do capo de vidro e percebo que o corte foi profundo.- 1. Preparado ou não priminha vou te pega.- vou andando calmamente até a cozinha.

Leona: Porra cadê a minha arma e minha facas.- vejo ela revirando a gaveta.

Eu: Nossa priminha que burrinha.- falo e ela me olha.- A esperança foi gostosa?

Leona: Desgraçada.- vem pra cima de mim e eu só dou um gancho de direita que ela cai no chão.

Eu: Agora só vou manda o papo.- falo, me abaixo e puxo o cabelo pra ela me olhar nos olhos.- Na próxima vez que tu mecher com alguém que amo, você vai preferir a morte!- falo, bato a cabeça dela com força no chão e vejo ela desmaiar.- Que lixo.- escuto um celular na sala tocar, vou lá, vejo o celular dela tocando e vejo o nome papai. E eu atendo.

Sebastian: Filha você matou a filha do desgraçado. Essa é a minha garota.- fala e vejo ele rir.

Eu: Nosso tio isso que você quer da sua sobrinha.- falo e vejo ele para de rir.- Ué cadê oa risos, eu também quero rir.

Sebastian: O que quê você fez com a minha filha, sua vadia?

Eu: Olha a boca suja seu merda. A sua filha está desacordada no chão da cozinha, provavelmente com o nariz quebrado e provavelmente com as costas fodidas.

Is it love? RyanLeia esta história GRATUITAMENTE!