Capítulo 36 - Festival

451 67 57

Depois do retorno de Julie, contamos brevemente tudo sobre minha guardiã para Giovanna. Ela nos encheu de perguntas e parecia não acreditar nas revelações, que até eu mesma ainda estava confusa.

- Sempre disse que você duas no fundo eram muito parecidas. Você nunca acreditou em mim, Hay.

Concordei.

- Era uma tarefa meio difícil com Julie assumindo uma versão tão amorosa. – ironizei. Elas gargalharam. Julie olhou para o chão parecendo envergonhada. – Mas tudo bem, hoje entendo todos os motivos.

As mulheres que nos atenderam retornaram, elas disseram que os medicamentos estavam fazendo efeitos e que logo poderíamos sair. Pelo vão de entrada conseguia ver algumas pessoas bem arrumadas passando apressadas. Todas animadas com o festival aparentemente. Deveriam ser trabalhadores daquele lugar já que Hal, em sua versão não-celestial, também assumia a posição de líder da cidade e provavelmente tinha pessoas auxiliando-o.

Para nossa surpresa, as meninas melhoravam instantaneamente e já tinham forças para levantar, o que também era preocupante. Eu sabia que aquela era uma saúde falsa, principalmente a de Giovanna. Mas ao menos aquilo ajudava meu otimismo a elevar-se, o que tinha sido algo impossível até aquele momento. De repente, Ollin surgiu pela entrada, sua carranca não estava diferente de antes. Guardas o seguia com as típicas lanças em mãos, os homens também estavam arrumados para o evento. Ele me olhou.

- Vocês precisam vir comigo. Hal vai fazer sua apresentação em pouco tempo e deseja a presença de todos.

Assentimos e as meninas ergueram-se da cama animadas. Antes de sair, pedi que Ollin me levasse ao local onde guardaram nossos pertences. Ele concordou e guiou-me ao quarto onde eu ficara quando estava debilitada. Próximo à mesa dos remédios, além de uma porta lateral quase imperceptível estavam nossas mochilas.

- Obrigada. – agradeci e peguei minha bolsa. Abri-la e não ver Chidy lá dentro como de costume, muito menos em minhas mãos, me trouxe saudades. Queria mais do que tudo ir embora.

- Vai demorar? – ergui meu rosto para encarar o guarda. Ollin trazia uma expressão impaciente. Ele revirou os olhos. Me perguntei se aquela implicância era exclusivamente para mim ou se ele era naturalmente chato.

- Hay, ande com isso! – Giovanna pediu da porta quando estava prestes a lhe dar uma resposta.

- É, estou louca para ver como será essa apresentação. – Julie continuou. Ambas tinham ficado do lado de fora quando entrei. Estavam ansiosas, então decidi deixar o assunto de lado.

Decidi me apressar e cumprir meu objetivo ali: deixar a coroa que Hal acabara de me entregar. Não havia tempo para analisa-la. Ollin observou a caixa de madeira em minhas mãos, parecia saber do que se tratava.

- Aqui é seguro o suficiente? – questionei erguendo-me do chão. O guarda suspirou, cansado.

- Mas é claro que sim! Meus guardas são excepcionais e muito bem treinados! Ninguém vai entrar nesse quarto. – preferi não questionar. Se algo acontecesse a coroa de Hal, então resolveríamos com os guardas excepcionais dele e logicamente com ele.

Depois de sermos deixadas no salão principal, agradecemos as mulheres que fizeram questão de andar conosco até lá. Satisfeitas, elas retornaram a seus afazeres, não sem antes nos alertar sobre nossa saúde. Era melhor não fazermos tantos esforços e ter cuidado com a comida. Ollin continuou andando em direção a porta sem olhar para trás, os guardas o seguiu. O castelo estava bem mais movimentado nessa área, pessoas passavam de um lado a outro apressados demais, mas as duas figuras paradas próximas à porta chamavam mais atenção.

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!